Companhia Trilhares inaugura salas de espetáculos no Domingo Cultural
maio31

Companhia Trilhares inaugura salas de espetáculos no Domingo Cultural

   A sede da Companhia Trilhares abre suas portas para realizar mais uma edição do Domingo Cultural. A programação acontece neste domingo (2), das 14h às 19h, na Rua Belo Horizonte, n. 1321, bairro Adrianópolis, e é um marco para cena teatral manauara, pois inaugura a sala de espetáculo ‘Ednelza Sahdo’, em homenagem à atriz e diretora conhecida como Dama do Teatro Amazonense.  Para a diretora executiva da Cia. Trilhares, Rafaela Margarido, o Domingo Cultural é um evento para toda família. “A programação acontece uma vez por mês e a ideia é juntar o teatro, canto, circo, artes plásticas em uma grande tarde envolvendo todos os públicos, tanto infantil, quanto adolescentes e adultos”, disse. Entre os espetáculos que irão se apresentar estão ‘O Palhaço de La Mancha’, da Cacompanhia, e ‘A Conselheira da Rainha’, encenada pelo núcleo de atores mirins da Cia. Trilhares.  Ainda na programação ocorrerão oficinas de slime, teatro, fotografia, maquiagem e acrobacia. O passaporte que garante acesso ao evento pode ser adquirido na sede da Cia. Trilhares e custa R$ 20. Confira abaixo a programação completa.   Programação Sala Ednelza Sahdo 14h às 16h – Oficina de Improviso 16h30 – Concurso de Cenas Curtas 18h30 – Espetáculo Palhaço de La Mancha Sala Maria Clara Machado 14h – Voz e Violão 15h30 – Música ao vivo com Teen Girls 16h – Espetáculo A Conselheira da Rainha Sala Silvia Orthoff 15h às 16h – Oficina de Slime 16h – Oficina de Criação de Personagens (Character Design) Serviço O que: Domingo Cultural na Companhia Trilhares Quando: Domingo, 02 de junho, das 14h às 19h Quanto: R$ 20 Onde: Sede da Trilhares (Rua Belo Horizonte, n. 1321, bairro Adrianópolis) Classificação:...

Leia Mais
Gabriel Daluz: Do Rap para outros lugares sonoros
maio23

Gabriel Daluz: Do Rap para outros lugares sonoros

Partindo da cultura hip hop e periférica, de onde o rap traduz boa parte da vivência de quem é de lá, o cantor, compositor e prodígio produtor musical Gabriel Daluz, lança a faixa Capitu, seu primeiro trabalho em 2019, envolta numa atmosfera vaporwave eletrônica. Figura pouco vista ainda nos bailes do estilo pela cidade, mas assíduo na produção de suas próprias músicas e de outros artistas do cenário rap de Manaus, o jovem artista Gabriel Daluz, agora com 22 anos, lançou em 2017 seus primeiros singles (Algumas palavras e Margarida) e a mixtape Marco Zero. A mixtape foi totalmente produzida e gravada pelo cantor e contou com participações de veteranos do rap amazonense como Igor Muniz e SPreto. Em 2018, além de colaborar em outros projetos, Gabriel ainda lançou as faixas Buquês, em parceria com Wesley Simplício e Buquês 2 - essa segunda em parceria com os rappers Nixon $ilva e Hud. Em 2019 o artista ainda empreende com seu selo, a gravadora Fita Wave, com serviços de produção, gravação, mixagem e masterização. Daluz prevê mais lançamentos esse ano, colaborando em músicas com os artistas amazonenses Victor Xamã, Vinícius Abílio, Ian Lecter e Elisa Maia. Gabriel Daluz, que assina sua rima com melodias, agora se arrisca em batidas para além do rap e se apresenta como cantor, incorporando outras nuances à sua composição e jeito de cantar. A faixa Capitu, que faz referência ao clássico Dom Casmurro, de Machado de Assis, na sonoridade se contrapõe usando elementos da música eletrônica, aliada à uma estética vaporwave, que é caracterizada por um ambiente nostálgico do que seria futurista no auge dos anos 80 e 90. A faixa já está disponível em todas as plataformas digitais (Spotify, Deezer, ITunes, Google Play) e também no canal do YouTube do cantor. Confiram a faixa capitu aqui Gabriel Daluz na internet: Facebook - facebook.com/ogabrieldaluz YouTube - bit.ly/YouTubeGabrielDaluz Instragram - @daluzft Fita Wave (selo): Site - fitawave.wixsite.com/fitawave Instragram - @fitawave...

Leia Mais
A Gastronomia Ancestral Amazônica em São Gabriel da Cachoeira [parte 3]
abr28

A Gastronomia Ancestral Amazônica em São Gabriel da Cachoeira [parte 3]

Para finalizar este registro da nossa expedição pelo Alto Rio Negro. Aproveito para vender o "meu peixe", o  curso de “Tipologia de Serviço – Garçom Básico” e o “Atendimento e Camareiro”. Neste caso, contribuiu para o aumento da qualidade dos serviços prestados e as suas ações focadas na qualificação e na gestão sustentável do efetivo do exército. Com o aperfeiçoamento de profissionais no local de treinamento realizado orientei as equipes no aperfeiçoamento contínuo de suas competências, hoje requeridas para a entrega de serviços de qualidade. No último dia do estágio realizamos o serviço de mise en place à brasileira e a inglesa indireta com o uso do guéridon para a proposta gastronômica de peixe para  500 militares, outro pedido do responsável pela cozinha – Moqueca de Surubim, para deixar o sabor da carne um pouco mais marcante, defumou parte do Surubim e na Moqueca resolvemos dar um toque do sabor Amazônico, colocamos tucupi preto com formiga (muito utilizado lá) e jambu. Além  do toque picante com pimenta jiquitaia, também de São Gabriel da Cachoeira, fechando assim as aulas práticas e teóricas. A despedida foi emocionante, todos comovidos e realizados diziam que tínhamos ensinado muito para eles, mas eu tenho a certeza de que aprendemos muito mais do que ensinamos! Aproveitamos para ir até a feira local e experimentar o prato mais tradicional e antigo da região, o “KIÑAPIRA”, um peixe cozido apenas com pimentas regionais. Pensávamos em um prato extremamente picante, porém ao experimentar notamos que após segundos de forte ardor, o mesmo sumia deixando o sabor do peixe bem suave, um prato extraordinário pela sua simplicidade no preparo e complexidade no paladar. Acompanhado de dois beijus deliciosos, chega a manteiga derrete! Paladar este que me remeteria a retornar a escrita no barco expresso e a continuar minha viagem de volta a terras manauaras, no exato momento em que o almoço é servido tendo como plano de fundo a exuberante floresta amazônica, sobremesas como doces de compota e frutas regionais que enriquecem o cardápio. O Sol ressurge, a luz nos guia e a floresta abençoa, sirvam-se e um bom almoço a todos os ribeirinhos, caboclos, parentes e tudo pela...

Leia Mais
Domingão com a Feira do Hip-Hop Manaus
mar30

Domingão com a Feira do Hip-Hop Manaus

Neste domingo tem a Primeira Feira do Hip Hop de Manaus, a partir das 10h, no Complexo Turístico da Ponta Negra bem ao lado da Pista de Skate. O evento vai reunir todos os elementos que compõem o Hip Hop e leva força à comunidade no combate a violência. O idealizador do evento e responsável pelo projeto Opção Sonora, é o Márcio Cruz, o DJ e MC Fino, veterano na militância do conhecimento o anfitrião convida todos os artistas e amantes do Hip-Hop para comparecer e fortalecer a iniciativa. "A feira é uma proposta de união de quem está fomentando a arte em cada um dos elementos e também para sensibilizar a importância na formação de opinião da sociedade quanto a violência urbana", acrescentou. A programação vai até às 19h e conta com os principais grupos de Rap, batalha de MC's, grupos de dança, grafitti e sorteio de brindes das marcas apoiadoras. A próxima edição da feira será no final de Abril, no Parque dos...

Leia Mais
Bloco da Tombação 2019
mar28

Bloco da Tombação 2019

Idealizado e produzido pela DJ e produtora amazonense Naty Veiga, a Miga, Sua Lôca Festival de Cultura e Diversidade, apresenta o Bloco da Tomação 2019. O evento, que tem acesso gratuito, acontece nos dias 30 e 31 de março na Casa das Artes, no Largo de São Sebastião e propõe música, debates e outras interferências. A ideia do evento, totalmente protagonizado por mulheres é ainda engrossar o mês de lembrança de luta das mulheres. Só sábado, 30, a programação inicia  às 15h, com o set da DJ Naty Veiga, especialmente preparado para o evento, destacando uma música feminista, feitas por mulheres do cenário musical brasileiro. E de 17h às 19h acontecem as rodas de conversas com os temas, ‘Feminicídio e Violência contra a mulher: o papel da rede de proteção’, mediada por Marklize Santos e Erika Carmo; ‘Saúde da Mulher - Violência Obstétrica Manaus’, mediado pelo Humaniza Coletivo Feminista; ‘Saúde Mental da Mulher Negra Lésbica’, mediada por Dandara Lorena, do grupo Encrespa Geral - Manaus; e ‘Saúde Mental da Mulher Negra Bissexual’, mediada por Raescla Ribeiro, da Coletiva Banzeiro Feminista’. A DJ Naty Veiga também fecha o sábado com seu set feminista. Já no domingo, a música das mulheres dá o tom do evento, com a participação da cantora Elisa Maia, que apresenta seu novo set voz&notebook, propondo uma experiência mais intensa e íntima com músicas que farão parte de seu próximo álbum; a MC Anna Suav, que apesar de amazonense, atua no cenário musical paraense, onde reside atualmente; a cantora Karen Francis, jovem revelação da música amazonense, que interpretará as músicas de seu EP Acontecer; e a cantora Bel Martine, forte atuante do cenário noturno da música amazonense. Ainda acontecem os sets da DJ Naty Veiga, dessa vez tocando repertório de AfroHouse e Black Music  e a DJ Carolina Blois, tocando Brasilidades, em seu set exclusivo de vinil. No evento também estará a A Uni Manas, que é um projeto que tem como principal objetivo arrecadar absorventes descartáveis para detentas, visto que muitas vezes o Estado não fornece o suficiente. O Bloco da Tombação receberá doações de absorventes nos dois dias. O Bloco da Tomação 2019 é uma realização da Miga, Sua Lôca Festival de Cultura e Diversidade, com apoio de Humaniza Coletivo Feminista, Encrespa Manaus, Coletiva Banzeiro Feminista, Coletivo Difusão, Secretaria de Cultura do Amazonas - SEC-AM, 8M Manaus e Una LGBT Amazonas. PROGRAMAÇÃO RODAS DE CONVERSA - 30 DE MARÇO ( Sábado ) – 15h Abertura e encerramento: Dj Naty Veiga ( Música feminista ) Feminicídio e Violência contra a mulher: o papel da rede de proteção - Marklize Santos e Erika Carmo - 8M -...

Leia Mais
Motirõ convida mulheres para falar desse ‘Tal de Empoderamento’
mar26

Motirõ convida mulheres para falar desse ‘Tal de Empoderamento’

Uma noite para falar sobre o Universo Feminino sem mimimi. As jornalistas (e arianas) Mazé Mourão e Emyle Araújo abrem a temporada de Encontros do Motirõ com o tema “Esse Tal Empoderamento”. O encontro será realizado no dia 28 de março (quinta-feira), às 18 horas, no Piaf Restaurante Café - localizado na Rua 10 de Julho, 443, ao lado do Teatro Amazonas, Centro. As vagas são limitadas e o passaporte custa R$ 100, com brunch assinado pelo espaço. Com tanta correria, fica difícil tirar um tempo e olhar pra dentro de si. Pensando nisso, o objetivo do bate-papo é promover esse reencontro e esclarecer que o “poder feminino” sempre esteve ali, independente de Feminismo declarado ou de Dia Internacional da Mulher.  Programação  O evento será dividido em quatro partes. A abertura fica por conta da educadora em aromaterapia - também ariana - Danyelle Almeida. Ela é técnica em enfermagem, designer de Moda, artesã e, durante a gestação, fortaleceu sua conexão com a Natureza. Com isso, aproveitou a chegada da primeira filha para revelar mais uma paixão: óleos essenciais e meditação.  Através de sua experiência, Danyelle vai conduzir exercícios de visualização e desmistificar a meditação como algo místico ou religioso. “As práticas podem ser realizadas sentadas na sala do trabalho ou deitadas antes de dormir, por exemplo. A tecnologia nos fez esquecer como pequenos momentos são transformadores quando o assunto é autocuidado e amor próprio”.  Na sequência, a jornalista e empreendedora Emyle Araújo traz um diálogo sobre o poder do pensamento e a força do planejamento na concretização de metas traçadas. A co-fundadora da marca Aikaz defende, a partir do discurso de que todo ser humano é multipotencial, que a mente é protagonista entre o ato de escolher e fazer acontecer. “Demorei muito tempo para abandonar o sentimento de culpa por não me sentir completa sendo só jornalista ou só empreendedora em moda. Hoje, eu percebo que posso contribuir com outras pessoas que buscam fortalecer-se enquanto donas do próprio negócio, mas também enquanto mulheres convictas dos próprios objetivos”.   Empoderamento em pauta  A escritora, jornalista, apresentadora de televisão e membro da Academia Amazonense de Letras, Mazé Mourão sempre esteve à frente de seu tempo e, como feminista nata - embora abra mão do título - fecha a noite com uma reflexão urgente: O que é esse tal empoderamento? Embora o movimento pareça novo, a ‘Nega’ (como costuma ser chamada) convida o público para entender que a ‘atitude empoderada’ sempre existiu. “O que mudou, talvez, é que mais mulheres têm se sentido fortes para enfrentar os desafios do mundo. Vamos descobrir lá!”, brinca a palestrante mais aguardada da noite.   Motirõ é gente...

Leia Mais