Você já encontrou a essência da vida?

Uma hora ou outra nos deparamos com a ideia de que estamos vivendo a vida no “modo automático” e o CD já está repetindo várias e várias vezes. O tempo passa e você não enxerga seus avanços e conquistas ou pior que isso, não entende o porquê de sempre estar estagnado naquele ponto. E ao invés de sair desse ciclo vicioso, continua nessa caminhada onde não existe um final, mas que você sabe sempre onde começar a velha e cansativa rotina. Nas minhas andanças pelo Centro da minha cidade conheci um jovem artesão chamado Aldo, muito simpático, gente fina e me fez pensar sobre o que fazemos com as nossas vidas mesmo quando temos tudo a nossa que volta, mas na realidade, somos um baú vazio, sem valores e riquezas. Com apenas 19 anos, Aldo já passou por quatro países e atualmente está no Brasil, quando perguntei a finalidade de toda essa andança, me disse com uma simples palavra: Essência. Artesão para sobreviver, mas sua paixão verdadeira é a música, sempre ao lado carrega seu violão e quando termina o seu “expediente” possa tocar algumas músicas para sua plateia, o mundo, pessoas que vivem andando de lá para cá agonizado com seus afazeres, seja no escritório, na faculdade ou em suas próprias casas. “Tantas pessoas vivem em uma rotina, estudam, trabalham, procuram o conhecimento, mas vivem aprisionados por empresas que os obrigam a trabalhar 8 horas e no dia seguinte voltar para a mesma rotina, assim o tempo passa e o que essa pessoa acumulou? Quais sonhos realizou?”, questionou-me Aldo, enquanto com um pequeno alicate fazia o acabamento de um belo colar. Quando saiu de sua residência, defendeu o anarquismo, a revolta fazia parte, era opositor do sistema, porém, a experiência viu que o ódio não lhe era benéfico e agora, no momento de introspecção, procura estudar as filosofias do budismo e do hinduísmo, em busca de alto conhecimento e conhecimento do universo que nos rodeia. “Temos uma missão, temos que conhecer a nossa”. Foi o que me disse quase no fim de nossa conversa e é com isso que encerro quase no fim dessa matéria/texto/ou qualquer outra coisa.essencia

Author: Marcelo Rosa

Share This Post On
468 ad