Consciência negra e homenagem a Canserbero
nov19

Consciência negra e homenagem a Canserbero

A pele clara não esconde a consciência negra. O dia 20 de Novembro deve ser uma data de reflexão e mudança de comportamento sobre os seres humanos. O Mao Hostel abre suas portas e faz o convite para venezuelanos que estão em Manaus para uma noite de música latina e valorização da cultura. Nesta terça-feira (20), a partir das 23h haverá um evento em homenagem a Canserbero, um dos principais ícones do rap venezuelano. Canserbero foi um rapper e mobilizador social de Caracas que faleceu no ano de 2015. Márcio Cruz também conhecido como DJ e MC Fino é o anfitrião da noite. "O objetivo do evento é criar um ambiente permanente para nossos vizinhos latinos e dar a eles uma espaço vivo para manter a memória deles", explicou. A escolha da data não seria outra, aproveitar o Dia da Consciência Negra para a estreia do projeto foi intencional. "A data da consciência negra foi criada não apenas para negro, esse povo latino estão indiretamente escravo também precisa se conscientizar desta condição", acrescentou. Além de música latina a noite vai contar com apresentação de grupos de rap e outros convidados. O Mao Hostel fica na rua Barroso, 365, Centro (próximo ao Teatro...

Leia Mais
Exposição Tamurá estreia hoje na Casa das Artes
jul12

Exposição Tamurá estreia hoje na Casa das Artes

Depois de um momento triste, tem sempre aquele que lembra que a vida segue. Quando se trata de quem escolheu  viver reciclando lixo e transformando em percussão os passos dessa caminhada precisam ser seguidos. O luto de um amigo ganhou a força de uma homenagem e a reunião de entes que valorizam e agradecem ao que foi plantado. O artista da percussão Maurizio Torres será tema da exposição intitulada Tamurá Percuteria Maurizio Pessoa Torres Maumao, a partir de hoje, às 19h, na Casa das Artes que fica no Largo São Sebastião. O artista visual e figurinista Adroaldo Pereira comenta sobre a sincronia das pessoas envolvidas em relação a esta exposição. “É a continuação de uma ideia. Já dava pra sentir uma emoção especial quando o Bernardo me contou que a mãe do MauMao estava arrumando algumas coisas que eram dele. Sem saber o quê, já era possível imaginar que se tratava de fragmentos de projetos que foram interrompidos”, explicou. O cantor e compositor Magaiver Santos também participou desse mutirão e junto com o André de Moraes militam sobre o valor das palavras escolhidas por Maumao em relação a sustentabilidade. Antes mesmo do inicio da exposição, os artistas anunciaram em suas redes sociais a arrecadação de chaves e tampas de pet e o resultado é expressivo. Som de cachoeira feito com tampas de garrafa pet? Sim, o vilão do meio ambiente pode ter outro destino e ser ferramenta de transformação social para quem quer viver de música. Isso sem contar com as chaves de portas que já não se abrem, juntas, dão vida a outro produto. A abertura será as 19h com apresentações musicais e demonstração de objetos transformados em percussão. O artista Diego Batista idealizou uma caricatura em stencil. Também fazem parte da exposição projetos iniciados, palavras de homenagem e exibição de vídeos e acervos de amigos editados por Michelle Andrews. Ainda com pano de fundo na percussão, a trilha sonora da noite será com os percussionistas João Paulo Ribeiro e João Carlos Ribeiro. Pai e filho que transcendem unidos por sons e movimentos que lembram os anseios da natureza e o DJ Vini com um set percussivo embalando a noite. A exposição é gratuita e vai ficar em cartaz todos os dias de 15h às 21h até o dia 21 de Agosto. Durante todo o mês, serão resgatadas tampas de garrafa pet e chaves sem uso. Para esta ocasião os ativistas e músicos Marcelo Rosa e Diogo França assumiram a missão de produzir novos instrumentos de percussão. Ainda de acordo com Adroaldo, a exposição será mutável e interativa. "Toda semana, haverá uma apresentação musical com foco na percussão, semana que vem...

Leia Mais
MACONHA: O que você tem curiosidade de saber mas nunca teve coragem de perguntar
abr20

MACONHA: O que você tem curiosidade de saber mas nunca teve coragem de perguntar

Quem tem seda? On Jack Tall Back? Negativo. Em homenagem ao 20/4, aí vai um questionário de perguntas frequentes que os usuários da erva sempre precisam responder (nem sempre com tanta franqueza). Longe de mim fazer algum tipo de apologia ao uso, mas de fato, é que 20 de Abril de 2018, esse assunto precisa ser melhor difundido e quem sabe debatido nas rodas de conversas por aí! Porque consumir maconha? Acredito que esta seja a pergunta mais subjetiva do questionário, ela abre a série de perguntas justamente para evitar a polêmica que foi tão massificada de que a erva era a porta de entrada para outras drogas. Quando na verdade deveria ser uma escolha voluntária como beber refrigerante ou comer carne vermelha. O uso medicinal ou recreativo ainda divergem nas opções de consumo, é por isso que o Estado não deveria interferir nisso. O estimado livre-arbítrio deveria ser fator principal de decisão. Meu corpo, minhas regras. A opção de fumar se tornou mais popular, fazendo com que pessoas que odeiam cigarros, charutos ou tabaco em geral, abrir mão e fazer o uso assim mesmo. Qual o principal efeito?   Maconha é o nome popular de uma planta chamada Cannabis, dentro de tantas variações algumas delas possuem ações diferentes no corpo. Além do formato, ‘Sativa’ ou ‘Indica’ cada uma tem uma concentração especial, por exemplo: a sativa otimiza do humor e desperta uma vontade de encarar a vida com mais tranquilidade. Expressão de sentimentos e até potencializa alguns. Como num dia triste, em que pode sim dar uma experiência mais reflexiva. Já a Indica tem o poder mais relaxativo, (In couch / no sofá), praticamente um presente pro corpo após uma longa jornada de trabalho e até meio analgésico. Quanto tempo fica no corpo? Consumir o THC (TetraHidro Canabinol - principio ativo que dá o barato) pode variar para chegar ou ir embora. Seguindo os padrões tradicionais como fumar um baseado, o efeito dura em média duas horas, tem gente que consegue sentir até 8 horas depois do consumo. Se for fazer um exame toxicológico pode ficar alguns dias. Em caso de ingestão na comida, pode ser até mais rápido.  Capsulas, chás, óleos, foram desenvolvidos para uso medicinal em tratamento de doenças como mal de Parkinson, Alzheimer, anorexia, glaucoma e outras que comprometem o sistema psicomotor no corpo.  Qual o risco de dependência? Moderado. A predisposição em dependência química pode incentivar o cidadão a querer consumir muito, mas geralmente, a dependência é física. Você gosta, você usa. Conheço pessoas que por opção abriram mão por meses e até anos sem nenhum dano físico. A máxima que dizem “paro quando quiser”...

Leia Mais
Festival somAS Parada Musical de Mulheres
mar06

Festival somAS Parada Musical de Mulheres

"somAS _ PARADA MUSICAL DE MULHERES" é uma ação para o estímulo e desenvolvimento do trabalho de mulheres na música na cidade de Manaus/AM. A plataforma, idealizada e gestionada pelo grupo Coletivo Difusão, pretende desenvolver ao longo do ano de 2018, ações de formação e fomento artístico com foco nas profissionais que compõem o cenário da música. Em sua primeira ação a plataforma somAS, em lembrança ao Dia Internacional de Luta das Mulheres, propõe o Festival SomAS, com programação artística exclusivamente protagonizada por mulheres e atividades de formação na área da música/cultura também dedicada à essas profissionais. De 07 a 10 de março de 2018, mulheres artistas e profissionais criativas compartilharão conhecimentos e vivências na área da música, além de ocuparem espaços com shows e baladas produzidas e pautadas por essas trabalhadoras. O Festival abre sua programação no dia 07 de março, com o evento ‘Sonora Local’, onde a dupla de rap Lary Go & Strela (que convidam a novata Rose MC) e a cantora/guitarrista/compositora Renata Martins, apresentam suas músicas e trocam ideias com o público presente sobre seus trabalhos, no Local Hostel Manaus. No dia 08, Dia Internacional de Luta das Mulheres, o Festival engrossa as ações do 8M Manaus, que compreende Marcha de Mulheres e atividades artística. E no mesmo dia, integrada ao Festival SomAS, acontece também a festa Batuke, produzida pela DJ e produtora Luana Aleixo, com line up, só de mulheres (Carol Pedrosa, Melka Franco, Lary Gaynett e Alba Marcela), no Buteko Itaúba, Centro de Manaus. A produtora também realiza a balada Noventonna, que acontece no dia 09 de março, no Imperial Pub e também integra o Festival. E exatamente no dia 08 de março, acontece o show #RespeiteAsManinhas, apresentando uma mostra dos trabalhos das artistas amazonenses Elisa Maia, Kely Guimarães e Karen Francis. As três, apresentam em momentos diferentes repertório baseados em seus trabalhos lançados: EP Ser da cidade, da cantora Elisa Maia (a artista também apresentará algumas músicas novas que farão parte de seu novo álbum que está em fase de produção); o álbum Crescente, lançado em 2017 por Kely Guimarães; e o EP Acontecer, que a estreante Karen Francis, de apenas 18 anos, acabou de lançar nas plataformas digitais. O show inicia às 20h e o acesso é gratuito. E encerrando a programação, as cantoras/produtoras Anne Jezini, Márcia Novo, Kely Guimarães e a DJ Luana Aleixo, também compartilham conhecimento, numa maratona de formação de novas artistas, com as respectivas atividades: painel ‘Da composição às plataformas digitais’; painel ‘Uma carreira, vários empreendimentos’; oficina ‘Musicalizando o corpo’; e a oficina ‘Discotecagem para minas’. A fotógrafa Juliana Pesqueira e a artista visual Mayara Andrade, ainda...

Leia Mais
Hoje tem: Debate Por mais negros e negras na política!
fev24

Hoje tem: Debate Por mais negros e negras na política!

Pantera Negra, #BlackLivesMatter, #OscarSoWhite, esses são alguns dos termos que ficaram em evidência nos últimos anos quando se fala em projeção da população negra. Em sua maioria os temas são ligados à cultura pop, braço da indústria cultural que aprendeu a atender demandas de pessoas que não se sentem representadas nos outros produtos, mas e na política e espaços de decisão, como anda essa representatividade? É através dessa pergunta que o Coletivo Rosa Zumbi propõe no sábado, 24, o debate “Vamos de preto – por mais negros e negras na política”. O evento acontece das 15h às 17h no Caua da Ufam. A mediadora do papo, Priscila Carvalho, destaca que debater é fundamental: “Favorece na medida que faz a gente compreender melhor a inserção nos espaços de privilégio. De se perceber como população negra nesse processo, além disso, entender que a desigualdade social é muito interligada à desigualdade racial no Brasil”. A assistente social pontua ainda que estatisticamente é possível apontar as desigualdades de representação com o recorte étnico no país. Uma das convidadas para compor a mesa de debate, Michelle Andrews, também destaca o viés estatístico: “Segundo o IBGE pelo menos 54% da população brasileira se declara como negra ou parda. E é um indicador que nos assusta em como essa população não está representada no exercício dos seus direitos civis”. Segundo o coletivo organizador, o “Vamos de Preto” é um debate sobre como equilibrar essa representação, saindo de índices estatisticamente irrelevantes para uma representação efetiva que seja equivalente na porcentagem de cadeiras no congresso, por exemplo. “O ‘Vamos de preto’ é um evento que mostra que nesses espaços de decisão política é preciso equilibrar essa representação. Esses espaços eu falo que são fóruns, poder Legislativo, diretorias de empresa, no setor público em geral”, reflete...

Leia Mais
Tá Boa Bonita! Bloco Cultura LGBT+
fev22

Tá Boa Bonita! Bloco Cultura LGBT+

Tá Boa Bonita é o nome do bloco Cultura LGBT que será no dia 03 de março, a partir das 14h em frente ao Les Artistes Café-Teatro, localizado na avenida Sete de Setembro, Centro. O evento tem a entrada gratuita e vai até 23h. A programação conta com apresentação de Maria Moraes e Emerson Munduruku com performance artistica. Shows da cantora Elisa Maia e banda, Rodrigo Baroque e banda. Dupla de MC's revelação manauara Lary Go & Strela.  Continua lendo e confira todo mundo que está na realização do evento! DJS Luana Aleixo Ademar Marinho MERM.ADE Marcelo Nobre Rhanna Evans Alana Zuany PERFORMANCE AUDIOVISUAL Projeto Aram VÍDEO INSTALAÇÃO AQUI - Keila Serruya EXPOSIÇÃO Paulo Mendes MAPPING Rodrigo Duarte PERFORMANCE Efêmera - Fran Martins RODAS DE CONVERSA - Vida de Transexuais Importa - ASSOTRAM - LGBTFOBIA - Marília Freire - Direitos Humanos - Tiana Amiles - Saúde Lésbica - Assistente Social Keth Prestes - Políticas Públicas LGBT+ - Gabriel Mota - Conselheiro Municipal da Juventude LGBT e gerente Manifesta LGBT+ - Processos Criativos para Emancipação Feminina - Michelle Andrews - Coletivo Difusão - Saúde Trans - John Elton Santos - Presidente Associação Amazonense de Saúde Mental e Psicólogo no Coletivo O Gênero - PEP e PrEP - Raphael Rodrigues - Responsável técnico pela PEP e PrEP - Coordenação Estadual de IST/AIDS/HV do Amazonas. APOIO Secretaria Cultura do Amazonas Tá Boa Bonita Bloco Cultura LGBT+ ASSOTRAM Penélope's Drive Coletivo Difusão Miga,Sua Lôca Festival Cultura LGBT CPA - Centro Popular do Audiovisual Naty Veiga Sonora Music Manifesta LGBT+ Vdr...

Leia Mais