Aury Lenno: Banda Kohva
nov15

Aury Lenno: Banda Kohva

Ultimamente tem se falado bastante em Resistência e acabam esquecendo do que está na essência da palavra: Existência. Uma nova leitura sobre a colonização e os primeiros povos habitantes dessa terra é a proposta da banda parintinense Kohva. A Ilha Tupinambarana já é famosa por exportar artistas de diversas áreas e com as mais profundas inspirações. Desta vez, reuniu um quarteto inusitado num projeto de Thrash Metal Crossover Indígena. Quem conta melhor sobre esse foco na valorização étnica originária é o compositor e vocalista Aury Lenno. Além de Aury que também toca flauta, a banda é formada por Ademar Machado (bateria), Luciano Ribeiro (contrabaixo) e João Victor (guitarra). Com dois anos de formação, todos ajudam nas composições. A Kohva já tocou em Parintins, Maués, Nhamundá e Boa Vista dos Ramos. Iniciei o meu texto falando sobre a resistência, é bem a pegada de vocês não é? Vocês produziram o próprio material? Sim. Produzimos no Victor Edition o primeiro álbum: “Balas e Flechas”. Agora, estamos na terceira música do segundo, com muitos rascunhos de músicas e letras! Rifs etc! Somos 100% autoral. Vocês tem a causa indígena como principal tema de atuação. Vocês fazem parte de alguma tribo? Estamos geograficamente ligados aos povos Satere Maué, sabemos um pouco da história de resistência desse povo! Mas defendemos a cultura originária, seus valores, costumes como um todo! Cremos que a palavra não seria exatamente usar e sim, defender! Defendemos nosso chão, nosso meio, a cultura indígena. É a cultura que preza a preservação, pensamos que todos tem que aprender a cultura de preservar para garantir um futuro! E também falamos muito do contexto histórico que culminou o que somos, o processo de colonização, o estupro da matria originária pelo patriarcado europeu que a violou e roubou para apelidar depois de Brasil! Qual a real intenção de relacionar o som à causa indígena? Temos a intenção única de levar um alerta. Mostrar aos descendentes dos povos que temos que dar valor no que é nosso! Para não perdermos mais o que ainda resta! Kohva é um buraco para o que está morto, mas também para pôr uma semente para nascer uma nova vida! E a consciência de quem somos nós temos que manter viva! Esses são indígenas Karitianas do projeto chamado Sonora Brasil! Que valoriza as músicas indígenas e seus valores! Fomos nesse evento prestigiar a atitude deles e trocar ideias sobre o nosso som! Muita gente já conhece os talentos do boi-bumbá mas o que pouca gente conhece como funciona a cena rock e metal em Parintins? Rsrs! Cena aqui! A definição de cena seria algo como um movimento onde haveriam bandas...

Leia Mais
Jeferson Mariano é atração do SESC Canção da Mata
out15

Jeferson Mariano é atração do SESC Canção da Mata

O músico e compositor Jeferson Mariano sobe ao palco do Teatro Amazonas, nesta terça-feira, dia 15 de Outubro, a partir das 20h, pelo projeto SESC "Canção da Mata", para lançar duas faixas inéditas do seu novo EP "Sem filtro", que são, respectivamente, a canção que dá nome ao Ep "Sem Filtro" e "Caboquinha". Saiba um pouco sobre a história dessas duas canções. "Sem Filtro" - traz uma reflexão sobre ser verdadeiro, sobretudo consigo mesmo, sobre ser autêntico, sobre não se distanciar da nossa essência e dar o devido valor ao que somos, “sem máscara, de cara lavada” "Caboquinha:"- é uma homenagem, uma ode ao belo. Faz uma costura metafórica entre a beleza natural das mulheres da nossa terra e às belezas naturais da própria terra que já foi A “Paris dos Trópicos”,  mas que o compositor prefere chamar de “Lugar da Barra”. O cantor, em entrevista, conta que está ansioso para o show desta terça e que se sente muito grato ao SESC pela oportunidade de mostrar o seu trabalho, desta vez, em carreira solo, e no palco do  majestoso Teatro Amazonas: "Minha vida está um turbilhão de emoções, me sinto muito feliz, grato, ansioso, nervoso, confiante, enfim... à flor da pele! Tudo isso porque será minha primeira vez no palco do Teatro Amazonas como protagonista, frontman, todas as outras vezes estive acompanhando algum artista, mas agora não, eu estarei na linha de frente, e isso apesar de aumentar a minha responsabilidade, também me faz sentir uma alegria imensa..." Jeferson também comenta sobre a importância de participar de um projeto como o Canção da Mata e quais são as suas expectativas para a mostra e o show desta terça:  "Estou muito contente em participar do Canção da Mata, principalmente, porque essa minha apresentação de terça será o marco inicial de um novo ciclo na minha vida artística. Agradeço ao SESC pela oportunidade além de enaltecer e reafirmar a importância deste projeto para a manutenção e promoção da produção musical do nosso Estado." O SESC Canção da Mata tem por objetivo de  estimular a produção musical regional contemplando grupos, bandas e solistas, reforçando o compromisso com expressão cultural da região, promoção da música amazonense, além de projetar artistas locais, apresentações de músicas autorais, podendo ser canção, instrumental, erudito ou popular. Além da apresentação de terça feira, Jeferson também está trabalhando na produção de um show completo que será o  lançamento oficial do EP pela extensão do  projeto "Canção da Mata" que será realizado no dia 30/12 às 12h00 no Hall da Unidade do SESC que fica localizada na rua Henrique Martins, em frente a livraria Lira, no centro da cidade....

Leia Mais
FIGA 2019: Programação Completa.
set25

FIGA 2019: Programação Completa.

Abrasel realizará a Feira Internacional da Gastronomia Amazônica (FIGA) nos dias 26, 27 e 28 de setembro e trará as novidades para a gastronomia. A FIGA é um evento que realiza um intercâmbio entre chefs regionais, nacionais e internacionais e divulga a gastronomia amazônica para diversos países. Além da feira de exposição de produtos e serviços, terá a Semana Qualidade Abrasel, Mercado Amazônico e Arena Gastronômica com cozinhas-show e palestras-show com os chefs da cozinha regional, nacional e internacional. Maiores informações para participar das palestras, rodadas de negócios e aulas show e para compra de estandes é só acessar a página da Abrasel no Facebook ou ligar no telefone (92) 3642-8894 / 98292 0021. A 3ª edição da Feira Internacional da Gastronomia Amazônica (FIGA), promovida pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel no AM), acontecerá nos dias 26, 27 e 28 de setembro de 2019, das 14h às 21h, no Centro de Convenções do Amazonas - CCA, localizado na Av. Constantino Nery, esquina com Pedro Teixeira, 5001 – Flores. A FIGA destina-se aos empresários dos diversos segmentos de venda e prestação de serviços do mercado de restaurantes, chefs de cozinhas, estudantes de gastronomia, nutrição, administração e cursos afins, empreendedores interessados em entrar no ramo de alimentação fora do lar, produtores rurais (agricultura e pescado), amantes da gastronomia e público em geral, atraídos pela feira gastronômica. A expectativa é de 40.000 pessoas entre visitantes, expositores, participantes, organizadores, convidados e imprensa. O objetivo da FIGA é gerar conhecimento, fomento, resgate e preservação da gastronomia amazônica e apoiar iniciativas colaborativas a inserção do Amazonas na rota internacional da alta gastronomia. Os patrocinadores Governo do Estado do Amazonas, por meio da Empresa Estadual de Turismo (Amazonastur), Prefeitura de Manaus, por meio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult) e Sebrae Amazonas, apresentam junto com a Abrasel a terceira edição da FIGA. A Abrasel no AM está com stands à venda para os proprietários e comerciantes da área. Mais informações podem ser obtidas nos números 3642-8894 ou 98292-0021. Com mais de 90 estandes entre feira de negócios e praça de alimentação, para visitação durante os três dias, a FIGA sediará mais cinco eventos paralelos: SEMANA QUALIDADE ABRASEL: a semana promoverá palestrantes abordando temas ligados aos bares, restaurantes e similares, tais como administração com ênfase em gestão, atendimento, vendas e questões trabalhistas, também temas como inovação, tecnologia, conexão e relacionamento, gerando networking e boas práticas. RODADA DE NEGÓCIOS: Promovendo o encontro entre donos de restaurantes e fornecedores nas mesas de negociações. O público alvo são os expositores e o público visitante, ambos farão a inscrição antecipada via plataforma específica definindo previamente dias...

Leia Mais
Festival de Blues e Jazz hoje no Anfiteatro da Ponta Negra
set21

Festival de Blues e Jazz hoje no Anfiteatro da Ponta Negra

O complexo turístico Parque Ponta Negra recebe, nesta sábado, 21 de Setembro. a partir das 15h, o Festival BB Seguros de Blues e Jazz que está em sua quinta edição mas primeira realização nas cidades de Manaus e Goiânia neste ano de 2019. Com entrada franca, o evento conta com show clássico do Bluesman da geração de ouro Lil Jimmy Reed, apresentação do guitarrista Pepeu Gomes, além de outras atrações. A programação é diversa, mescla blues e jazz e conta com Line Up caprichada e participação de "prata da casa", o contrabaixista e produtor musical Miquéias Pinheiro que desde que recebeu a ligação da equipe de produção do Festival para participar se apresentando no palco principal, ficou muito emocionado. "Eu fiquei super feliz com o convite e com o respeito com o meu trabalho, confesso que demorou um um pouco pra cair a ficha, e quando isso aconteceu e eu me dei conta da magnitude do Festival e da importância dele para a minha carreira, até porque eu tive a felicidade de ser o único artista local a participar e tocar no mesmo palco com grandes nomes da música instrumental como o Hermeto e o Pepeu gomes, ah, aí eu me emocionei demais." Além de atividades para as crianças e ações de sustentabilidade, entre elas a coleta e correta destinação de resíduos recicláveis e não recicláveis. Sobre os detalhes da sua apresentação, ele adianta: "Vai ser um show de cinquenta minutos, estamos preparando um repertório super especial escolhido com muito carinho, vamos tocar três músicas do meu último disco, são elas (Groove do Beira, Juruá e Vestido Longo), Cantaloup Island de Herbie Hancock, um pouco de jazz contemporâneo, música brasileira e o nosso beiradão que não pode faltar. ah, um ponto bem legal do show também vai ser uma homenagem que irei fazer ao mestre Arthur Maia que nos deixou ano passado, vamos tocar a música do Jamil Joanes chamada "De Ombro" música que o Arthur adorava tocar. A expectativa é a melhor possível assim como a responsabilidade enorme de fazer um ótimo trabalho. Tenho certeza que vou me divertir muito fazendo esse Som." Miquéias é natural de Manaus / AM, baixista e produtor musical e iniciou seus estudos na música ainda quando criança, aos dez anos de idade, e ainda com quatorze, ele descobriu sua grande afinidade com o contra Baixo elétrico, que se tornou desde então, o seu instrumento oficial de trabalho. Em 2002 Tornou-se aluno de contrabaixo elétrico e acústico no Liceu de Artes e Ofícios Cláudio Santoro. E desde 2004. Atua e grava profissionalmente com Diversos instrumentistas, em 2012 já se apresentou na cidade de...

Leia Mais
“Artistas não devem se meter em politica!” Belchior já nos dizia o contrário
set02

“Artistas não devem se meter em politica!” Belchior já nos dizia o contrário

A Palo Seco, ontem e hoje. "Se você vier me perguntar por onde andei No tempo em que você sonhava De olhos abertos, lhe direi Amigo, eu me desesperava Sei que assim falando pensas Que esse desespero é moda em '76 E eu quero é que esse canto torto Feito faca, corte a carne de vocês E eu quero é que esse canto torto Feito faca, corte a carne de vocês" Começo esse modesto texto blogueiro, deste modesto artista autoral manauara, que ousou em escrever algo mesmo sem saber escrever, longe de mim dar uma de jornalista de boteco. Eu que diversas vezes fui subestimado nesse sentido, eu que diversas vezes escutei esse mesmo jargão, às vezes em tom de histeria e determinação de comportamento, de algum formador de opinião do Facebook, que provavelmente é mais um senso comum que cultivou muitos discos, que cultivou muitos shows de bandas antológicas, mas nunca entendeu nada sobre as letras e sobre os conceitos, dessas bandas e desses artistas. Neste trecho especifico, Belchior nos deixa bem claro a situação política da época: Ele quer que machuque, que corte, que deixe marca. Ele canta "A Palo Seco" para que nós, que o ouvimos, sejamos atingidos por suas palavras. Ele tem esperança de que faremos alguma coisa, se esse canto consiga chegar nos nossos corações as nossas razões, a nossa consciência de classe. Pra entender melhor o que é a "Palo Seco" vou contar um pouco sobre a história da música. Na verdade, fazendo uma breve busca na internet, não é difícil encontrar que... Palo: é o nome que se dá as sub-classificações do Flamenco. Dentre os principais palos flamencos destacam-se a Seguiriya, a Soleá, a Bulería, a Alegría, a Rumba, o Tango, o Fandango e a Sevillana. O Martinete é considerado o palo mais antigo, chamado a palo seco, ou seja, sem acompanhamento de violão. Para explicar a canção, recorremos a o poema de João Cabral de Melo Neto "cante do meu cante" que se remete justamente a essa descrição de a Palo Seco "Se diz a palo seco o cante sem guitarra; o cante sem; o cante; o cante sem mais nada; se diz a palo seco a esse cante despido: ao cante que se canta sob o silêncio a pino." "O cante a palo seco não é um cante a esmo: exige ser cantado com todo o ser aberto; é um cante que exige o ser-se ao meio dia, que é quando a sombra foge e não medra a magia." "Eis alguns exemplos de ser a palo seco, dos quais se retirar higiene ou conselho: não o de aceitar o seco...

Leia Mais
Festival “Um ato de amor” reúne artistas neste Domingo em prol de pacientes com Câncer em Manaus
ago21

Festival “Um ato de amor” reúne artistas neste Domingo em prol de pacientes com Câncer em Manaus

Ajudar ao próximo, promover a conscientização acerca da prevenção do câncer e mostrar que a música também tem responsabilidade social, esses são os principais objetos do festival de artes integradas "Um ato de amor" que será realizado no próximo domingo, dia 25 de agosto, a partir das 16h, no Morada das Artes localizado na rua Constelação Ustra Maior, número 12, Conjunto Morada do sol com atrações musicais e atividades artísticas diversas, além de palestras com especialistas que atuam na prevenção e combate ao câncer. A programação do evento conta apresentação e animação de Ícaro Pimenta, Oyama Filho e Jaque Santtos e com shows da banda Alaídenegão, o cantor e compositor Nicolas Júnior, grupo Cordão do Marambaia, Banda Flow que se apresentará com a cantora Jaque Santtos, o duo musical Elias Moreira e Aline Fagan, show do cantor Marcos Paulo, performance musical do Dj John Cavalcante e Tiago Silva (Sax) e muitas outras atrações cujos repertórios passeiam por diferentes estilos e influências musicais como carimbó, beiradão, rock, pop, soul, música popular brasileira é muito mais, o evento também recebe a exposição "Ensaio Lírico" da fotógrafa Bárbara Umbra, palestras com o Cirurgião Plástico, doutor Euler Ribeiro Filho sobre Câncer de Mama e apresentação da sua banda,a "Doutor Bactéria", um bate-papo com o Oncologista JeannCarlo Silva sobre como ele atua na luta contra o câncer. Outro grande momento da programação é o desfile de mulheres que resgataram a sua auto-estima após vencerem o câncer e que hoje servem de força e inspiração para outras mulheres que estão em tratamento e que por inúmeros motivos ou situações adversas se sentem deprimidas ou sem motivação para seguir ou buscar ajuda. No desfile, essas mulheres passam a mensagem de que não é nada fácil enfrentar um câncer, seja ele qual for mas que é possível vence-lo com muita fé, determinação, disciplina e claro, com ajuda, preparo e acompanhamento médico. Um leilão solidário de uma obra do artista plástico Cláudio Andrade, cujas pinturas se caracterizam por traços leves e cores vibrantes que enaltecem a fauna e flora amazônica, também está previsto para a tarde do evento. A beleza dos quadros de Andrade lhe deu a fama e hoje, além de Manaus, o pintor tem trabalhos expostos e à venda em galerias de São Paulo e Paris. O artista estava afastado da pintura, há aproximadamente dez meses, devido um impedimento de saúde mas com o intuito de colaborar com a proposta do evento pintou e doou um quadro inédito pintado por ele recentemente, e o cedeu para leilão durante a tarde do festival.  A obra é avaliada no valor de R$10.000,00. A motivação para a realização deste...

Leia Mais