Zika: A gíria do azar invade o mundo

O termo Zica, no âmbito da gíria urbana, denota significações as mais variadas, chegando as compreensões e designações como coisa ruim, um problema, um desentendimento, baixo astral, mau presságio, mau agouro, pessoa azarada, sob maldição, todavia, também recebe, em certos contextos, o sentido de estado de ânimo de uma pessoa que é alegre, divertida, e que está sempre bem humorada. A pessoa que demonstra estar sempre “de bem com a vida” também é chamada de “zica do baile” ou “zica da balada”. Sua possível origem esteja na abreviação da palavra “ziquizira”.zika
Agora estamos, em nível mundial, na condição de Estado de Alerta por conta da OMS (Organização Mundial da Saúde) decretar que o Zica Vírus tem relação com a patologia da microcefalia e da Síndrome de Guillan-Barré, que é uma doença autoimune em que o sistema imunológico ataca o sistema nervoso por engano, que causa uma inflamação nos nervos e fraqueza muscular.

Ou seja, sua contração gera o comprometimento neurologia da criança em sua constituição ainda embrionária, de modo que são vitimadas pela perda e incapacitação de funções cerebrais irreversíveis. Assim, vivemos uma fase da história humana onde não é apenas a bomba atômica a única ameaça para a vida, mas essa Ogiva Viral Orgânica Zicosa cujo meio de ataque em nada lembra as maquinarias bélicas aéreas de grande porte e repletas de mecanismos e armas de morte, mas um aparente inofensivo e indetectável mosquitinho que se desenvolve em áreas tropicais com muita facilidade e fecundidade.

Agora o perigo não são os camelos-militares(caças, helicópteros, porta-aviões) mas os mosquitos-armas biológicas que de modo silencioso e letal afetam a capacidade humana de desenvolver sua faculdade de raciocínio, e consequentemente, de adquirir consciência da realidade de sua existência e sua autopercepção. Assim sendo, com a sua contaminação somos levados e submetidos a necrose mental e emocional, sepultados em vida, Zumbificados por esse Vudu Entomológico, mortificados em vida e condicionados a mortalidade do espirito ainda que respirando, visto que como resultados inexoráveis estão atraso mental, déficit intelectual, paralisia, convulsões, epilepsia, autismo e rigidez muscular.

Dias atrás, elucubrando sobre uma obra de caráter escatológico que estou começando a escrever, dialogava com meu enciclopédico brother Alan Kardec Cardoso, que, em sua análise, que eu concordei e agora os noticiários confirmam, logo tenderia a aparecer, ou por vias da produção intencional humana ou por conta da natureza se metabolizar, um recurso ou epidemia que causaria um ataque frontal e eliminação significativa à nossa espécie.

Uns dizem que o Zica é fruto da laboratoriedade farmacêutica visando, em uma só tacada, reduzir a população humana e vender vacinas, a mítica da Mão Invisível do Mercado a fim de lucrar, ou seria a Mãe Natureza que agora nos tratará como madrasta em razão de nosso comportamento abusivo e destrutivo de seu corpo e elementos.

De um modo ou de outros, agora, ao chegar aos meus trinta e quarto anos e as vésperas de ser pai, mas que nunca, vejo o apocalipse bater à porta, não com atitude de fanatismo ou desespero religioso, mas por ser consciente de que nesse século a morte procura as crianças não em suas berços mas nos ventres de suas mães, de modo a tornar o involucro da vida em cova de morte, pois para esses infantes o mundo acaba antes de começar.

Author: Daniel Fredson

Share This Post On
468 ad