Pacato Plutão: Alimente Sua Cabeça
out20

Pacato Plutão: Alimente Sua Cabeça

Mais ativa do que nunca, a banda Pacato Plutão traz novidades. Com 11 músicas gravadas a banda lançou o videoclipe da primeira intitulada "Alimente Sua Cabeça" nesta semana no canal do YouTube. Para saber mais sobre esse lançamento, conversei com o guitarrista Leonardo Lima para saber tudo sobre os novos passos da banda. "Alimente sua Cabeça" teve seu clipe lançado esta semana no canal do YouTube da banda Pacato Plutão.Eu li que a música foi escrita há mais de 20 anos é isso mesmo? Sim. A letra foi escrita pelo amigo e grande escritor premiado hoje com varios livros lançados Tadeu de Melo Sarmento quando tinhamos uma outra banda de musica autoral em manaus a 20 anos atrás chamada "Charlie Perfume" que inclusive entrou no primeiro disco da banda que tinhamos nessa época. Como foi essa garimpada? Eu sempre achei essa letra muito forte e a uns 4 anos atrás resolvi fazer uma nova musica para a letra de "Alimente sua Cabeça" e hoje mas do que nunca a letra é muito atual em relação a tudo que estamos vivendo. De quem é a direção do clipe?  A produção e direção do clipe foi do Manaus Macaco um grande artista plástico com varios trabalhos nessa área de audio visual. Vocês também estão gravando o disco certo? Como tá esse processo? Sim, o disco foi gravado todo aqui em Florianópolis em formato ao vivo dentro do estúdio e será finalizado em Manaus pelo produtor e músico Bruno Prestes. Como ele vai se chamar? A princípio não temos um nome de imediato para usar como titulo do disco mas com certeza iremos escolher um já que o primeiro disco saiu apenas com o nome da banda. Quem fez parte da gravação? CynaraLima LeonardoLima Thomaz Campos (AJ) Anastácio Júnior A banda tá com quanto tempo em atividade num total? 5 anos E com essa formação? Um ano mais ou menos Do Norte ao sul, do calor para o frio.  Com está sendo a experiência de tocar em Florianópolis? Muito boa apesar de estarmos tocando muito pouco nesse momento, tivemos a oportunidade de conhecer e tocar com muitas outras bandas com trabalhos incriveis e isso nos ajudou a divulgar bastante nosso trabalho em SC. O que mudou de lá pra cá?  Muitas coisas principalmente a sonoridade e diversidade das músicas nesse novo álbum por conta justamente do local que estamos vivendo e todas as influências que chegam até nós. Quais são as próximas cartadas da banda?  Vamos finalizar o disco em Manaus e fazer clipes para todas as músicas do álbum e consequentemente divulgar o máximo possível. Sem mais delongas, segue abaixo o...

Leia Mais
Banda Bryse lança nova música
out19

Banda Bryse lança nova música

Depois de "Navegando", a segunda música de trabalho da banda Bryse se chama “Um violão e dois brincos de açaí” que conta com o feat do Rapper Pedro do vale. A mistura do rock e rap é pano de fundo pra essa canção que tem um olhar de um Hipster na procura de um novo amor numa sexta-feira no centro da cidade. A divulgação da música foi disponibilizada em formato de lyric vídeo, onde a galera pode aprender a letra musica e já sair cantando. A ideia principal do EP que tem no total de 5 músicas é trazer outros artistas da cena manauara e propor essa parceria. Até 2019 a banda vai lançar mais duas músicas inéditas. De acordo com o baixista da banda Deny Nogueira a banda conta com várias parcerias, " a música “Brisa” que contamos com a banda Nossas raízes e a música “Forte” que ainda estamos em fase de namoro com a banda Gramophone para engrossar o caldo desse Pirão Baré",...

Leia Mais
Marcos Terra Nova
out14

Marcos Terra Nova

Fãs da banda Espantalho podem relaxar o coração porque tem novidade no ar. Calma! Não é a volta da banda, na verdade é o cantor e compositor Marcos Terra Nova que tirou a teia dos instrumentos e preparou um material novinho e totalmente independente. Pra conhecer mais sobre a ideia os singles "Estado de Direito" e "No Olho do Furacão", troquei algumas perguntas pro músico, segue abaixo: Vi que você tá morando em Floripa, esses novos ares contribuíram pra esse retorno aos estúdios? Contribuíram sim, mas ao seu modo e proporção. Não exatamente influenciando de forma tão determinante, mas talvez trazendo alguma característica mais madura ao trabalho, que está se situando entre uma pegada mais orgânica e ao mesmo tempo mais sintética. Na verdade, quando vim para o sul procurei me desligar de algumas coisas por um tempo e isso também incluía a música. 2016 foi uma espécie ano sabático para então eu começar a arranhar novos acordes. De qualquer forma a ideia de lançar um projeto novo já vinha sendo gestada antes mesmo do fim da Espantalho, e que eu estava apenas prorrogando. Quanto à produção técnica ela acontecem em home-studio mesmo, ou seja, nada de estúdios profissionais, o que exige um trabalho de captação, edição e acabamento bem mais acurado de minha parte, mas que é bem válido! Estou perto da natureza, relativamente afastado da bagunça urbana e isso ajuda bastante! Não há um relógio contando os minutos para iniciar ou terminar uma gravação. O processo ocorre gradativamente a seu próprio tempo! Quero saber a ficha técnica, quem gravou contigo? Parcerias? Novidades?  O trabalho é realmente solo. As ajudas que recebo são feedbacks das faixas em fase de pré-produção, que envio para alguns amigos, sentindo onde estou errando ou acertando! E essas dicas e críticas são realmente providenciais. Os arranjos são todos feitos e gravados por mim mesmo e isso acabou ocorrendo por dois fatores: 1º pela questão logística que dificulta o processo de produção em parceria, ainda que existam os meios digitais para isso, percebi que não conseguiria manter um fluxo de trabalho satisfatório com os potenciais parceiros; 2º Aceitei a situação como um desafio de crescimento na parte de produção, uma oportunidade única de aprimorar as técnicas de gravação e mixagem. Já que se trata de um álbum solo, porque não fazer ele realmente dessa forma? Mas a ideia de produzir músicas com parceiros é latente e certa! Novidades ficam por conta de algumas faixas mais intimistas onde extremos serão fundidos como um violão folk embalado por um som mais sintético, com abertura para a total experimentação de texturas sonoras distintas. Tem até um cover...

Leia Mais
Exposição Tamurá estreia hoje na Casa das Artes
jul12

Exposição Tamurá estreia hoje na Casa das Artes

Depois de um momento triste, tem sempre aquele que lembra que a vida segue. Quando se trata de quem escolheu  viver reciclando lixo e transformando em percussão os passos dessa caminhada precisam ser seguidos. O luto de um amigo ganhou a força de uma homenagem e a reunião de entes que valorizam e agradecem ao que foi plantado. O artista da percussão Maurizio Torres será tema da exposição intitulada Tamurá Percuteria Maurizio Pessoa Torres Maumao, a partir de hoje, às 19h, na Casa das Artes que fica no Largo São Sebastião. O artista visual e figurinista Adroaldo Pereira comenta sobre a sincronia das pessoas envolvidas em relação a esta exposição. “É a continuação de uma ideia. Já dava pra sentir uma emoção especial quando o Bernardo me contou que a mãe do MauMao estava arrumando algumas coisas que eram dele. Sem saber o quê, já era possível imaginar que se tratava de fragmentos de projetos que foram interrompidos”, explicou. O cantor e compositor Magaiver Santos também participou desse mutirão e junto com o André de Moraes militam sobre o valor das palavras escolhidas por Maumao em relação a sustentabilidade. Antes mesmo do inicio da exposição, os artistas anunciaram em suas redes sociais a arrecadação de chaves e tampas de pet e o resultado é expressivo. Som de cachoeira feito com tampas de garrafa pet? Sim, o vilão do meio ambiente pode ter outro destino e ser ferramenta de transformação social para quem quer viver de música. Isso sem contar com as chaves de portas que já não se abrem, juntas, dão vida a outro produto. A abertura será as 19h com apresentações musicais e demonstração de objetos transformados em percussão. O artista Diego Batista idealizou uma caricatura em stencil. Também fazem parte da exposição projetos iniciados, palavras de homenagem e exibição de vídeos e acervos de amigos editados por Michelle Andrews. Ainda com pano de fundo na percussão, a trilha sonora da noite será com os percussionistas João Paulo Ribeiro e João Carlos Ribeiro. Pai e filho que transcendem unidos por sons e movimentos que lembram os anseios da natureza e o DJ Vini com um set percussivo embalando a noite. A exposição é gratuita e vai ficar em cartaz todos os dias de 15h às 21h até o dia 21 de Agosto. Durante todo o mês, serão resgatadas tampas de garrafa pet e chaves sem uso. Para esta ocasião os ativistas e músicos Marcelo Rosa e Diogo França assumiram a missão de produzir novos instrumentos de percussão. Ainda de acordo com Adroaldo, a exposição será mutável e interativa. "Toda semana, haverá uma apresentação musical com foco na percussão, semana que vem...

Leia Mais
2° Feirão de Quadrinhos será neste sábado (26)
maio24

2° Feirão de Quadrinhos será neste sábado (26)

Os quadrinhos inspiram todas as artes, os amantes e colecionadores de artigos da cultura pop são de todas as idades, convido a todos a prestigiarem o 2° Feirão de Quadrinhos que será a partir das 12h, deste sábado (26), no Instituto de Educação Boas Novas. A entrada é gratuita, o Instituto fica na avenida André Araújo, 1188, Aleixo, em frente à Cidade da Criança. Os ilustradores e desenhistas dos principais estúdios de Manaus estarão disponíveis para demonstração e apresentação de seus trabalhos. Palestras sobre o universo das HQs, oficinas interativas de desenho e mais de 30 expositores na área de artesanato, artigos de decoração, action figures e gastronomia.  ...

Leia Mais
MACONHA: O que você tem curiosidade de saber mas nunca teve coragem de perguntar
abr20

MACONHA: O que você tem curiosidade de saber mas nunca teve coragem de perguntar

Quem tem seda? On Jack Tall Back? Negativo. Em homenagem ao 20/4, aí vai um questionário de perguntas frequentes que os usuários da erva sempre precisam responder (nem sempre com tanta franqueza). Longe de mim fazer algum tipo de apologia ao uso, mas de fato, é que 20 de Abril de 2018, esse assunto precisa ser melhor difundido e quem sabe debatido nas rodas de conversas por aí! Porque consumir maconha? Acredito que esta seja a pergunta mais subjetiva do questionário, ela abre a série de perguntas justamente para evitar a polêmica que foi tão massificada de que a erva era a porta de entrada para outras drogas. Quando na verdade deveria ser uma escolha voluntária como beber refrigerante ou comer carne vermelha. O uso medicinal ou recreativo ainda divergem nas opções de consumo, é por isso que o Estado não deveria interferir nisso. O estimado livre-arbítrio deveria ser fator principal de decisão. Meu corpo, minhas regras. A opção de fumar se tornou mais popular, fazendo com que pessoas que odeiam cigarros, charutos ou tabaco em geral, abrir mão e fazer o uso assim mesmo. Qual o principal efeito?   Maconha é o nome popular de uma planta chamada Cannabis, dentro de tantas variações algumas delas possuem ações diferentes no corpo. Além do formato, ‘Sativa’ ou ‘Indica’ cada uma tem uma concentração especial, por exemplo: a sativa otimiza do humor e desperta uma vontade de encarar a vida com mais tranquilidade. Expressão de sentimentos e até potencializa alguns. Como num dia triste, em que pode sim dar uma experiência mais reflexiva. Já a Indica tem o poder mais relaxativo, (In couch / no sofá), praticamente um presente pro corpo após uma longa jornada de trabalho e até meio analgésico. Quanto tempo fica no corpo? Consumir o THC (TetraHidro Canabinol - principio ativo que dá o barato) pode variar para chegar ou ir embora. Seguindo os padrões tradicionais como fumar um baseado, o efeito dura em média duas horas, tem gente que consegue sentir até 8 horas depois do consumo. Se for fazer um exame toxicológico pode ficar alguns dias. Em caso de ingestão na comida, pode ser até mais rápido.  Capsulas, chás, óleos, foram desenvolvidos para uso medicinal em tratamento de doenças como mal de Parkinson, Alzheimer, anorexia, glaucoma e outras que comprometem o sistema psicomotor no corpo.  Qual o risco de dependência? Moderado. A predisposição em dependência química pode incentivar o cidadão a querer consumir muito, mas geralmente, a dependência é física. Você gosta, você usa. Conheço pessoas que por opção abriram mão por meses e até anos sem nenhum dano físico. A máxima que dizem “paro quando quiser”...

Leia Mais