Que tal uma trilha noturna na floresta?
set27

Que tal uma trilha noturna na floresta?

Depois do sucesso do lançamento, o Museu da Amazônia promove pela segunda vez o percurso noturno nas trilhas da floresta. A programação é uma experiência surpreendente mesmo para quem já visitou o Musa outras vezes. Durante a noite os animais têm comportamentos diferentes e o passeio vira uma verdadeira aula prática de biologia. A caminhada noturna nas trilhas será neste sábado (30/9). A atividade começa às 17h com a contemplação do pôr do sol do alto da torre de observação. São 42 metros de altura com visão privilegiada do topo das árvores. Depois será feita a caminhada com instrutores pelas trilhas do Musa. Uma oportunidade única de conhecer mais sobre a floresta, seus sons e os hábitos de muitos animais à noite. Para participar é preciso fazer agendamento.  As vagas são limitadas e é necessário que todos usem roupas adequadas para a atividade. O participante deve vir com calça comprida, camisa de manga longa, sapato fechado (tênis ou bota), boné ou chapéu, além de usar repelente e trazer uma lanterna (de mão ou de cabeça). Esses materiais não serão oferecidos pelo Musa. Esta programação está aberta apenas para maiores de 18 anos.   Quando? 30/09 (sábado) Onde? Museu da Amazônia, Av. Margarita (antiga Uirapuru), s/n - Cidade de Deus – Manaus Programação: 17h00 - subida na torre de observação para contemplação do pôr do sol. 18h30- Instruções para a caminhada noturna. 18h30 às 20h00 - Caminhada nas trilhas do Museu da Amazônia. Inscrições: (92) 3582-3188 / 99280-4205 /agendamento@museudaamazonia.org.br Valor: R$ 80,00 por pessoa VESTIMENTAS E EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS: - Calça comprida; - Camisa de manga longa; - Sapato fechado (tênis ou bota); - Boné ou chapéu; - Lanternas (de mão ou de cabeça); - Repelente Musa - Museu da Amazônia Av. Margarita (antiga Uirapuru), s/n Cidade de Deus – Manaus (AM) CEP: 69099-285 Telefones: (92) 3582-3188 e (92)...

Leia Mais
Exposição fotográfica: Dorival Vai Não
ago22

Exposição fotográfica: Dorival Vai Não

A Chopperia Curupira convida a todos para celebrar seu primeiro ano de vida com música, chopp gelado e uma vasta programação cultural. O aniversário do Curupira engrossa o caldo da programação de 4 dias do 6o Fórum de Bicicletas Manaus do Pedala Manaus. Com o tema Bicicleta e a Comunicação: DA SENSIBILIZAÇÃO ÀS PEDALADAS, se inicia no dia 22 de agosto na Federação das Indústrias do Estado do Amazonas – FIEAM com cerimônia de abertura e palestras com membros da Prefeitura Municipal de Manaus e com Enrique Peñalosa, da Prefeitura de Bogotá, no dia 23 e 24 de agosto, na Fundação Amazônia Sustentável - FAS, exposição fotográfica: Manaus Pedala – Ciclovias Invisíveis, oficina de Comunicação Rodas da Paz (Para imprensa, acadêmicos e profissionais da comunicação) e Painel Comunicação e a Bicicleta: Comunicar para Mudar. No Curupira, a programação se inicia no dia 23 de agosto, quarta-feira, às 21h com a Exposição Fotográfica do projeto Dorival, apresentará a subjetividade do homem com as catarses floridas pela música da Banda Academia da Berlinda, nela terá projeções do VJ ManGa RoSa (Marcelo Rosa) e fotografias da produtora Cachorro Enrolado (Adroaldo, Francisco e Diogo) junto com a produção de lambe-lambes durante o evento nas redondezas. O atalho sonoro ficará por conta do Clóvis e Maomau. No dia 25 de agosto, o encerramento das atividades do 6o Fórum de Bicicletas Manaus e celebração do primeiro aniversário. O grupo do Pedala Manaus sairá de bicicletada do Parque dos Bilhares até a Chopperia Curupira, Rua Barroso, Centro. O local vai contar com palco na rua para programação cultural que se inicia com o grupo de Maracatu Pedra Encantada e depois shows dos artistas locais como Alaíde Negão, a neguinha que faz todo mundo balançar, Pororoca Atômica que faz tudo virar carnaval e os garimpeiros do brega, The Stone Ramos. O Pedala Manaus ainda vai sortear bicicletas pra ir pedalando pra casa! Apoio do Curupira na Cena Regional No carnaval de 2017 apoiou a 1a edição do Bloco DuRegional onde os ensaios abertos da batucada Gogó de Arraia foram realizados em frente a Chopperia Curupira e o local disponibilizou os equipamentos técnicos para realização do evento. O apoio se expande também para a cultura afro, o grupo de maracatu, Pedra Encantada, também realiza ensaios abertos em eventuais sextas-feiras com apoio do...

Leia Mais
Exposição Xamânico de Diego Batista na Casa da Pamonha
jul06

Exposição Xamânico de Diego Batista na Casa da Pamonha

A magia da arte para afirmar a história e memória dos primeiros habitantes desta terra, Xamânico é um ato expositivo de arte contemporânea assinado pelo artista Diego Batista, em cartaz na Casa da Pamonha até o dia 30 de Julho. A proposta encabeça a valorização da cultura de povos ancestrais do continente Sul Americano que vem sofrendo genocídios ao longo de anos de conquistas e invasões sofridas em suas terras e cultura. Xamânico são sete bandeiras com figuras indígenas de etnias Kayapó, Yanomami, Ashaninka, Kaxinawa, Matis, todas de domínio público, disponíveis na internet. Também podem ser identificadas intervenções técnicas de pichação com mensagens que salientam as atuais causas políticas, como demarcação territorial e reconhecimento dos primeiros habitantes. Para Diego, a escolha de bandeiras como tela são uma forma de quebrar a regra da moldura clássica, "faço questão imprimir uma mistura de conceitos, colocando a rua para dentro do espaço expositivo,. Claro que como suporte de bandeira, também se mistura com as causas indígenas, é um homenagem. Afirmo como parte da minha história, dos meus pais, do meu continente", argumentou. A abertura da exposição contou com declamação de poesias de Zémaria Pinto e um pocket show de Mauri Marques com base no livro/CD Lira da Madrugada. As obras estão disponíveis para a venda, os valores vão de R$15 a R$300. A Casa da Pamonha fica na rua Barroso, 375, Centro, o horário de funcionamento é de 7h às 19h, com cardápio vegetariano. A técnica também foi aplicada em outros quadros com a mesma temática disponíveis para venda. O Estencil é uma técnica de pintura e reprodução de imagens utilizadas por um molde. "Exames de raio-X antigos são exemplos de reaproveitamento, faço as estampas artesanalmente e consigo manter uma boa durabilidade", explicou. Sobre o artista Diego Batista Gama é um artista amazonense que teve suas primeiras manifestações artísticas com teatro, na Companhia Vitória Régia de Teatro, além de exercer a função de ator, atualmente ele também executa as funções na produção, cenografia e adereços. Habilidades do teatro e dança, foram desenvolvidas quando esteve na Companhia Visse & Versa de Ação Cênica em Rio Branco-AC, Companhia Indios.com em Manaus e Lokombia, grupo de teatro e andanças de Roraima. Pico de Jaca é o trabalho das estampas artesanais, murais, bandeiras e artes visuais como um todo, são assinados por sua marca, o propósito é contudo, difundir técnicas de grafitti e estêncil com reaproveitamento de materiais e roupas. Contatos para entrevistas ou compra das obras: (92)...

Leia Mais
Marcha pela Resistência Indígena no Amazonas
abr19

Marcha pela Resistência Indígena no Amazonas

Resistência Indígena. Passagem pela avenida Mário Ypiranga! A Marcha da Resistência Indígena no Amazonas 2017 Conheça as entidades: Rede do Fórum de Educação Escolar Indígena (Foreeia) Fundação Estadual do Índio Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab) Fundação Nacional do Índio (Funai) Coordenação dos Povos Indígenas de Manaus e Entorno (Copime) Instituto de Articulação de Juventude da Amazônia (Iaja) Ufam Associação das Mulheres Indígenas do Alto Rio Negro (Amarn) Conselho Indigenista Missionário (Cimi) Pastoral Indigenista da Arquidiocese de Manaus (Piama) Movimento dos Estudantes Indígenas do Amazonas (Meiam) Aproximação é nossa função. SALVE DIA DO...

Leia Mais
Elas são (+) que o P.O.D.E.R.!
abr19

Elas são (+) que o P.O.D.E.R.!

Programa de Reorientação, Desenvolvimento, Empoderamento e Resultados (PODER) é a proposta de mulheres que buscam autoconhecimento, reflexão sobre paradigmas e o enfrentamento dos desafios lançados no mundo feminino. O II Coaching Day para Mulheres é um evento que tem como propósito o aumento da autoestima e autoconfiança, para que as mulheres descubram o seu poder e consigam chegar aonde sempre sonharam. Não ter tempo para si mesma é uma das principais queixas entre as mulheres nos dias atuais. De fato, não é tão simples lidar com a acelerada rotina que inclui uma grande carga de trabalho, responsabilidades domésticas, relacionamentos pessoais e, para muitas delas, criação dos filhos. Mas a falta de tempo não é o único desafio do mundo feminino. Decisões relacionadas à carreira, às questões financeiras e à satisfação com a vida são algumas preocupações que podem, e devem ser gerenciadas para alcançar o bem-estar. E é nesse processo de autoconhecimento e controle que o Coaching Day para Mulheres ajuda a dominar e superar os problemas. O Grupo "O Poder em Suas Mãos" é uma parceria entre Francilucia Santos (Adm e Coach), Fabíola Pedraça (Psicóloga e coach), Lorena Schmitz (Psicóloga e coach) e Raquel Cunha (Psicóloga e coach), 4 Mulheres com formação em Psicologia, Administração e Coaching, compartilhando conhecimento em diversas áreas, desenvolvendo palestras temáticas, workshops, encontros e oficinas seja para públicos livres e também sob demanda das empresas. De acordo com Fabíola sobre a importância do evento na sociedade em que vivemos. "As mulheres estão expostas a muitos desafios, mas não fomos preparadas para isso e as vezes temos tendência a desistir, deprimir, fraquejar e esse empoderamento feminino por meio do coaching promove não só o autoconhecimento quanto também a quebra de paradigmas, principalmente em casos de decisão", explicou. A estrutura é pensada em um dia de imersão, com a aplicação do P.O.D.E.R - Programa de Orientação, Desenvolvimento, Empoderamento e Resultado. "É assim que vamos cumprir nossa missão de vida, contribuir para a transformação das pessoas, extrair potencialidades e direcionar para a auto realização, isso sim é felicidade, o que todos buscamos afinal de contas", acrescentou Fabíola. A possibilidade de cumprir as obrigações sem deixar de lado o lazer e o bem-estar é real. Depois de auxiliar no diagnóstico de seu estado atual e na identificação de onde se deseja chegar, o Coaching Day para Mulheres trabalha a gestão do tempo e energia a fim de que se consiga a organização necessária para a execução e conclusão de projetos. I Coaching Day O objetivo final de todo esse processo é otimizar a saúde e o desempenho profissional, prezando pela felicidade. Dessa forma, será possível melhorar a qualidade...

Leia Mais
Conheça o Keloide no DaVárzea das Artes
jan06

Conheça o Keloide no DaVárzea das Artes

  Keloide vem do nome biológico Queloide, uma cicatriz protuberante avermelhada e que geralmente incomoda por ser esteticamente indesejável. O evento de estreia será hoje, a partir das 21h no espaço cultural DaVárzea das Artes, no Parque Dez, em Manaus. O nome Keloide dá vez a um projeto que surge com a ideia de problematizar, trazendo na bandeira o diferencial de oferecer mais conteúdo cobrando menos. Daí surgiu o conceito do Coletivo Keloidal formado por Rômulo Paixão, Amanda Zuany e Matheus Mady. De acordo com Rômulo, incluir minorias é uma das propostas "É uma desconstrução! Uma analogia com a resistência às opressões e ao que é colocado como feio e indesejável diante de uma cidade que ainda encontramos um muro conservador de festas branco-normativas", explicou o organizador que também garante uma nova pegada urbana modernizada.   O som da festa seguirá das vertentes da música eletrônica, onde podemos encontrar o estilo conhecido como techno industrial que prima pela utilização de ruídos, sons inesperados e estruturas antimelódicas (uso de fontes não-musicais, como sintetizadores e guitarras distorcidas, timbres metálicos, ruídos plásticos, sons de sucatas entre outros sons tirados de instrumentos "não-convencionais"). Junto com ele também entram o Dharma o som noise/synth de Moga. Continue lendo para saber mais sobre a programação.  A ligação cultural com essa atividade é exclusivamente underground e vanguardista, sendo valorizados elementos da arte moderna como abstracionismo, dadaísmo e surrealismo, além de uma mentalidade contracultural.   O que rolar na pista ficará por conta de Dj sets e além disso também haverá a divulgação de trabalhos autorais de artistas locais como o projeto ARAM que é um duo eletrônico experimental. Ainda na trilha sonora tem o minimal techno Funkadona, ainda no comando do som MADY , também na pegada industrial/techno TVYRUS performances de MAWÚ E UÝRA SODOMA, um trabalho audiovisual de Ellen Alencar que foi produzido especialmente para o evento, exposições do artista Francisco Ricardo e um Live Painting que em tradução livre significa Pintando ao vivo, pela artista Nadja Kristhina do Coletivo Golden Girls de Manaus.      " É muito importante também o espaço das mulheres no nosso evento, desde a responsável do espaço, até segurança, dj's, artistas... é um espaço sem preconceitos, homofobia, racismo, machismo, etc". (Rômulo Paixão, um dos fundadores do Coletivo Keloidal). O projeto Coletivo Keloidal, sendo novo, despretensioso nesse diferencial de desconstrução iniciou bem tímido. Porém para surpresa de Rômulo, ao apresentarem a proposta ganhou o apoio de alguns artistas que se identificaram com a ideia. Este primeiro momento, a dedicação está focada no ativismo do coletivo Keloide, futuramente não descarta a possibilidade de novos eventos ligados ao mesmo. Esperamos que o público, que já tem se portado...

Leia Mais