MACONHA: O que você tem curiosidade de saber mas nunca teve coragem de perguntar
abr20

MACONHA: O que você tem curiosidade de saber mas nunca teve coragem de perguntar

Quem tem seda? On Jack Tall Back? Negativo. Em homenagem ao 20/4, aí vai um questionário de perguntas frequentes que os usuários da erva sempre precisam responder (nem sempre com tanta franqueza). Longe de mim fazer algum tipo de apologia ao uso, mas de fato, é que 20 de Abril de 2018, esse assunto precisa ser melhor difundido e quem sabe debatido nas rodas de conversas por aí! Porque consumir maconha? Acredito que esta seja a pergunta mais subjetiva do questionário, ela abre a série de perguntas justamente para evitar a polêmica que foi tão massificada de que a erva era a porta de entrada para outras drogas. Quando na verdade deveria ser uma escolha voluntária como beber refrigerante ou comer carne vermelha. O uso medicinal ou recreativo ainda divergem nas opções de consumo, é por isso que o Estado não deveria interferir nisso. O estimado livre-arbítrio deveria ser fator principal de decisão. Meu corpo, minhas regras. A opção de fumar se tornou mais popular, fazendo com que pessoas que odeiam cigarros, charutos ou tabaco em geral, abrir mão e fazer o uso assim mesmo. Qual o principal efeito?   Maconha é o nome popular de uma planta chamada Cannabis, dentro de tantas variações algumas delas possuem ações diferentes no corpo. Além do formato, ‘Sativa’ ou ‘Indica’ cada uma tem uma concentração especial, por exemplo: a sativa otimiza do humor e desperta uma vontade de encarar a vida com mais tranquilidade. Expressão de sentimentos e até potencializa alguns. Como num dia triste, em que pode sim dar uma experiência mais reflexiva. Já a Indica tem o poder mais relaxativo, (In couch / no sofá), praticamente um presente pro corpo após uma longa jornada de trabalho e até meio analgésico. Quanto tempo fica no corpo? Consumir o THC (TetraHidro Canabinol - principio ativo que dá o barato) pode variar para chegar ou ir embora. Seguindo os padrões tradicionais como fumar um baseado, o efeito dura em média duas horas, tem gente que consegue sentir até 8 horas depois do consumo. Se for fazer um exame toxicológico pode ficar alguns dias. Em caso de ingestão na comida, pode ser até mais rápido.  Capsulas, chás, óleos, foram desenvolvidos para uso medicinal em tratamento de doenças como mal de Parkinson, Alzheimer, anorexia, glaucoma e outras que comprometem o sistema psicomotor no corpo.  Qual o risco de dependência? Moderado. A predisposição em dependência química pode incentivar o cidadão a querer consumir muito, mas geralmente, a dependência é física. Você gosta, você usa. Conheço pessoas que por opção abriram mão por meses e até anos sem nenhum dano físico. A máxima que dizem “paro quando quiser”...

Leia Mais
O Hip Hop é o Lugar!
abr03

O Hip Hop é o Lugar!

O Hip Hop tomará o Teatro Amazonas nesta terça - feira (03/04) com o espetáculo "O Hip Hop é o lugar" que contará com a participação dos 4 elementos da cultura Hip Hop e suas vertentes. A ocupação começará na parte externa do Teatro às 17 horas com Graffiti ao vivo na participação da Graffiteira Deborah Erê confeccionando um painel. Painel esse que irá compor o cenário do espetáculo, que iniciará às 20 h tendo como trilha a banda Manauaras em extinção , DeeJay Carapanã e Marcos Tubarão. O Break ficará por conta da NATIVOS CREW , além da presença da vertente Beat Box, Popping e as participações de Abner Viana e Robson Andrei Ambrósio nos metais. O publico (na entrada) deixará temas para os rimadores de improvisos entrarem na interação com o espetáculo no palco. A entrada será gratuita, mas por opção haverá doação de 1 kg de alimento à Casa Mamãe Margarida. O espetáculo foi contemplado com o edital de ocupação dos espaços abertos 2018 da Secretaria de Cultura do Estado do Amazonas (SEC - AM) e será uma realização Nativos Crew Produções/ Origenas...

Leia Mais
Victor Moreira eleito Melhor do Volei 2017
mar15

Victor Moreira eleito Melhor do Volei 2017

O atleta amazonense Caio Victor Moreira Cunha recebeu o prêmio de Melhor Jogador nível Universitário representando o Voleibol. Aluno de Educação Física da Uni Nilton Lins, Victor é o único amazonense na lista de Melhores do Ano na temporada de 2017. A eleição é realizada pela Confederação Brasileira de Desporto Universitário que elege o melhor atleta de cada esporte por temporada. A premiação aconteceu na noite de ontem (14), no Auditório do Ministério do Esporte, em...

Leia Mais
Tudo que você precisa saber sobre a Nerd Party
mar15

Tudo que você precisa saber sobre a Nerd Party

01. Nerd Party É festa! Prepare-se para um evento que vai mudar o seu conceito sobre diversão. Um dia inteiro com tudo que os nerds de plantão curtem e ainda mais um pouco. O objetivo e agregar valor às culturas da dança, artes visuais, cinema, games e música com influências orientais. 02. Data e horários  Dia 25 de março de 2018 de 10h às 20h. Resuminho: Exibição de filmes pela manha e palestras a tarde. Disputa entre cosplayers no fim da tarde. Apresentação de dança no estilo K-Pop durante todo o dia. 03. Local  Escola Estadual Senador Manoel Severiano Nunes, na avenida J, Alvorada 2, próximo à Delegacia de Roubos e Furtos. 04. Palestras Uma imersão no universo geek da atualidade. Conversa aberta sobre blogs, assuntos e dicas infalíveis para seu vlog bombar na web. 05. Exposições  Lojinhas, sebos e colecionadores estarão a postos para apresentar todas as novidades no assunto. Também vai rolar a exibição dos filmes da Liga da Justiça na sequencia. Música e muita coreografia de dança da musica popular japonesa . 06. Convidados e participantes  O passaporte para o evento é R$5, sendo que crianças de até dois não pagam. O convite para os cosplayers é aberto, mesmo que não queira competir. Star Wars maníacos não perdem por participar do game de conhecimento. Isso também vale para os fãs de Harry Potter. 07. Alimentação O evento permite a entrada de alimentos mas se você não quiser se preocupar, durante toda a programação haverá stands de venda com comidas e bebidas a preços populares. No menu vai desde sushi, salgados, doces e comidinha regional que todo mundo ama. Detalhe: Proibida a entrada e comercialização de bebidas...

Leia Mais
Que tal um passeio turístico e gastronômico pela Amazônia?
mar09

Que tal um passeio turístico e gastronômico pela Amazônia?

O Projeto tem a parceria filantrópica entre o chefe Dedé Parente e o restaurante comunitário Sumimi, na comunidade de Cuieiras no Rio Negro, para aproximar a iniciativa popular regional e local, a cultura gastronômica milenar indígena, os costumes comunitários, com o profissionalismo de uma grande rede de restaurantes que já avançou pelo restante do País levando a gastronomia do Norte. Localizado no Rio Negro, as margens da Boca do Rio Cuieiras, na Comunidade Três Unidos (aldeia Kambeba), o restaurante Sumimi vem se destacando pela sua gastronomia indígena sob o comandoda Chef Miskui Kuira com apoio filantrópico do Chef Dedé Parente, do Grupo Dedé.O evento começa domingo, dia 11 de março e será realizado no segundo domingo de cada mês com a capacidade máxima para quarenta pessoas, este é um passeio que terá translado, brunch, recepção, arquearia, trilha, shopping da selva, lazer na praia, redário e um almoço especial feito pelas chefs da tribo kambeba com a companhia do renomado chefe Dedé Parente. O Restaurante Sumimi é uma iniciativa de um grupo de 10 mulheres indígenas da Comunidade de Cuieiras, que de forma comunitária construíram e mantém um restaurante local que visa atender os viajantes, turistas e aos que circula pelas águas do Rio Negro, a proposta é atual, alinhada com objetivos globais de distribuição de renda e melhoria da vida social, inclusão da mulher no ambiente de negócio, além de ecologicamente também alinhada com princípios globais, quando de forma bastante consciente se destacam pelo cuidado com os resíduos, a higiene e organização ambiental do negócio. De acordo com a Chef Miskui a parceria está dando muito certo, pois elas puderam fundir a própria culinária indígena com a culinária do Dedé, amazônica, e assim surgiu o prato Fani, que foi apresentado na Figa 2017 se tornando um grande sucesso desta mistura de culinárias, afirma. O Grupo Dedé vem através desse projeto dando suporte filantrópicoao restaurante, com a finalidade de transferir tecnologia, conhecimentos e práticas de empreendedorismo, legislação, técnicas de gastronomia e claro recebe a troca de conhecimentos e técnicas utilizadas há séculos pela cultura indígena na culinária, além do imenso retorno social que é para o Grupo apoiar uma iniciativa de tanto estímulo para metas globais tão almejadas pela sociedade na atualidade. A saída será as 8hs de Manaus pela Marina do Davi, Ponta Negra e o retorno será as 16 hs. O passaporte esta sendo vendido no valor de R$ 150,00, pelo fone: 99214-2382 – Cleverton e serão vendidos somente 40 passaportes no passeio ao restaurante Sumimi. ROTEIRO DO ALMOÇO – 11.03.18 08:00 Saída da Marina do Davi 09:30 Recepção: Brunch na chegada 10:30 Arqueiro (arquearia) Trilha curta Shopping...

Leia Mais
Mulheres vão às ruas no 8 de Março em Manaus
mar08

Mulheres vão às ruas no 8 de Março em Manaus

Pela igualdade de gênero e contra a violência, mulheres indígenas, brancas, pretas, cisgênero, lésbicas, transexuais e transgênero irão às ruas neste 8 de Março, Dia Internacional da Mulher, em defesa dos direitos trabalhistas, à saúde, à segurança e a luta contra as privatizações e retirada dos direitos da previdência, em Manaus. O ato Paralisação Internacional das Mulheres. Perda de Direitos? Eu não aceito! começa às 15 horas com a concentração na Praça da Saudade, no centro da cidade. A partir das 16h, as manifestantes caminham em marcha até o Largo São Sebastião, onde haverá a partir das 18h o show Ouvindo nossas vozes! com as apresentações de grupos de danças: Circular do Espaço Feminista Uri Hi, Maracatu Baque Mulher Manaus, Mara Pacheco, Cia de Dança Uatê e Kirar (Dança conosco); de música com Kamylla Vitória, Catarina; performance da atriz Maria Moraes; poesia com Mulheres In Rima feat Rebeca, Carol Calderaro e Roselayne Castro; além do show de Melany Marinho. O ato Paralisação Internacional das Mulheres. Perda de Direitos? Eu não aceito! é organizado por movimentos sociais, fóruns, ativistas, organizações sindicais e coletivos feministas do Amazonas. Foi de movimentos assim que as mulheres conquistaram no Brasil o direito ao voto em 1934. Com o período da Ditadura Militar, de 1964 a 1985, as mulheres começaram a se organizar em grupos de discussão sobre a questão da mulher. Em 1978, aconteceu o primeiro Congresso da Mulher Metalúrgica, em São Paulo. Elas intensificam a luta por creches, direitos trabalhistas, salários iguais ao dos homens, serviços de atendimento (educação, saúde e vítimas de violência) e pela divisão do trabalho doméstico. Em 1985, surge a primeira Delegacia da Mulher em São Paulo. Já no Amazonas, a delegacia foi inaugurada em 1987. Só em 2006 é que o governo federal sancionada a Lei Maria da Penha (Lei 11. 340) para combater à violência doméstica contra a mulher no Brasil. A norma estabeleceu que a violência doméstica –física, psicológica, sexual, patrimonial ou moral– é crime.  Clique aqui e confirme presença no evento! Em coletiva realizada nesta terça-feira (6) com as coordenadoras da manifestação na Galeria do Largo, em Manaus, Luzarina Varela da Silva, ex-metalúrgica e uma das fundadoras do Fórum Permanente das Mulheres de Manaus, contou como participou do primeiro ato em que as mulheres da capital amazonense foram às ruas para reivindicar os direitos e lutar contra a violência, em 1985. “Aqui no Amazonas temos alguns marcos históricos, na categoria dos metalúrgicos, da construção civil, conseguimos conquistar a estabilidade da gestante, que hoje para quem não sabe, não é nada, não é muita coisa, mas na época, na década de 70 e 80, principalmente as operárias do comércio e da indústria, elas entravam na fábrica e quando engravidavam,...

Leia Mais