Manart encanta com estampa inspirada na obra “Existência e Resistência” de Marieta
Maio18

Manart encanta com estampa inspirada na obra “Existência e Resistência” de Marieta

A Manart Galeria Virtual, acaba de lançar a sua mais nova estampa ‘Resistência e Existência’ inspirada na obra, de mesmo nome, da artista visual Nádja Kristhina (Marieta), reconhecida amplamente no cenário cultural de Manaus por seus trabalhos, que costumam representar a mulher no mundo underground regional (com  seu olhar forte, tatuagens e cabelos coloridos)  em seus multiversos, que são cheios de cor mas também de sombras, e que encantam a todos nas mais diversas zonas da cidade. Assista aqui o Ep.5 que a Manart preparou com a artista: http://bit.ly/artistamarieta  Saiba + sobre a obra ‘Resistência e Existência’ A obra ‘Resistência e Existência’ surgiu da vontade de produzir uma Marieta (que é como a artista costuma chamar as suas personagens) com referências indígenas e surreais ao mesmo tempo. Na obra, a personagem usa um cocar e tem um olhar que transmite resistência e fortalece a existência. “A obra estampada expressa a sensibilidade da artista à causa dos animais ameaçados de extinção e os povos indígenas da Amazônia. Uma pintura que traz de forma singela a inocência de duas onças e o olhar guerreiro de uma mulher indígena, guardiã da floresta.” Afirma, Hadna Abreu, curadora da galeria. Produção da Estampa e Lançamento “A produção da estampa foi bem simples. Primeiramente replicamos o grafismo ao fundo de toda estampa, resultando em uma textura sensacional com o verde vibrante. Em seguida, os personagens foram localizados em áreas específicas para reforçar o conceito da obra.Neste lançamento temos uma estampa bem fiel à obra original, usamos todos os elementos da obra. E o resultado é uma estampa vibrante com grafismos e personagens fortes da Amazônia.” Declara, Anna Lôyde, Gestora Cultural da Manart Galeria. Todos os  produtos com a estampa ‘Existência e Resistência’ assinados pela artista visual Nádja Kristhina (Marieta) podem ser adquiridos através do site www.manartgaleria.com  Ins (pirações)  “Existem dois artistas que me inspiram desde quando comecei a achar minha identidade, são Brandi Milne e Mark Ryden (o pai do Pop Surrealismo). Percebo que em cada fase da minha carreira fui inspirada por pessoas diferentes. Nesse momento posso citar a grafiteira mexicana Eva Bracamontes que me inspira muito nas formas das personagens e na criação de fundos coloridos e surreais.” Afirma Marieta. Palavras da Curadoria “Marieta” é artista visual Manauara e umas das grandes referências da nova geração de artistas, com técnicas que variam de pincéis à lata de tinta spray. Seu trabalho é uma fusão de sentimentos e resistência feminina.A carga emocional que coloca em seus trabalhos trás uma identificação imediata com a mulher sensível e poética que há em cada uma de nós. Sua habilidade com as cores, expressa o melhor de si...

Leia Mais
DJ e MC Fino recebe título da Zulu Nation
dez15

DJ e MC Fino recebe título da Zulu Nation

O DJ e MC Márcio Lúcio Santa Cruz também conhecido como DJ MC Fino, recebeu o certificado de Filiação à Nação Zulu Universal (Zulu Nation) pelo Ministro-Chefe do Governo Mundial da Nação Zulu Universal Afrika Bambaataa. O documento manifesta: “Em nome da força suprema conhecida por muitos nomes Nós o honramos pelo seu posicionamento para se tornar um membro da Nação Zulu Universal. Você, como um membro da Nação Zulu Universal, tem muitos deveres a cumprir para nos auxiliar a transformar as situações ruins da vida em boas em nosso planeta. Ajudar a melhorar a vida de todos os humanos em nosso grandioso planeta. Defender a paz, unidade, amor, trabalho, liberdade, justiça, igualdade, verdade nos fatos. Ser parte de cada um, ensinar um, libertar um, ajudar um em nosso cotidiano. Ser um Zulu que dê suporte de saúde para todos, conhecimento para todos, liberdades para todos e justiça para todos. Nós somos Amazulu (os povos dos céus), para sermos construtores da nossa palavra e guerreiros para todo o nosso povo universal do nosso planeta neste universo. O criador de todas as coisas deu-nos os direitos sobre este planeta e para além em nosso universo. Nós somos todas as leis. Nós somos tudo de tudo e o todo está em nós. Você é Amazulu (povos dos céus).” DJ E MC FINO: CARIMBÓ, DISCO e HIP-HOP NOS ANOS 70 E 80 Por Bernardo Mesquita Em 1969 em Nova York o Festival Cultural do Harlem e o surgimento do grupo Last Poets, foram marcos decisivos para o surgimento do Hip-Hop no seio do capital-imperialismo. Em Belém, Verequete estava prestes a gravar seu primeiro disco de Carimbó. Em Manaus os festivais de dublagem, a Jovem Guarda e a Bossa-Nova predominavam nas festas da juventude. No mês de Abril deste último ano dos conturbados anos 60, nascia no hospital Ana Nery, o músico manauara Marcio Cruz Lúcio, conhecido como Dj e Mc Fino. Ao longo de sua trajetória tornou-se um dos músicos mais atuantes na vida musical do Amazonas. O reconhecimento recebido de uma ampla parcela do hip-hop nacional, indica uma trajetória resultante da presença significativa da música na história das famílias de trabalhadores negros no ambiente urbano periférico. No final dos anos 60, o terrorismo do estado capitalista contra os trabalhadores opositores da ditadura se acentuava perversamente após o AI-5. As universidades eram palco de perseguições e censura. As artes pulsavam e resistiam a violência autoritária estatal. A Amazônia foi integrada de forma dependente ao sistema capitalista transnacional e a região vivia transformações sociais diversas e de grandes proporções. O caráter desigual da composição urbana observa-se na formação dos bairros de periferia onde...

Leia Mais
Hadna Abreu apresenta “Linhas do Tempo: De volta pra Casa”
nov04

Hadna Abreu apresenta “Linhas do Tempo: De volta pra Casa”

“Linhas do Tempo-De volta para casa”- É o título da mais nova exposição da artista visual Hadna Abreu, que estreia no dia 19 de novembro, às 19h00, na Galeria de Artes “The Art Gallery”) do Instituto Cultural Brasil- Estados Unidos (ICBEU), localizado na Avenida Joaquim Nabuco, n.1286, Centro. UM CAMINHO DE VOLTA PRA CASA A primeira edição da exposição “Linhas do Tempo” ocorreu em 2013, na galeria do Largo, e de lá pra cá, já se passaram sete anos. E assim como na vida, para Hadna, as “Linhas do Tempo” também se transformaram, mas a ESSÊNCIA e o que dá sentido a tudo, desde o início da sua trajetória permanece: O amor e a gratidão por seus Avós, sua maior fonte de inspiração. PROTOCOLOS Devido a pandemia do novo coronavírus (COVID/19), para que se evite aglomerações e possibilidades de contágio, o acesso à galeria, no dia do evento de lançamento e ao longo de todo o período disponível para visitação, será restrito a um total de 60 pessoas, com o uso obrigatório de máscaras ou outro equipamento de proteção individual, e agendamento prévio através do site www.icbeu.com A exposição permanece em cartaz na Galeria do ICBEU, de 19 de Novembro até 18 de Dezembro. As visitas podem ser realizadas de segunda a sexta-feira, de 15h00 às 19h00 e aos sábados, de 09h00 às 12h00. O acesso é gratuito. COM A PALAVRA HADNA ABREU “A exposição sempre esteve em meu coração, cada vez que alguém a citava, comentava e mencionava ou, até mesmo, me marcava em fotos com as obras, algo acionava em mim, precisei de sete anos para entender que o aviador (principal personagem, meu avô) não foi embora de vez, chegaria o dia de sua volta. Esta exposição é uma homenagem aos meus avós, e a todos do mundo que sempre cuidaram verdadeiramente de nós.” O QUE MUDOU DE LÁ PRA CÁ? “Começa em mim. Muita coisa, eu mudei, todos nós mudamos nestes sete anos, a linha do tempo não parou para ninguém. A cada dia ficamos mais velhos e damos espaço a outros mais novos. Minhas obras, já não são mais espontâneas como antes, eu as planejo mais, demoro para realizá-las. Neste ano de 2020, passamos por muitas coisas juntos, mas distantes, ainda não voltamos ao normal, meu trabalho também sofreu esse impacto, e creio que por conta disso, o nome da 2º edição, que é DE VOLTA PARA CASA, ainda ficou mais significativo, parece que por alguns meses fomos teletransportados para outro mundo, e estamos ansiosos, e impacientes para voltamos para nosso mundo normal. Essa exposição não se trata apenas de idosos, cada personagem pode ser...

Leia Mais
Amanhã tem pedalada pelo’Setembro Amarelo’
set28

Amanhã tem pedalada pelo’Setembro Amarelo’

O grupo Pedalando Com Você, Comissão dos Ciclistas do Amazonas e diversos grupos ciclísticos de Manaus e do interior, se reúnem nesta terça-feira (29), no bairro Alvorada para uma pedalada promovendo o ‘Setembro Amarelo’, uma campanha de prevenção ao suicídio e depressão. O passeio ciclístico será entre as ruas do bairro Alvorada, zona centro-oeste da cidade de Manaus, os participantes estarão levando bandeiras e apitos em suas bicicletas para chamar atenção dos moradores ao tema.  Com as bicicletas amarelas, 50 mulheres estarão de frente pedalando para fixar a cor da campanha. Segundo Fernando Barroso, presidente da Comissão dos Ciclistas do Amazonas: ‘A nossa pedalada tem a iniciativa de chamar atenção. É importante cada um ajudar aquela pessoa que precisa do nosso apoio junto com um grande abraço. A gente entende que a bicicleta pode ser muito importante nesse processo de prevenção ao suicídio e depressão, a pessoa se sente livre, cuida da saúde, faz novos amigos, tem novas atividades, novas programações e isso ajuda muito.’ Quem quiser participar do evento, basta entrar em contato pelo número de telefone (92) 99247-1202 via WhatsApp.  A inscrição é feita por um apoio simbólico de dois brinquedos de qualquer valor, o inscrito recebe a senha para participar do sorteio de duas bicicletas, cestas básicas, óculos de sol, lanches e duas cortesias para o Passeio Safári Amazônico Olímpio Carneiro Turismo com almoço incluso, juntamente com saída e retorno pela área da Piscina do Tropical Executive Hotel. A pedalada tem o horário da concentração marcada para às 19h30 e saída 20h na Rua Professora Rosa Gomes (Antiga Avenida F), 126 – Alvorada 1, próximo à Feira Coberta e Loja...

Leia Mais
Gramophone apresenta primeira live na nova sede da Vila Vagalume 80
set08

Gramophone apresenta primeira live na nova sede da Vila Vagalume 80

A nova sede da Casa Criativa Vila Vagalume 80 (Rua Sagrado Coração de Jesus, 234, São Raimundo) vai ser cenário da primeira live da Gramophone, que, na tarde deste sábado (12/09), comanda o canal do Programa Meu Ambiente (/ProgramaMeuAmbiente) no Youtube, a partir das 17h. Na ocasião, a banda divide o show na plataforma digital com artistas residentes do espaço: Ramon Marola, Andreas Dominique, Marcela Paiva e Victor Felix. Segundo Vívian Oliveira, vocalista da Gramophone e produtora cultural da Casa Criativa, os recursos arrecadados durante a apresentação vão ser revertidos para manutenção e reabertura da Casa Criativa, prevista para a segunda quinzena de setembro. Ela explica que o público vai poder contribuir com doações por meio de QR code. “A contribuição vai ajudar muito na construção do novo espaço. Com ela, poderemos deixar a casa cheia de arte, além de nos dar recursos para reabrir com nossas comidinhas veganas e nosso chope gelado”, comenta Vívian. “Além da necessidade de voltar à ativa, também mudamos de endereço, agora estamos no bairro São Raimundo, com uma estrutura melhor para oferecer arte e cultura para a comunidade”. A produtora destaca que, no caso de doações em grande quantidade, o contato pode ser feito por meio do número (92) 9208-2550. Estrutura – Para atender o protocolo de segurança, nos bastidores, a estrutura vai contar com o mínimo de pessoas na produção e respeitar a distância entre os músicos e equipe técnica. A live com assinatura da La Xunga Produções e da Baruk Som vai ter a apresentação de Ythana Isis, da Pedra de Fogo Produções. “Nessa transmissão, usaremos quatro câmeras, drone, estrutura de áudio e iluminação para apresentar os shows e o novo espaço, de frente do Rio Negro”, conta Orlando, da La Xunga Produções, responsável pela captação das imagens e exibição do conteúdo na internet. Programação – Em duas horas e meia, os músicos da Vila Vagalume vão se revezar em cena para apresentar trabalhos autorais. Quem abre o setlist da tarde é Ramon Marola, seguido por Andreas Dominique, Marcela Paiva e Victor Félix. Já a Gramophone, formada por Vívian, Mauro Lima, Renan Haijin, JC Ribeiro e Robson Andrei; encerra a programação. Casa Criativa – A Vila Vagalume 80 existe desde 2016. O espaço, administrado por Vívian Oliveira e Mauro Lima desde 2019 oferece serviços de arte culinária vegana, artes visuais, música, produção musical, rodas de conversas, oficinas de formação, exposições, plantio, jardinagem, saúde e...

Leia Mais
NÓX Sintomas e Processos inaugura amanhã
ago27

NÓX Sintomas e Processos inaugura amanhã

Exposição apresenta 14 artistas e vai estar em cartaz a partir de amanhã (28) É com a exposição “NÓX Sintomas e Processos” que a Galeria do Largo dá início às comemorações de 15 anos do espaço administrado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, que compõe o circuito cultural do Largo de São Sebastião, no Centro de Manaus. A abertura será nesta sexta-feira (28/08), às 17h, e apresenta trabalhos de 14 artistas: Adroaldo Pereira, Árvores do Asfalto, Bruno Kelly, Casa de Sananga, Darlan Guedes, Dermison Salgado, Fabiano Barros, Helen Rossy, Ítalo Alus, Jorge Liu, Thaizis, Romahs, Roosivelt Pinheiro e Odacy Oliveira, com curadoria de Cristovão Coutinho. O secretário Marcos Apolo Muniz destaca que a mostra, que nasce num momento de ressignificação das artes e da vida, também apresenta o novo olhar dos artistas para o mundo e a forma de se relacionar com ele, o que possibilita aos espectadores, além do valor estético, momentos de reflexão. “Nossa proposta é reunir nomes já consagrados e novos talentos que despontam na cena do estado para apresentar um panorama atual das artes visuais no Amazonas e celebrar a Galeria do Largo, que tem como característica agregar as mais diversas linguagens artísticas contemporâneas”, comenta o titular da pasta de Cultura e Economia Criativa. Para o curador, Cristovão Coutinho, instalações, fotografias, objetos, impressões pinturas, grafites, desenhos, estudo grafite, stencil, vídeo, performance e dança vão ocupar o espaço na galeria como cúmplice artístico de estratégias e operações com discursos sobre corpo, lugar social, deslocamento de lugares, violência social, ambiente amazônico e outras estruturas de convívio. Ele explica que, ao longo do processo de escolhas de artistas e obras, a diversidade de identidades e linguagens foi o primordial para estabelecermos o que hoje conceituamos como arte contemporânea. “São 14 artistas que trabalham em zonas de diferentes expressões e nas suas representações, que agregam a diversidade de potências e amplificam a liberdade de maneirismos do fazer e não institucionalizam o modus operandi”, explica. “Adroaldo Pereira, Bruno Kelly, Casa de Sananga e Dermison Salgado tratam de ‘identidades’. O grupo Árvores do Asfalto, Helen Rossy, Romahs e Roosivelt Pinheiro se contêm em ambientes e revitalização, memória e paisagens fluxas. Os artistas Fabiano Barros e Odacy Oliveira usam o corpo como impressão de registros discursivos performáticos como gesto político, e os trabalhos de Ítalo Alus, Jorge Liu, Thaizis e Darlan Guedes tratam das Letras, da natureza feminina, urbana e ressignificações”. Funcionamento – A Galeria do Largo está aberta ao público das 15h às 20h, de terça a domingo, com entrada gratuita. Não é necessário agendamento prévio para o espaço; no entanto, as visitas devem...

Leia Mais