poema na boca.
fev12

poema na boca.

  clitóris é a palavra mais poética que conheço infelizmente pouca gente gosta de poesia.

Leia Mais
7° Arte Rock e Putaria!
dez19

7° Arte Rock e Putaria!

Chegou o dia! Arte Rock e Putaria ganha sua sétima edição, a partir das 13h, com piscina, brincadeira e muitas atrações na Rio Negro Clube, na rua Epaminondas, próximo a Praça da Saudade, no Centro de Manaus. Música, comunicação, artes visuais e uma verdade que não está em todas as festas. Falar de putaria, não é só explicitar a liberdade, é acima de tudo, entender o outro e buscar o melhor diálogo com a vida. Quem foi nas edições anteriores sabe que se trata de uma legítima festa de rock. Os ingressos custam R$15 na bilheteria do local. Veja abaixo a programação e atrações confirmadas: Tarde13:00 Soulphia 14:00 Renegados Pelo Sistema 15:00 Morgados 16:00 Canhamukaya 17:00 Jander Manauara Noite18:00 Nematoides 19:00 Intervenções Literárias19:30 Projeções Cinematográficas.  20:00 Brutal Exuberância 21:00 Tudo Pelos Ares 22:00 The Stone Ramos 23:00 Zona Tribal 00:00 Danças Eróticas 00:40 Teatro 01:00 Platinados 02:00 Rolleta Rock 03:00 Antiga Roll Pintura Corporal:Jorge LiuHulkTeatro:Jorge BandeiraCinema:Francis Madson Literatura:Marcio SantanaVictor Hugo Auib Serrão Zé Maria PintoJalna Gordiano Celestino Neto Desenho:Laís Fernanda BorgesNicholas AdrianoMarcella Maia A Equipe do Xibé deseja a todos um excelente evento que nas próximas edições a diversidade consiga falar mais alto e o preconceito cada vez mais extinto. Um salve ao poeta Rojefferson Moraes pela resistencia num evento tão importante. Conte comigo sempre!  ...

Leia Mais
A puta que eu amo
ago07

A puta que eu amo

Me sinto obrigada a dizer que hoje me apaixonei de novo. Pela décima quinta vez essa semana. Trágico seria se não fosse pela mesma mulher. Ela é engraçada e sempre usa roupas menores do que seu estômago saltado. Fala pouco. Quase muda. Porém gosto quando ela conversa comigo usando as mãos. Gesticula muito bem. Sorri ás vezes. Suponho que seja para que eu volte a décima sexta vez. Ela não presta. Eu também não. É por isso que me faço acreditar que nascemos uma pra outra. A primeira vez que a vi não prestei muita atenção em seus detalhes. Só me recordo que usava os cabelos soltos – e sujos – como se estivesse escondendo a insanidade que carregava no olhar. Suas coxas grossas roçavam uma na outra, se pudessem sonorizar, com certeza aquele par de pernas seria capaz de produzi música melhor que Chopin. Suas unhas estavam borradas. Acho que ela anda muito ocupada para se preocupar com esses míseros detalhes. Gosto dela mesmo assim. A segunda vez que a vi foi engraçado. As mulheres que estavam do seu lado já não me faziam mais ficar em dúvida. A única certeza que eu tinha era ela. Como toda mulher, tinha burocracia. Passava por um homem e o entregava resquícios de dinheiro. O dinheiro fazia com que ele me desse uma chave. A chave do coração daquela mulher. Eu sabia que ela era minha. Quando ela abria as pernas sentia que ali era o meu lugar. Eu o fazia. Entrava e saía. Ela não esboçava nenhuma reação. E quando o nosso amor chegava ao fim, ela se vestia. Não mais de cinta-liga. Agora era um roupão. Lavava o meu portal da serenidade, voltava pra fila, colocava o cabelo na cara, fingia que sorria. Eu a deixava ali, pois sabia que meu dinheiro não dava para comprar aquela mulher todos os dias. Mas, eu voltaria, a visitaria. Aquela prostituta, é o amor da minha...

Leia Mais
Crônica da Frustração
jul23

Crônica da Frustração

Frustração: palavra forte e que indica umas das experiências mais dolorosas e amargas a se ter na vida: a de se frustrar. Ela pode vim sobre variadas roupagens e tons. Quando ela atinge diretamente o senso de existência e de estar no mundo, um vazio de sentido começa a invadir a mente e alma, as relações sociais perdem seu brilho e sabor, o cotidiano se torna um peso e nada do que se tem gerar o conforto da satisfação e do prazer. Tudo passa a ser escuro, triste e tedioso, e assim, com a frustração instalada nos labirintos da alma, o desejo é o de morte. Quando isso ocorre é porque se deixou de ver o lado positivo e feliz da vida, e se focou somente nas suas dolorosidades, e assim um ser dolorido e doloroso fica a vagar pela terra errante e frustrado. Todavia a frustração tem outros âmbitos mais específicos. Há aquela que nasce do contexto político-ideológico, que tem haver com depositar confiança em regimes políticos, em lideranças que prometem melhorar e fazer avançar a vida em sociedade, e por isso, dedica-se a legendas, acandidatos e movimentos que se colocam como representações que trariam a justiça, a paz e igualdade para todos. Mas depois de um tempo se percebe no partido amado a maquina de opressão, o messia-político se transforma no chefe de Estado mão de ferro e arrogante, e no movimento libertário no qual se confiava cegamente, nota-se a força de estrangulamento que a tudo que se seja liberdade sufoca. Outra frustração é a amorosa-afetiva, pois depois de um tempo de amor sublime, de namoro contente e livre, de casamento cúmplice e caloroso, segue-se um amor dominador, um namoro chato e controlador e um casamento enfadonho e infeliz. Quando isso ocorre, muitas são as lágrimas e as queixas. Outra forma de frustração é a erótica-sexual, quando na hora H a pessoa nem chega perto do Ponto G, se faz de tudo, carinhos, carícias, fantasias, caras, boca "naquilo" e "aquilo" na boca, mas nada consegue retirar a situação da brochagem vexatória, da incapacidade de levar ao prazer e sentir prazer com a pessoa com quem se está, e daí um olha para outro dentro do quarto e sente aquela frustração do desejo estimulado, mas não vivenciado de fato e de verdade como se queria. Isso fica pior se o caso for de reincidência. Brochar é sentir a frustração no nível da genitália. Assim, o jeito é vestir a roupa e digerir o acontecido, e começar a pensar a comprar Viagra. Outra natureza da frustração é no campo econômico-financeiro, que tem haver com investimentos de recursos, tempo, energia,...

Leia Mais
Putarias de carnaval
mar14

Putarias de carnaval

Carnaval, ah o carnaval e suas fantasias. Essa festa que começa na sexta e só para na quarta-feira de cinzas. Isso quando não emendam pra quinta que é um dia depois da quarta, pegando a sexta e sexta é sexta, começa tudo de novo e vai até domingo. Ou seja, carnaval na teoria dura de sexta à quarta, porem na pratica ele dura uma semana e um fim de semana. A maior festa brasileira encanta a todos que o prestigiam e às vezes os que não gostam acabam sambando e levantando o dedinho, coisa de gringo. É meio difícil dizer quem é gringo só pelo olhar, já que nossa nação recebe todo o mundo de braços abertos: branco, negro, pardo, amarelo, índio, entrando até no quesito opção sexual. É muito fácil ver no carnaval mulheres peladas, ou seminuas desfilando; também é comum ver travestis “montadas” de oncinha, enfermeira, entre outras fantasias. Isso já é comum e já esta virando até tradição. Agora, quando se vê um homem só de sunga, todo mundo olha e acha uma coisa de outro mundo. É ai que eu pergunto: por que mulher pode desfilar pelada (ou quase) e o homem não? Será que homem pelado na avenida é um atentado ao pudor? Ou será que homem travestido de mulher , mesmo sabendo que é homem, não gera pudor? São varias perguntas que nos fazemos no carnaval, ainda mais depois de uma noite de cachaça. Perguntamos, será que era homem ou mulher? Essas perguntas não vêm ao caso. O que eu quero perguntar é: a putaria do carnaval é legal? Interfere na relação de um casal? Ou no carnaval é tudo liberal? É comum no carnaval começar e acabar namoro. Já vi isso acontecer varia vezes. O casal finge uma briga pra terminar e curtir o carnaval, depois eles voltam ao normal como se nada tivesse acontecido.  E para os casais a confiança é segura? Quando o homem diz que vai pegar uma cerveja, será que é só uma cerveja ou tem uma loura por trás da cerveja? E quando a mulher diz: "Amor vou ao banheiro"? Será que é ela vai mesmo, ou vai pegar o marinheiro? São perguntas que se você fizer, vai ficar eternamente na dúvida. Sair sozinho no carnaval é confiável?  Não se pergunte isso, pois pode descobrir uma galhada. A melhor opção no carnaval é curtir. É o que nos resta. Mas para não ficar na dúvida ou para não ver o que não quer, é melhor ir para o outro lado da cidade, evitar andar onde a outra pessoa...

Leia Mais
Samba Enredo do Povo!
fev27

Samba Enredo do Povo!

  O país para pelo carnaval E não se importa com o que perde O país esquece seus problemas É para isso que o carnaval serve Esquecer com uma dose de ressaca Mesmo sem encontrar a solução O povo se diverte nas ruas e praças É o jeito fácil de iludir uma nação Nada contra! É ate divertido, Nada a favor! E orgulho-me disso. Os acidentes só aumentam A consciência no trânsito diminui, As doenças sexuais proliferam Sem camisinha, foliões festejam nus. Mas o carnaval é legal E aqui é levado muito a sério É Tão forte como a politica E tão Cego como a justiça Viva a cultura brasileira! Por onde o país é reconhecido Deus me livre sem o carnaval O nosso Brasil estaria perdido! Graças a Deus aqui tem carnaval Ainda bem que o povo é divertido Fica mais fácil para os governantes Tratarem o povo a “pão e circo” Ninguém vai reclamar mesmo Ora, o nosso povo merece. Não merece melhores condições E muito menos políticos honestos. Curtam e divirtam-se, Cuidem-se e previnam-se! Infelizmente... Ainda não entrei no espírito da coisa, Queria ter essa vontade toda Curtir as escolas de samba, E nos desfiles fazer a maior zorra E na quarta-feira de cinzas Só ouvir as noticias Da escola que ganhou Do grupo que perdeu O país parou por nada E o povo nem percebeu! Então no resto do ano O país volta a funcionar E o povo se lamentando Dá um tempo de sambar Problemas financeiros Falta de empregos, Injustiças e assaltos, Violência e os maus tratos Mas tudo isso já é normal Aqui não é o pais do carnaval? O samba enredo Do povo brasileiro É a escola de samba dos leigos. Cheios de bandas para curtir Cheios de bundas para olhar, Sem inteligência para aprender E sem sabedoria para ensinar...   Autor: Sid Sheldowt Escritor autor do livro O Apocalipse Tribal, editor do blog sobre bandas locais Caboclo Urbano, compositor e vocalista da banda Aves de Rapina Fotos: Rodrigo Tomzhinsky...

Leia Mais