Festivais no Amazonas e os impactos da Covid-19
Maio27

Festivais no Amazonas e os impactos da Covid-19

Festival Até o Tucupi convida nesta quinta (28) festivais amazonenses para debate online, que reflete as produções em tempos de coronavírus e isolamento social. O Festival Até o Tucupi de Artes Integradas, que em 2020 completa 14 anos de realização ininterrupta, provoca o debate Festivais no Amazonas e os Impactos da Covid-19, com produtores de Festivais do Estado do Amazonas, para refletirem o cenário artístico-cultural no contexto de pandemia, medidas restritivas e seus impactos nessa cadeia produtiva. O debate acontece nesta quinta-feira,  28 de maio de 2020, às 19h e terá transmissão ao vivo no Facebook e YouTube do Coletivo Difusão. Os festivais, feiras e festas no país que já não cancelaram/adiaram suas edições, no mínimo estão repensando seus formatos, até realizando suas programações em formato on-line. De acordo com um levantamento feito pelo DATA SIM em março de 2020, 536 empresas ouvidas pela pesquisa reportaram o adiamento ou cancelamento de mais de 8 mil eventos de música ao vivo em 21 estados do Brasil. Se os resultados fossem projetados para todas as 62 mil MEIs da “música ao vivo” (empresas individuais de “Produção” e “Sonorização e Iluminação”), os prejuízos seriam de R$ 3 bilhões afetando um milhão de trabalhadores.  Outro ponto em análise se configura na aprovação da PL 1075/2020, Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc, aprovada nesta terça-feira (26) na Câmara dos Deputados e que agora segue para o Senado Federal. A proposta visa destinar uma ajuda ao setor cultural durante a crise da pandemia de R$ 3 bilhões. Se a proposta for aprovada o recurso será repassado pelo Governo Federal, em até 15 dias da publicação da Lei, aos estados, municípios e ao Distrito Federal, destinada aos fundos de cultura e aplicados na renda mensal para trabalhadores do setor.  Para debater os impactos da Covid-19 e do isolamento social na realização de festivais foram convidadas representantes do Festival de Parintins: Lydia Lucia, Boi Bumbá Garantido e Ericky Nakanome, do Boi Bumbá Caprichoso. Além de produtores como: Elisa Maia, Festival Somas; Paulo Trindade, Festival Até o Tucupi; Diego Bauer, Olhar do Norte; Ana Oliveira, Potência das Artes do Norte; Márcia Novo, Tarumã Alive; Laelia Nogueira, Feira Urbana de Alternativas. A mediação com convidados será conduzida pela produtora Michelle Andrews, com apoio na mediação de comentários de Adelon Murari e Pedro Cacheado, onde o público pode interagir nos chats com perguntas e comentários aos convidados e mediadores. O Coletivo Difusão assina a realização da atividade. A organização cultural fomenta cultura e atua na integração entre as manifestações artísticas independentes nas ações e projetos que executa. Sobre o Festival Até o Tucupi O Festival Até o Tucupi de Artes...

Leia Mais
Encontro de Hip Hop do Norte
fev17

Encontro de Hip Hop do Norte

Nos dias 29 de fevereiro e 01 de março, das 10h00 às 20h00, o Centro Cultural Povos da Amazônia recebe o primeiro Encontro de Hip Hop no Norte (EH2N).O projeto foi contemplado no Prêmio Manaus de Conexões Culturais 2018 e conta com o apoio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (MANAUSCULT) e Secretaria de estado de Cultura e Economia Criativa. O Acesso ao evento é gratuito! Segundo Fábio Moura, idealizador e diretor geral do evento, “o EH2N tem como principal objetivo proporcionar atividades formativas diferenciadas em um nível nacional, para que no futuro, a cidade de Manaus seja inserida na rota dos principais eventos de cultura urbana, não apenas da região Norte, mas do Brasil como é o caso dos convidados Raquel Cabaneco (MG), BBOY Yude (DF) e Diego Josh (SP).”” No total, serão 30 horas de programação ocupando diferentes ambientes do Povos da Amazônia com Workshops de Dança, Grafite e Lambe-Lambe, Batalhas de Dança, Rodas de Conversas e Shows musicais, tudo dentro do universo da cultura Hip Hop, sendo elas mediadas por artistas locais e nacionais.  O projeto tem como a base de ação, nove workshops de Dança, com as suas mais diferentes vertentes e desdobramentos das danças urbanas, como as Batalhas de Breakdance e Hip Hop Dance. Também faz parte da programação: Oficina de Grafite com a Artista Deborah Erê.Oficina de Lambe-Lambe com Soraya Nurieh (Snurieh), Rodas de Conversa sobre a presença da Mulher no Hip Hop e também sobre o universo LGBT, Feira Criativa, Stands de gastronomia e shows musicais etc. No primeiro dia, sábado, dia 29/02, no palco Encontro das Águas acontecerá o show musical das cantoras Lary Go e Strela e grafite ao vivo com a artista Deborah Erê. E no segundo dia, domingo, dia 01/03,  encerrando a programação geral do EH2N- Primeira Edição, haverá o show do rapper Ian Lecter que acabou de lançar o álbum “Cor da Alma” e o videoclipe “Tipo Madruga” em parceria com a cantora e compositora Karen Francis. O evento é gratuito, e para participar das atividades é necessário apenas chegar no local com antecedência mínima de 1h para realizar o credenciamento e fazer a retirada da pulseira individual de acesso (passaporte). O credenciamento, nos dois dias, iniciará, pontualmente, às 09h00 da manhã e deve prosseguir até o período tarde. Confira na lista abaixo todos os convidados da edição e a programação detalhada: PROGRAMAÇÃO – 29/02 (Dia 1) PALCO ENCONTRO DAS ÁGUAS: 10H – Victor Venâncio 11H30 – Raquel Cabaneco (MG) 14H – Fernando C. Branco 15H30 – Diego Josh (SP) 17H – Filtro Breakdance 17H45 – Filtro Hip Hop Dance 18H30 – 8ª de Finais...

Leia Mais
Evelyn Félix é destaque no musical “A Caixa Mágica do Natal”
dez21

Evelyn Félix é destaque no musical “A Caixa Mágica do Natal”

A jovem e promissora atriz, cantora e bailarina Amazonense, Evelyn Félix, é destaque no musical “A caixa mágica do Natal” que será apresentado neste fim de semana, respectivamente esta sexta, sábado e domingo, no Teatro Amazonas. O espetáculo é uma realização da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Amazonas, com acesso GRATUITO, classificação livre e recursos de acessibilidade com audiodescrição e intérpretes da Língua Brasileira de Sinais (Libras). A atriz estava cumprindo agenda em São Paulo, cidade em que está radicada há dois anos, quando soube da audição para participar do musical “A Caixa Mágica do Natal” em Manaus, e por se identificar com a proposta artística do espetáculo, ela decidiu fazer as malas e investir para participar da seleção, conquistando uma vaga ao fim onde desde então, ela destaca que há dois meses, tudo o que envolve o espetáculo como ensaios, trocas e convívio entre o elenco e equipe em geral musical está sendo muito leve e prazeroso. “A Caixa Mágica do Natal” conta a história de uma criança que perdeu a mãe há alguns anos e ficou morando apenas com a avó. Ao ficar órfã, a criança também perdeu a paixão pelo Natal que sua mãe alimentava. Até o dia em que encontrou uma caixa de presente com uma carta escrita dias antes de sua mãe partir. Ao abrir a caixa, ela entra em um universo de magia natalina .Com direção cênica de Matheus Sabbá e texto de Thaís Vasconcelos, o espetáculo conta com a Amazonas Filarmônica,Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica, Coral do Amazonas, Corpo de Dança do Amazonas,Balé Experimental do Corpo de Dança do Amazonas, Balé Folclórico do Amazonas e Coral Infantil do Liceu Cláudio Santoro. A direção musical é do maestro Marcelo de Jesus. No musical, “A Caixa Mágica do Natal” Evelyn interpreta a personagem Mãe/Anjo: “Eu faço a mãe da Malu, mãe-anjo no caso, a minha personagem já morreu há um tempo atrás, e eu apareço em um momento no qual a Malu não acredita mais no amor, não acredita mais na magia do natal. No início, foi muito complicado pra eu construir a personagem, porque eu tenho 20 anos e não sei como é a experiência de ser uma mãe, então eu tive que assistir muita coisa, buscar muita coisa pra gerar esse amor de mãe, que é um amor muito puro, muito diferente que você só sabe quando se é mãe, mas com muita dedicação e entrega, ao longo do processo eu fiquei feliz de conseguir construir uma ligação muito forte com a Malu, com a atriz Lu, e foi uma experiência muito boa porque eu não sabia que...

Leia Mais
“Rua 9” reúne diferentes linguagens das artes no Ateliê 23
dez11

“Rua 9” reúne diferentes linguagens das artes no Ateliê 23

Programação é realizada pelo Coletivo de Pesquisa em Artes da Cena Erva Daninha e custa R$ 15. Gastronomia, apresentações performáticas e musicais, além de exposições de artistas locais estarão fazendo parte da programação da temporada do espetáculo “Rua 9”, que ocorre nesta quarta e quinta-feira (11/12 e 12/12), no Ateliê 23, localizado na Rua Tapajós, n. 166, Centro de Manaus. Os ingressos estão à R$ 15 e podem ser garantidos na bilheteria do espaço. Organizado pelo Coletivo de Pesquisa em Artes da Cena Erva Daninha, o evento inicia às 18h com os projetos de sonorização com foco na música eletrônica “CONCEPT R” e “Chantall”, do artista Ryan Castro. Na quarta, às 19h, ocorrerá um pocket show musical com o cantor local Number Teddie. Na quinta, também às 19h, as músicas autorais escritas pelo elenco do “Rua 9” serão apresentadas com a participação de Patrick Oliveira na programação musical que antecede o espetáculo, que ocorre nos dois dias às 20h. A reunião de diversas linguagens artísticas tem o intuito de não só entreter o público, mas também criar um espaço onde outros artistas podem mostrar seus trabalhos, como esclarece o diretor de “Rua 9”, Paulo Tiago. “Nossa iniciativa propõe estimular o desenvolvimento da produção cultural na cidade e também é um momento de partilha, de troca deste trabalho que está em constante progresso”, disse. SOBRE O ESPETÁCULO “RUA 9” Com base nos livros “Órfãos do Eldorado” do autor amazonense Milton Hatoum e “As Meninas” da autora paulistana Lygia Fagundes Telles, o espetáculo performativo aborda toda a solidão, afetividade e turbulências da existência humana pelos olhos de órfãos que vivem à mercê da sorte. “O processo criativo do espetáculo está em constante transformação, as narrativas partem de obras literárias, porém, são relatos pessoais dos atores dentro de uma ficção, criando um contraste entre a ficção e a realidade”, ressalta Paulo Tiago, diretor do espetáculo. Os ingressos serão disponibilizados nos dias das apresentações. Para mais informações, entrar em contato pelo e-mail coletivodepesquisaemartes@gmail.com ou pela página do Instagram @coletivodepesquisa. SERVIÇO O que: TEMPORADA CULTURAL RUA 9. Quando: 11 e 12 de dezembro, a partir das 18h. Onde: Ateliê 23 – Rua Tapajós, n°166, Centro. Quanto: 15$ (meia) (Ingressos disponibilizados uma hora antes da apresentação). Classificação: 14 anos Duração: programação de quatro (04) horas. Ficha técnica Direção geral/encenação: Paulo Tiago Dramaturgia: Bianca Vieira e Paulo Tiago Co-autoria: Elenco Roteiro final: Paulo Tiago Preparação corporal: André Henrines, Julia Morinaga Pesquisa de sonoplastia: Paulo Tiago Elenco: Ananda Kao, Cris Jardim, Julia Morinaga, Nicolas Queiroz, Leonan Valente, Lerigoubres, Ricardo Gabriel, Paulo Tiago Júlio Cesar; Figurino: Ezra Mond, Julia Morinaga e Paulo Tiago; Trilha original: Julio Cesar, Nícolas...

Leia Mais
Cantora Karine Aguiar grava Jungle Jazz no Teatro Amazonas
dez07

Cantora Karine Aguiar grava Jungle Jazz no Teatro Amazonas

No dia 08 de dezembro de 2019 às 18h, o Teatro Amazonas recebe a cantora amazonense Karine Aguiar para o concerto de gravação de seu primeiro DVD “Jungle Jazz: Uma sinfonia amazônica”. Os arranjos e a direção musical do espetáculo são assinados pelo premiado maestro italiano Antônio Giacometti, que irá compartilhar a regência do concerto com o maestro Marcelo de Jesus. O repertório traz a temática ecológica, através de uma síntese dos dois discos da artista amazonense “Arraial do Mundo” (New York, 2012) e “Organic” (2016), de obras consagradas do cancioneiro amazônico, além de três peças de Giacometti “Pássaros Amazônicos”, “Catuetê Curupira” e “Amazônia – Sinfonia Amazônica” escritas em homenagem à floresta amazônica, com sua estreia mundial na ocasião. A temática ambiental e da sustentabilidade aparece enquanto um tema transversal desde o primeiro CD de Karine e, se reafirma neste projeto como um dos principais argumentos da estética “Jungle Jazz”, que apresenta ao mundo um novo jeito de se fazer Jazz a partir do sotaque, das narrativas e dos ritmos musicais da Amazônia. Participações da Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica, do Coral Musikart (CDE 04- SEDUC) e dos grupos de Matriz Cultural Gambá de Maués “Pingo de Luz” e Tambores da Floresta. Os músicos amazonenses Anderson Farias (piano), Hudson Alves (baixo acústico), Marcelo Figueiredo (violão) e Ygor Saunier (bateria amazônica), que ajudaram a criar o “Jungle Jazz”, também irão acompanhar a artista no concerto. Entrada Gratuita. Realização: Prefeitura de Manaus, Governo do Amazonas e Saunier Music Produções. Apoio: IDESAM e Rede Calderaro de Comunicação. REPERTÓRIO: Abertura: Pássaros Amazônicos / Tainá / Catueté Curupira – (A. Giacometti) Amazônia (Ketlen Nascimento) Porto de Lenha (Aldísio Filgueiras/Zeca Torres) Biojoias (Hugo Levy/Neil Armstrong/Silvio Camaleao) Pérola azulada (Zé Miguel / Joãozinho Gomes) Vento que embala a bananeira (Romulo Marques / Ney Veras) Um tom para Jobim (Gonzaga Blantez) Será Sagrado (Robertinho Chaves) Oração da manhã (Versão em Português: Karine Aguiar / Original: Arthur Herzog Jr) Uirapuru/It don’t mean a thing (W. Henrique/ Duke Ellington) Dia de Festa (Zeca Torres) O meu nome é amor (Mestre Iracito) Voa Caraxué (Mestre Barrô) Amazonas (Chico da Silva) Lamento caboclo (Nícolas Jr) Final: Sinfonia Amazônica – Amazônia (A. Giacometti) Sobre Karine Aguiar Nascida em Manaus/AM em 1987, é cantora, compositora e pesquisadora da musicalidade amazônica. É mestra em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia e doutoranda em Ecomusicologia na UNICAMP, onde desenvolve um projeto sobre música, cultura e meio ambiente no município de Maués/AM. Possui dois discos gravados em parceria com produtores norte-americanos e europeus “Arraial do Mundo” (2012) e “Organic” (2012). Em 2014 foi premiada em Paris como “Melhor CD de MPB” pelo Portail du Brésil em France. Já se apresentou em importantes palcos na Europa e nos Estados Unidos com o seu...

Leia Mais
Trupe leva oficina e espetáculo de teatro para Itacoatiara
out21

Trupe leva oficina e espetáculo de teatro para Itacoatiara

Através do edital de chamamento público 2019 , a Fundação André e Lucia Maggi (FALM) preparou uma programação especial para o seu Espaço Cultural Velha Serpa em Itacoatiara (AM). A Fundação André e Lucia Maggi (FALM) é a instituição responsável pela gestão do Investimento Social Privado da AMAGGI nas regiões estratégicas para a empresa. Sua atuação está voltada para o fortalecimento do protagonismo social de jovens e lideranças para o desenvolvimento local sustentável. São oficinas e apresentações gratuitas voltadas para toda a comunidade e a Espatódea Trupe foi selecionada entre propostas recebidas de todos os Estados da Amazônia Legal, e ficou responsável pela única atração de Teatro com a Oficina de Contação de Histórias nos dias 23 e 34 de Outubro às 18:30h e com o Espetáculo “Upiara e lenda da água doce” que acontecerá no dia 25 de Outubro às 15:30h. Oficina é direcionada aos profissionais de diversas áreas, interessados em perder a timidez, desenvolver a capacidade criativa de ordenar suas ideias, bem como, defender suas propostas, aulas, e/ou seus produtos. Este curso promove uma melhora significativa em sua comunicação, oralidade e crescimento profissional. O Teatro e suas práticas artísticas podem ser um diferencial no desenvolvimento da carreira do profissional, visto as possibilidades de reinventar-se/ reconhecer-se e não se manter na estagnação. Muitos profissionais estão acomodados em suas metodologias, indispostos a promoverem mudanças, insensíveis, e estas são consequências da inércia e da falta de um bom treinamento profissional. Muitas vezes a inibição distorce sua imagem. Uma pessoa tímida ás vezes pode ser confundida com alguém antipático/ introspectivo, o que não é necessariamente uma regra, mas existem muitas possibilidades de mudar esta realidade e expandir sua capacidade sociável. Upiara e a lenda da água doce é um espetáculo infantil, que enaltece a cultura popular do folclore brasileiro. Sua dramaturgia tem como intenção estimular as crianças ao hábito da leitura. Esta é a história de uma menina que num dia como outro qualquer, ganha de presente de sua mãe, um livro que conta do surgimento do rio Amazonas. Encantada com o que lê, a garotinha e seus amigos vêm-se transportados para dentro do enredo e lá acabam conhecendo personagens lendários dos contos e lendas da floresta, onde vivem aventuras que adoram contar. Embarcam para Itacoatiara no elenco: Guilherme Bindá, Kaylane Janes, Rayna Fortes Lucas Silvas e Emanuela Caldas, com a Direção e Produção de Emille Nóbrega e Árlisson Cruz. As atrações (espetáculos, oficina e contação de histórias) são voltadas para o fortalecimento do protagonismo, por meio de atividades lúdicas de construção coletiva, promovendo a criatividade, a expressão e o autoconhecimento. A participação é gratuita. A Espatódea Trupe Produções artísticas é...

Leia Mais