Festival “Um ato de amor” reúne artistas neste Domingo em prol de pacientes com Câncer em Manaus
ago21

Festival “Um ato de amor” reúne artistas neste Domingo em prol de pacientes com Câncer em Manaus

Ajudar ao próximo, promover a conscientização acerca da prevenção do câncer e mostrar que a música também tem responsabilidade social, esses são os principais objetos do festival de artes integradas "Um ato de amor" que será realizado no próximo domingo, dia 25 de agosto, a partir das 16h, no Morada das Artes localizado na rua Constelação Ustra Maior, número 12, Conjunto Morada do sol com atrações musicais e atividades artísticas diversas, além de palestras com especialistas que atuam na prevenção e combate ao câncer. A programação do evento conta apresentação e animação de Ícaro Pimenta, Oyama Filho e Jaque Santtos e com shows da banda Alaídenegão, o cantor e compositor Nicolas Júnior, grupo Cordão do Marambaia, Banda Flow que se apresentará com a cantora Jaque Santtos, o duo musical Elias Moreira e Aline Fagan, show do cantor Marcos Paulo, performance musical do Dj John Cavalcante e Tiago Silva (Sax) e muitas outras atrações cujos repertórios passeiam por diferentes estilos e influências musicais como carimbó, beiradão, rock, pop, soul, música popular brasileira é muito mais, o evento também recebe a exposição "Ensaio Lírico" da fotógrafa Bárbara Umbra, palestras com o Cirurgião Plástico, doutor Euler Ribeiro Filho sobre Câncer de Mama e apresentação da sua banda,a "Doutor Bactéria", um bate-papo com o Oncologista JeannCarlo Silva sobre como ele atua na luta contra o câncer. Outro grande momento da programação é o desfile de mulheres que resgataram a sua auto-estima após vencerem o câncer e que hoje servem de força e inspiração para outras mulheres que estão em tratamento e que por inúmeros motivos ou situações adversas se sentem deprimidas ou sem motivação para seguir ou buscar ajuda. No desfile, essas mulheres passam a mensagem de que não é nada fácil enfrentar um câncer, seja ele qual for mas que é possível vence-lo com muita fé, determinação, disciplina e claro, com ajuda, preparo e acompanhamento médico. Um leilão solidário de uma obra do artista plástico Cláudio Andrade, cujas pinturas se caracterizam por traços leves e cores vibrantes que enaltecem a fauna e flora amazônica, também está previsto para a tarde do evento. A beleza dos quadros de Andrade lhe deu a fama e hoje, além de Manaus, o pintor tem trabalhos expostos e à venda em galerias de São Paulo e Paris. O artista estava afastado da pintura, há aproximadamente dez meses, devido um impedimento de saúde mas com o intuito de colaborar com a proposta do evento pintou e doou um quadro inédito pintado por ele recentemente, e o cedeu para leilão durante a tarde do festival.  A obra é avaliada no valor de R$10.000,00. A motivação para a realização deste...

Leia Mais
Do Blues ao Punk: Vultos Vicerais
jul26

Do Blues ao Punk: Vultos Vicerais

Cá estou eu de volta ao notebook para apresentar-lhes um novo som. Não tão novo assim, a banda foi formada em 2016 com a proposta de fazer um rock alternativo regional com a sujeira punk com uma pegada blues. Este final de semana o quarteto se apresenta na programação da Virada Sustentável, às 20h, no Palco do Monte das Oliveiras, localizado na rua Guarapuava, 73, bairro Monte das Oliveiras, Zona Norte de Manaus. A Vultos Viscerais é  composta atualmente por quatro integrantes, são eles, Tiago Smokers (vocalista), Caio Cinético (Guitarrista), Ed júnior (Baixista) e Jeff Willer (baterista). Formada em 2016, o vocalista da banda, Tiago Smokers, vindo com uma bagagem musical de peso no cenário do rock manauara por conta da sua antiga banda, Dexter Chapado, resolve dar uma nova roupagem musical já em sua nova banda, com influências claras ao Blues, punk, Tango, Stone Rock, Hard Rock anos 70, RockaBilli, MPB, rock Nacional, reggae, soul music, música psicodélica e influências regionais, a banda decide lançar seu primeiro CD: Vultos Viscerais Volume I. Com mais de 2.000 mil cópias vendidas no cenário manauara, a banda vem fazendo shows em todos os espaços undergrounds em Manaus, difundindo cultura através da música autoral, composta em solo amazonense. A banda Vultos Viscerais traz claramente em suas músicas a subversão do ser humano. Em suas letras, os sentimentos são expostos de uma maneira visceral, mostrando ao seu público que todos nós somos feitos de carne, osso e coração. É nesta pegada que rola a identificação com o público que, aliás, vem crescendo a cada dia, pois nós temos a preocupação de ocupar espaços distintos em todas as zonas da cidade, inclusive nos espaços mais periféricos, oportunizando a possibilidade de mais pessoas conhecerem a visceralidade do nosso som. No primeiro disco, composto por seis faixas, que retratam o convívio e cotidiano social e moral das pessoas, inclusive, sexualmente, resumindo assim os dilemas humanos de uma forma existencialista e empírica, não seguindo necessariamente seguindo um contexto conceitual das questões sociais que abarcam o cotidiano. Pra quem ficou curioso em conferir o som da Vultos Vicerais dá uma olhada no videoclipe que tá no canal no...

Leia Mais
Já conhece o trabalho dos Paikicés do Caprichoso?
jun24

Já conhece o trabalho dos Paikicés do Caprichoso?

A primeira alegoria levada para a concentração do Bumbódromo foi o módulo, com Nossa Senhora do Carmo, do artista Makoy Cardoso. Artistas e paikicés (empurradores de alegorias) do Boi Caprichoso realizaram uma procissão, com a alegoria de Nossa Senhora do Carmo, do galpão até a concentração do Bumbódromo na manhã de hoje(24), dia de São João Batista. No início do translado das estruturas, os artistas Makoy Cardoso e Juarez Lima, tomados de muita emoção, conduziram a alegoria, com orações, toadas, raça e força para pedir proteção divina. “Vamos levar Nossa Senhora do Carmo para que nos proteja neste festival, proteja os artistas do Caprichoso e do contrário e que o Caprichoso seja tricampeão”, clamou Makoy Cardoso. O presidente do Boi Caprichoso, Babá Tupinambá, se emocionou ao ver o primeiro módulo de alegoria deixar o galpão. O módulo, de 25 metros de altura, com a imagem da padroeira, o fez lembrar sua primeira função no boi azul e branco, de empurrador de alegoria. Babá Tupinambá é o primeiro paikicé a se tornar dirigente do touro negro bicampeão de Parintins. Ao ser abordado pelos jornalistas, ele lembrou das dificuldades da temporada. “Empurrador de alegoria, foi assim que minha história começou... Eu sempre quis fazer o melhor por esse boi. Só peço que Deus nos abençoe, nos conduza às três noites, sem acidentes. É isso que queremos, fazer um festival bonito, um festival que nos dê esse tão esperado sonho que é o título de tricampeão. Eu confio muito em Deus, eu confio muito em nossos artistas”, comentou o dirigente, em meio as lágrimas. Juarez Lima, com um terço na mão conduziu os paikicés e artistas como se estivesse em uma procissão. Ao chegar na concentração do Bumbódromo, o artista se ajoelhou diante da arena e, em silêncio, fez orações. De acordo com um dos diretores de arena do Boi Caprichoso, Zandonaide Bastos, 165 empurradores de alegorias fazem o translado de 120 módulos para as três noites de espetáculo. "Estão sendo conduzidos para a concentração as alegorias da primeira e segunda noite do festival",...

Leia Mais
Companhia Trilhares inaugura salas de espetáculos no Domingo Cultural
maio31

Companhia Trilhares inaugura salas de espetáculos no Domingo Cultural

   A sede da Companhia Trilhares abre suas portas para realizar mais uma edição do Domingo Cultural. A programação acontece neste domingo (2), das 14h às 19h, na Rua Belo Horizonte, n. 1321, bairro Adrianópolis, e é um marco para cena teatral manauara, pois inaugura a sala de espetáculo ‘Ednelza Sahdo’, em homenagem à atriz e diretora conhecida como Dama do Teatro Amazonense.  Para a diretora executiva da Cia. Trilhares, Rafaela Margarido, o Domingo Cultural é um evento para toda família. “A programação acontece uma vez por mês e a ideia é juntar o teatro, canto, circo, artes plásticas em uma grande tarde envolvendo todos os públicos, tanto infantil, quanto adolescentes e adultos”, disse. Entre os espetáculos que irão se apresentar estão ‘O Palhaço de La Mancha’, da Cacompanhia, e ‘A Conselheira da Rainha’, encenada pelo núcleo de atores mirins da Cia. Trilhares.  Ainda na programação ocorrerão oficinas de slime, teatro, fotografia, maquiagem e acrobacia. O passaporte que garante acesso ao evento pode ser adquirido na sede da Cia. Trilhares e custa R$ 20. Confira abaixo a programação completa.   Programação Sala Ednelza Sahdo 14h às 16h – Oficina de Improviso 16h30 – Concurso de Cenas Curtas 18h30 – Espetáculo Palhaço de La Mancha Sala Maria Clara Machado 14h – Voz e Violão 15h30 – Música ao vivo com Teen Girls 16h – Espetáculo A Conselheira da Rainha Sala Silvia Orthoff 15h às 16h – Oficina de Slime 16h – Oficina de Criação de Personagens (Character Design) Serviço O que: Domingo Cultural na Companhia Trilhares Quando: Domingo, 02 de junho, das 14h às 19h Quanto: R$ 20 Onde: Sede da Trilhares (Rua Belo Horizonte, n. 1321, bairro Adrianópolis) Classificação:...

Leia Mais
Gabriel Daluz: Do Rap para outros lugares sonoros
maio23

Gabriel Daluz: Do Rap para outros lugares sonoros

Partindo da cultura hip hop e periférica, de onde o rap traduz boa parte da vivência de quem é de lá, o cantor, compositor e prodígio produtor musical Gabriel Daluz, lança a faixa Capitu, seu primeiro trabalho em 2019, envolta numa atmosfera vaporwave eletrônica. Figura pouco vista ainda nos bailes do estilo pela cidade, mas assíduo na produção de suas próprias músicas e de outros artistas do cenário rap de Manaus, o jovem artista Gabriel Daluz, agora com 22 anos, lançou em 2017 seus primeiros singles (Algumas palavras e Margarida) e a mixtape Marco Zero. A mixtape foi totalmente produzida e gravada pelo cantor e contou com participações de veteranos do rap amazonense como Igor Muniz e SPreto. Em 2018, além de colaborar em outros projetos, Gabriel ainda lançou as faixas Buquês, em parceria com Wesley Simplício e Buquês 2 - essa segunda em parceria com os rappers Nixon $ilva e Hud. Em 2019 o artista ainda empreende com seu selo, a gravadora Fita Wave, com serviços de produção, gravação, mixagem e masterização. Daluz prevê mais lançamentos esse ano, colaborando em músicas com os artistas amazonenses Victor Xamã, Vinícius Abílio, Ian Lecter e Elisa Maia. Gabriel Daluz, que assina sua rima com melodias, agora se arrisca em batidas para além do rap e se apresenta como cantor, incorporando outras nuances à sua composição e jeito de cantar. A faixa Capitu, que faz referência ao clássico Dom Casmurro, de Machado de Assis, na sonoridade se contrapõe usando elementos da música eletrônica, aliada à uma estética vaporwave, que é caracterizada por um ambiente nostálgico do que seria futurista no auge dos anos 80 e 90. A faixa já está disponível em todas as plataformas digitais (Spotify, Deezer, ITunes, Google Play) e também no canal do YouTube do cantor. Confiram a faixa capitu aqui Gabriel Daluz na internet: Facebook - facebook.com/ogabrieldaluz YouTube - bit.ly/YouTubeGabrielDaluz Instragram - @daluzft Fita Wave (selo): Site - fitawave.wixsite.com/fitawave Instragram - @fitawave...

Leia Mais
A Gastronomia Ancestral Amazônica em São Gabriel da Cachoeira [parte 3]
abr28

A Gastronomia Ancestral Amazônica em São Gabriel da Cachoeira [parte 3]

Para finalizar este registro da nossa expedição pelo Alto Rio Negro. Aproveito para vender o "meu peixe", o  curso de “Tipologia de Serviço – Garçom Básico” e o “Atendimento e Camareiro”. Neste caso, contribuiu para o aumento da qualidade dos serviços prestados e as suas ações focadas na qualificação e na gestão sustentável do efetivo do exército. Com o aperfeiçoamento de profissionais no local de treinamento realizado orientei as equipes no aperfeiçoamento contínuo de suas competências, hoje requeridas para a entrega de serviços de qualidade. No último dia do estágio realizamos o serviço de mise en place à brasileira e a inglesa indireta com o uso do guéridon para a proposta gastronômica de peixe para  500 militares, outro pedido do responsável pela cozinha – Moqueca de Surubim, para deixar o sabor da carne um pouco mais marcante, defumou parte do Surubim e na Moqueca resolvemos dar um toque do sabor Amazônico, colocamos tucupi preto com formiga (muito utilizado lá) e jambu. Além  do toque picante com pimenta jiquitaia, também de São Gabriel da Cachoeira, fechando assim as aulas práticas e teóricas. A despedida foi emocionante, todos comovidos e realizados diziam que tínhamos ensinado muito para eles, mas eu tenho a certeza de que aprendemos muito mais do que ensinamos! Aproveitamos para ir até a feira local e experimentar o prato mais tradicional e antigo da região, o “KIÑAPIRA”, um peixe cozido apenas com pimentas regionais. Pensávamos em um prato extremamente picante, porém ao experimentar notamos que após segundos de forte ardor, o mesmo sumia deixando o sabor do peixe bem suave, um prato extraordinário pela sua simplicidade no preparo e complexidade no paladar. Acompanhado de dois beijus deliciosos, chega a manteiga derrete! Paladar este que me remeteria a retornar a escrita no barco expresso e a continuar minha viagem de volta a terras manauaras, no exato momento em que o almoço é servido tendo como plano de fundo a exuberante floresta amazônica, sobremesas como doces de compota e frutas regionais que enriquecem o cardápio. O Sol ressurge, a luz nos guia e a floresta abençoa, sirvam-se e um bom almoço a todos os ribeirinhos, caboclos, parentes e tudo pela...

Leia Mais