Pajelança Cabocla: documentário sobre medicina tradicional tem estreia em novembro
nov01

Pajelança Cabocla: documentário sobre medicina tradicional tem estreia em novembro

O documentário Pajelança Cabocla refere-se ao conjunto de saberes populares da Amazônia que são passados de geração em geração e abordará parte dessa Pajelança, agricultores locais das comunidades que utilizam da medicina tradicional como remédios alternativos.“Por motivos pandêmicos (COVID-19) não foi possível ouvir os anciãos da comunidade, mas, depoimentos de agricultores locais que utilizam de plantas amazônicas como remédios alternativos enriqueceram da mesma forma na construção cultural amazonense”, comenta a produtora Isabelly Maria. A ideia do curta-metragem veio do contato dos idealizadores do roteiro, Dr. Ronaldo Silva e Vanessa Cidrônio, com comunidades tradicionais durante pesquisas etnobotânicas, onde foi observado a forte ligação desses povos com as tradições indígenas/caboclas de cura e prevenção de doenças em contraponto com a Medicina Tradicional Chinesa. A produção é realizada pela estreante Picote Produções que trás um olhar lento e contemplativo, sob direção e fotografia de André Cunha, montagem e som Lucas Carvalho. O filme tem data de estreia no dia 05 de novembro sendo exibido de maneira remota pelo canal da produtora. Pajelança Cabocla é um projeto contemplado pelo edital Cultura Criativa / Lei Aldir Blanc – Prêmio Encontro das Artes,2020. Ficha Técnica Direção e Fotografia – André Cunha Montagem e som – Lucas Carvalho Produção – Isabelly Maria Pesquisa – Vanessa Cidrônio Roteiro – Dr Ronaldo Silva Arqueóloga – Suzanne...

Leia Mais
O Lixo Transformado Em Arte celebra 18 anos do grupo Curumim na Lata
set29

O Lixo Transformado Em Arte celebra 18 anos do grupo Curumim na Lata

O curta-documentário O Lixo Transformado em Arte. O Lixo Transformado em Arte é um curta-documentário de 15 minutos sobre o grupo de percussão alternativa Curumim na Lata, que celebra 18 anos de existência transformando e educando pais e alunos no Centro de Artes e Educação (CMAE) Anibal Beça, zona Leste de Manaus, com ensino pautado em música e meio ambiente. Grupo de Percussão alternativa Curumim na Lata. No curta somos inseridos no bairro de São José Operário em uma aula de estudo sonoro do professor e idealizador Rámon Carlos Torres Valdez, venezuelano, que conta os anos de história do grupo e o processo de transformação, não só aplicada a reutilização de materiais descartados como instrumentos alternativos, mas, das crianças, jovens e famílias que frequentam o centro de artes do bairro para boas práticas de cidadania. Este material inédito será exibido no Espaço ECAM, Manauara Shopping – Av. Mario Ypiranga, 1300 – no dia 08/10 às 10h30, data que será realizada a exposição “Curumim na Lata: 18 anos de história, música e sustentabilidade” uma realização do CMAE Anibal Beça e Oca do Conhecimento Ambiental (SEMED). O curta foi contemplado pela Lei Aldir Blanc 2020 por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Amazonas. Ficha Técnica: Produção: Picote Produções Direção e fotografia: André Cunha Roteiro: André Cunha e Isabelly Maria Montagem e edição: André Cunha Captação e desenho de som: Lucas...

Leia Mais
‘A Escola Vai ao Teatro’ apresenta workshops
set01

‘A Escola Vai ao Teatro’ apresenta workshops

Serão ensinadas técnicas de Contação de Histórias, a História do Teatro e Criação de Personagens. “A Escola Vai ao Teatro 2021” A programação do projeto “A Escola Vai ao Teatro 2021” já está acontecendo no palco do Teatro Manauara proporcionando o contato com a arte do teatro, de forma gratuita. E esta 5ª edição apresenta mais uma novidade: Workshops sobre Teatro, abordando técnicas de Contação de Histórias, A origem e influência do teatro e Criação de Personagens, durante os dias 28 de agosto e 02, 04, 10 e 11 de setembro, no Teatro, localizado no Piso Buriti, do Manauara Shopping. As inscrições já estão sendo realizadas, gratuitamente, para professores, estudantes universitários e público ligado às artes cênicas, por meio do e-mail: projetoescola@teatromanauara.com.br ou pelo fone: (92) – 3342 8032, com vagas limitadas. O projeto tem apoio do Ministério da Cidadania, por meio da Secretaria Especial da Cultura, com patrocínio cultural da Bemol e InfoStore. WORKSHOPS TEATRAIS As palestras apresentarão “Técnicas de Contação de Histórias” – como ferramenta pedagógica e formação de plateia, a partir da aproximação dos alunos com a arte. Outro tema a ser abordado será “Da Grécia para o Mundo” – A origem e influência do teatro na história da sociedade ocidental ainda sobre “Criação de Personagem a partir do método Stanislaviski” – voltado para atores iniciantes e apaixonados pelas Artes Cênicas, através do estudo do primeiro livro da trilogia do sistema Stanislaviski “A Preparação do Ator”. O facilitador dos workshops será Roger Barbosa, técnico em Artes cênicas, formado como instrutor pelo SEBRAE AM, ator e professor de teatro com 27 anos de experiência e diretor da Interarte Escola, Produtora e Cia de Teatro;CONFIRA A PROGRAMAÇÃO DOS WORKSHOPS: · Dias 28/08 e 04/09 – de 9h às 11h – Técnicas para Contação de Histórias; · Dias 02 e 04/09 – de 19h30 às 21h – Criação de Personagem, a partir de Stanislaviski; · Dias 10 e 11/09 – de 19h30 às 21h – História do Teatro – Da Grécia para o Mundo. O projeto A Escola Vai ao Teatro A 5ª edição do projeto “A Escola Vai ao Teatro” já começou e terá mais apresentações gratuitas, durante os dias 30 e 31 de agosto e 1º de setembro, em sessões às 9h e 15h, no palco do teatro, localizado no Piso Buriti, do Manauara Shopping, para escolas da rede pública de ensino que realizaram agendamentos gratuitos, previamente. O projeto proporciona apresentações teatrais, com temáticas socioambientais e realização de workshops para público de interesse em artes cênicas, de forma gratuita.Durante as apresentações estão sendo seguidas as regras sanitárias preventivas do momento, visando a segurança e saúde dos participantes....

Leia Mais
Mulheres Yanomami discutem práticas e saberes tradicionais no acompanhamento da gestação, parto e pós-parto
ago18

Mulheres Yanomami discutem práticas e saberes tradicionais no acompanhamento da gestação, parto e pós-parto

Encontro promovido pelo Programa de Educação em Saúde da Secoya a partir de demanda das mulheres do rio Marauiá contou com parceria da FioCruz Mais de 40 mulheres e homens Yanomami oriundos de 10 comunidades (xapono) diferentes, localizados no município de Santa Isabel do Rio Negro, participaram do II Encontro de mulheres Yanomami do Rio Marauiá, realizado entre os dias 25 e 30 de julho de 2021 no xapono do Balaio, dentro do território indígena. O encontro, promovido pelo Programa de Educação em Saúde da Associação Serviço e Cooperação com Povo Yanomami (Secoya) em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz) compartilhou experiências e informações sobre as práticas e saberes tradicionais Yanomami no acompanhamento da gestação, parto e pós-parto. De acordo com a enfermeira Sylvie Petter, coordenadora do Programa de Educação em Saúde da Secoya, o processo de escuta representou uma primeira etapa do diagnóstico das necessidades locais para a compreensão das práticas tradicionais relacionadas à gestação, parto e pós-parto, além da identificação dos atores e as atrizes envolvidas no cuidado a mulher gestante e parturiente. “O encontro de mulheres do Rio Marauiá foi uma demanda das próprias comunidades, bem como da Associação Yanomami Kurikama, que identificamos ao longo do nosso trabalho com o povo Yanomami. No trabalho de fortalecimento da educação em saúde, abordamos a questão do parto e foi aí que percebemos o universo que se abriu para compartilharmos dos saberes e práticas próprias da cultura indígena. Agora, estamos identificando a ampliação de parcerias. A antropóloga Fabiane Vinente dos Santos, pesquisadora da FioCruz, destaca que mesmo não tendo uma presença tão visível nas instâncias da política de acordo com a visão dos brancos, são as mulheres Yanomami que cultivam as roças, cuidam das crianças e regulam a vida nas unidades familiares. “Nesse sentido, um encontro de mulheres Yanomami é uma forma de tornar mais visíveis as questões que permeiam este universo. Trata-se de uma atividade iniciada em 2017, quando foi realizada a I edição do encontro, uma demanda das próprias mulheres. O Encontro tem a participação dos homens e é uma oportunidade para eles ouvirem as questões do universo de suas companheiras, mães, filhas e netas. É um espaço voltado para a compreensão mútua”, explica. A pesquisadora ressalta ainda que a partir da convivência com as mulheres yanomami pode perceber a fortaleza com que exercem seu papel dentro das comunidades. “O espaço proporcionado pelo encontro é importante para expressar as demandas delas e que certamente gerará frutos importantes no futuro próximo”, completou. Construção de conhecimento Desde o ano de 2017, a Secoya vem desenvolvendo ações específicas voltadas ao fortalecimento da inclusão das mulheres no processo organizativo Yanomami....

Leia Mais
Lançamento do Aplicativo Lady Driver em Manaus
ago17

Lançamento do Aplicativo Lady Driver em Manaus

Hoje (17), às 18h, o Casarão da Inovação Cassina, localizado no Centro, abrirá suas portas para o lançamento do Lady Driver, aplicativo de transporte individual de passageiros feito exclusivamente por motoristas mulheres e para atender mulheres. O lançamento tem apoio da Secretaria Municipal do Trabalho, Empreendedorismo e Inovação (Semtepi) e terá a presença da CEO & Founder da startup Lady Driver, Gabryella Corrêa. O objetivo da plataforma é garantir oportunidade para mulheres que têm perfil empreendedor, beneficiando tanto as condutoras, que podem ganhar dinheiro dirigindo com segurança, quanto para as passageiras que finalmente podem ter um transporte no qual podem confiar. Com o lema “inspirado por mulheres para mulheres”, a plataforma foi implantada no Brasil em 2017 e, atualmente, está instalada em sete capitais do país, chegando agora em Manaus. As motoristas vão desde estudantes desempregadas até senhoras aposentadas que precisam complementar a renda. Serviço DATA: 17 de agosto (terça-feira) HORA: 18h LOCAL: Casarão da Inovação Cassina, End: Rua Bernardo Ramos e, R. Gov. Vitório – Centro CONTATO: Nicole Amorim – (92)...

Leia Mais
Manart lança estampa inspirada na obra de Rakel Caminha
ago13

Manart lança estampa inspirada na obra de Rakel Caminha

Manaus- Nesta sexta (13), a partir das 18h30 (horário de Manaus) através do site www.manartgaleria.com e redes sociais, ocorre o lançamento da mais nova estampa da Manart Galeria “ARTETEATRO”, inspirada na obra “Alterego da Amazônia- ArteTeatro” (2021) da artista visual Rakel Caminha, que faz referência, de uma forma pop, através de recortes e colagens, ao principal símbolo Cultural e Arquitetônico do Estado, o Teatro Amazonas, fundado em 1896, que preserva parte da arquitetura e decoração original, com estilo renascentista e eclético, tombado em 1966, como Patrimônio Histórico Nacional. Vida e Obra da Artista A Artista visual Rakel Caminha Autodidata e apaixonada pelas artes, desde a infância, além de publicitária por formação acadêmica, com passagem pelos cursos de direito e design (UFAM), a artista visual Rakel Caminha é uma das mais promissoras apostas do cenário das artes visuais local. Expressões altruísticas da artista visual Rakel Caminha Para Rakel, “Arte é expressão, é fazer com as mãos – ou com o corpo inteiro – e coração. Por isso, desde sempre, antes mesmo de que eu pudesse raciocinar sobre tal fato, eu gosto de me expressar: através da dança, do desenho, da escrita ou de qualquer outra coisa. Às vezes o processo é orgânico e intuitivo, às vezes é milimetricamente pensado. Mas quando ali está eu percebo que é uma parte de mim para o mundo, é uma forma de passar por ele, marcando-o da mesma forma que ele me marca.“ Em seus trabalhos, a artista costuma combinar linguagens diversas (não só artísticas) com muita liberdade e produz obras de grande expressividade, que de modo geral, unem pintura, colagem e técnicas gráficas, e promovem um diálogo poético entre o real e o surreal através de uma estética semiótica dedicada à arte, ao caos, aos sonhos e ao existencialismo, cujas principais referências estão mais voltadas para a arte contemporânea como cubismo, expressionismo e surrealismo. “Meus temas no geral são surreais, existenciais, brincam com a realidade. Esses últimos tempos, eu senti necessidade de falar mais sobre a natureza, ecologia e me dediquei a isso como uma forma de fazer a diferença para o mundo; já que estamos num ritmo que o planeta não aguenta. Se a arte toca e sensibiliza, ela também pode fazer refletir, impactar, mudar, florescer. “ Declara, Rakel. Uma artista de múltiplas fases Rakel Caminha, a camaleônica, a metamorfose múltipla da artista visual “Eu sou muito sensível. Um camaleão! Sou de Metamorfoses. De fases. Uma estudante da vida – e também apreciadora. Sou de fato muitas; muitas coisas, sentimentos, pensamentos – que se misturam. Sou quase tudo coração. Um pouco de razão. Busco me expressar para me entender melhor por dentro,...

Leia Mais