‘A Escola Vai ao Teatro’ apresenta workshops
set01

‘A Escola Vai ao Teatro’ apresenta workshops

Serão ensinadas técnicas de Contação de Histórias, a História do Teatro e Criação de Personagens. “A Escola Vai ao Teatro 2021” A programação do projeto “A Escola Vai ao Teatro 2021” já está acontecendo no palco do Teatro Manauara proporcionando o contato com a arte do teatro, de forma gratuita. E esta 5ª edição apresenta mais uma novidade: Workshops sobre Teatro, abordando técnicas de Contação de Histórias, A origem e influência do teatro e Criação de Personagens, durante os dias 28 de agosto e 02, 04, 10 e 11 de setembro, no Teatro, localizado no Piso Buriti, do Manauara Shopping. As inscrições já estão sendo realizadas, gratuitamente, para professores, estudantes universitários e público ligado às artes cênicas, por meio do e-mail: projetoescola@teatromanauara.com.br ou pelo fone: (92) – 3342 8032, com vagas limitadas. O projeto tem apoio do Ministério da Cidadania, por meio da Secretaria Especial da Cultura, com patrocínio cultural da Bemol e InfoStore. WORKSHOPS TEATRAIS As palestras apresentarão “Técnicas de Contação de Histórias” – como ferramenta pedagógica e formação de plateia, a partir da aproximação dos alunos com a arte. Outro tema a ser abordado será “Da Grécia para o Mundo” – A origem e influência do teatro na história da sociedade ocidental ainda sobre “Criação de Personagem a partir do método Stanislaviski” – voltado para atores iniciantes e apaixonados pelas Artes Cênicas, através do estudo do primeiro livro da trilogia do sistema Stanislaviski “A Preparação do Ator”. O facilitador dos workshops será Roger Barbosa, técnico em Artes cênicas, formado como instrutor pelo SEBRAE AM, ator e professor de teatro com 27 anos de experiência e diretor da Interarte Escola, Produtora e Cia de Teatro;CONFIRA A PROGRAMAÇÃO DOS WORKSHOPS: · Dias 28/08 e 04/09 – de 9h às 11h – Técnicas para Contação de Histórias; · Dias 02 e 04/09 – de 19h30 às 21h – Criação de Personagem, a partir de Stanislaviski; · Dias 10 e 11/09 – de 19h30 às 21h – História do Teatro – Da Grécia para o Mundo. O projeto A Escola Vai ao Teatro A 5ª edição do projeto “A Escola Vai ao Teatro” já começou e terá mais apresentações gratuitas, durante os dias 30 e 31 de agosto e 1º de setembro, em sessões às 9h e 15h, no palco do teatro, localizado no Piso Buriti, do Manauara Shopping, para escolas da rede pública de ensino que realizaram agendamentos gratuitos, previamente. O projeto proporciona apresentações teatrais, com temáticas socioambientais e realização de workshops para público de interesse em artes cênicas, de forma gratuita.Durante as apresentações estão sendo seguidas as regras sanitárias preventivas do momento, visando a segurança e saúde dos participantes....

Leia Mais
Manart lança estampa inspirada na obra de Rakel Caminha
ago13

Manart lança estampa inspirada na obra de Rakel Caminha

Manaus- Nesta sexta (13), a partir das 18h30 (horário de Manaus) através do site www.manartgaleria.com e redes sociais, ocorre o lançamento da mais nova estampa da Manart Galeria “ARTETEATRO”, inspirada na obra “Alterego da Amazônia- ArteTeatro” (2021) da artista visual Rakel Caminha, que faz referência, de uma forma pop, através de recortes e colagens, ao principal símbolo Cultural e Arquitetônico do Estado, o Teatro Amazonas, fundado em 1896, que preserva parte da arquitetura e decoração original, com estilo renascentista e eclético, tombado em 1966, como Patrimônio Histórico Nacional. Vida e Obra da Artista A Artista visual Rakel Caminha Autodidata e apaixonada pelas artes, desde a infância, além de publicitária por formação acadêmica, com passagem pelos cursos de direito e design (UFAM), a artista visual Rakel Caminha é uma das mais promissoras apostas do cenário das artes visuais local. Expressões altruísticas da artista visual Rakel Caminha Para Rakel, “Arte é expressão, é fazer com as mãos – ou com o corpo inteiro – e coração. Por isso, desde sempre, antes mesmo de que eu pudesse raciocinar sobre tal fato, eu gosto de me expressar: através da dança, do desenho, da escrita ou de qualquer outra coisa. Às vezes o processo é orgânico e intuitivo, às vezes é milimetricamente pensado. Mas quando ali está eu percebo que é uma parte de mim para o mundo, é uma forma de passar por ele, marcando-o da mesma forma que ele me marca.“ Em seus trabalhos, a artista costuma combinar linguagens diversas (não só artísticas) com muita liberdade e produz obras de grande expressividade, que de modo geral, unem pintura, colagem e técnicas gráficas, e promovem um diálogo poético entre o real e o surreal através de uma estética semiótica dedicada à arte, ao caos, aos sonhos e ao existencialismo, cujas principais referências estão mais voltadas para a arte contemporânea como cubismo, expressionismo e surrealismo. “Meus temas no geral são surreais, existenciais, brincam com a realidade. Esses últimos tempos, eu senti necessidade de falar mais sobre a natureza, ecologia e me dediquei a isso como uma forma de fazer a diferença para o mundo; já que estamos num ritmo que o planeta não aguenta. Se a arte toca e sensibiliza, ela também pode fazer refletir, impactar, mudar, florescer. “ Declara, Rakel. Uma artista de múltiplas fases Rakel Caminha, a camaleônica, a metamorfose múltipla da artista visual “Eu sou muito sensível. Um camaleão! Sou de Metamorfoses. De fases. Uma estudante da vida – e também apreciadora. Sou de fato muitas; muitas coisas, sentimentos, pensamentos – que se misturam. Sou quase tudo coração. Um pouco de razão. Busco me expressar para me entender melhor por dentro,...

Leia Mais
Márcia Antonelli lança “O Fungo” nesta sexta-feira (13)
ago11

Márcia Antonelli lança “O Fungo” nesta sexta-feira (13)

Nesta sexta-feira (13) terá o lançamento da segunda edição da obra “O Fungo” da escritora Márcia Antonelli na versão bilíngue. A programação terá início às 19h no Espaço Cultural Jaraqui Psicodélico, Avenida Constantino Nery, próximo ao Terminal 1. O evento vai contar com a performance Corpoletra do artista Odacy de Oliveira, entre outras artetudes. Ao som dos vinis, o DJ Marcos Tubarão garante a trilha sonora da noite. O acesso é gratuito com venda de comidas regionais e cerveja gelada. Lembrando que o uso de máscara é obrigatório. Sobre Márcia Antonelli Márcia Antonelli é natural de Manaus, graduada em Letras pela UFAM (Universidade Federal do Amazonas), a escritora já produziu livros de contos, novelas, crônicas e romances. Para garantir o seu exemplar, faz um PIX no valor de R$10 para a chave...

Leia Mais
Inscrições abertas para minicurso de História e Patrimônio Cultural de Manaus
Maio19

Inscrições abertas para minicurso de História e Patrimônio Cultural de Manaus

As inscrições para o minicurso de História e Patrimônio Cultural de Manaus, coordenado pela cientista social Rila Arruda em parceria com o historiador Otoni Mesquita estão abertas. As aulas serão realizadas durante a 19ª Semana Nacional de Museus, nos dias 21 e 22 de maio, sexta e sábado, das 16 às 18 horas. O pré-requisito para participar é ter o ensino médio completo ou cursando o ensino superior, ao final será disponibilizada uma declaração para o participante. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas por meio do formulário disponível no link https://forms.gle/wWQd3BZsf14sGaTcA  O projeto foi contemplado pelo prêmio Feliciano Lana, por meio da Lei Aldir Blanc, concedido a projetos artísticos, culturais e de economia criativa durante o estado de calamidade pública, lançado pela Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa (SEC-AM), com apoio do Governo Federal – Ministério do Turismo – Secretaria Especial da Cultura, Fundo Nacional de Cultura, no final do ano de 2020, para fomentar atividades culturais e garantir renda a profissionais do setor. Rila Arruda, cientista social e pesquisadora de museus fala da importância da educação patrimonial:  “A maioria das ações são mais voltadas para publicação de cartilhas para cumprimento de licenciamento ambiental, circuitos isolados de pesquisadores, ou aulas públicas (seja na rua ou no museu) de iniciativa de professores de História sem apoio formal. Precisamos ampliar a educação patrimonial, e esse projeto também visa isso”, diz a pesquisadora na proposta do projeto. Objetivo e conteúdo previsto O projeto é uma ação de educação patrimonial, através de um minicurso, com objetivo de difusão do conhecimento sobre a História de Manaus e no reconhecimento do Patrimônio Cultural. A conexão entre o passado e o presente será fundamental para a reflexão, através das questões problematizadas e também através do debate entre o público participante inscrito no minicurso. O conteúdo do minicurso é o básico do tema com informações, dados, legislação, diagnóstico do que já foi tombado ou registrado, e vídeo produzido do que seria a aula prática na parte final. Será realizado com aula teórica com vagas limitadas respeitando os protocolos da Organização Mundial de Saúde – OMS devido à pandemia Covid-19 em Manaus, e em substituição ao que seria a aula de campo será exibido um vídeo que foi produzido para o curso. A carga horária seria de 10 horas, mas foi diminuído o tempo para cumprir os protocolos. Se houver demanda alta de inscritos será aberta mais uma turma maior no modo virtual. Parceiro no projeto, Otoni Mesquita comenta sobre a importância da participação de habitantes da cidade em atividades que os envolvam com os espaços. “Seja um curso, minicurso ou um passeio turístico,...

Leia Mais
Hoje tem a live de Lançamento do game “The Roots VR”
abr23

Hoje tem a live de Lançamento do game “The Roots VR”

Nesta sexta (23), às 20h ocorre a live de lançamento do projeto ‘The Roots VR’: Os sons da floresta em realidade virtual, um game musical e educativo, idealizado pelo músico e produtor, César Lima, contemplado no edital Prêmio Feliciano Lana, através da Secretaria de Cultura e Economia Criativa Amazonas (SEC- AM) via Lei Aldir Blanc, que tem por objetivo compartilhar com o público, conhecimentos gerais sobre a origem e confecção de instrumentos Amazônicos e também proporcionar uma imersão virtual única através dos mais belos cenários e sonoridades que caracterizam as festas, tradições e manifestações culturais da Região Norte do Brasil. Link para acompanhar à live de lançamento : http://bit.ly/youtubetherootsvr Segundo o coordenador do projeto, César Lima, o download doThe Roots VR será totalmente gratuito e estará disponível a partir do dia 23 de abril, através do site: http://www.therootsvr.com.br ou através das lojas oficiais de em dispositivos que utilizem o sistema operacional Android. INSPIRAÇÃO “O primeiro insight do The Roots veio em 2018 através de um convite para produzir uma pesquisa,num período intenso de seis meses, sobre instrumentos musicais Amazônicos. Após a pesquisa entendi a necessidade de trazer para mais próximo do público essas informações sobre nossos instrumentos, pois eu mesmo graduado em Música nunca tinha visto uma variedade de instrumentos tão importantes, ricos e relevantes em seus significados culturais ” Declara, César. Confira abaixo, os instrumentos que compõem o The Roots: 1- GAMBÁ DE MAUÉS Instrumento de percussão feito do tronco da árvore da Cupiúba e pele de caça que é tradicionalmente usado pelos ribeirinhos e em festas dos santos em Maués. Assista aqui ao vídeo: http://bit.ly/gambademaues 2- TAMBOR DE CUIAInstrumento de percussão feito de cuia e tampo de Marupá. Esse instrumento faz parte dos Bios-instrumentos criados pelo poeta e artesão Celdo Braga. 3- MAWAKO FËMEAInstrumento melódico da etnia Desana/Tukano. Usado em festas e rituais ligados a produtividade e farturas na comunidade.Assista aqui vídeo: http://bit.ly/mawakofemea 4- CARRIÇOInstrumento melódico da etnia Desana /Tukano. Usado em festas e rituais ligados a boas novas e festas da alegria. 5- NHAMBE – INAJÁ Instrumento percussivo usado como elemento complementar de textura e rítmica por músicos-percussionistas ou como tornozeleira em rituais indígenas. Assista aqui o vídeo: http://bit.ly/nhambeinaja 6- CHUÁ – CHUÁ Instrumento de percussão feito com material reciclado e sementes nativas. Esse instrumento reproduz os sons do oceano e faz parte dos Bios-instrumentos criados pelo percussionista e artesão João Paulo. 7- CUATRO VENEZUELANO Instrumento harmônico feito com tampo de marupá, fundo de cuia e cordas de nylon. Instrumento andino com novas adaptações feitas pelo poeta e artesão Celdo Braga. 8- CHARANGO Instrumento harmônico tradicionalmente feito com pinho, cedro, naranjillo e cordas duplas de aço....

Leia Mais
Festival Potência das Artes no Norte (PAN) divulga selecionados 2021
abr20

Festival Potência das Artes no Norte (PAN) divulga selecionados 2021

Realizado de 24 a 30 de abril, evento on-line terá espetáculos, pitch, núcleo de crítica e programação formativa em sua segunda edição. Dedicado a fortalecer as produções artísticas nortistas, o Potência das Artes no Norte (PAN) divulgou a lista de selecionados para edição 2021 do festival. Além de espetáculos, foram escolhidos projetos para serem apresentados no Pitch e profissionais para compor o Núcleo de Crítica, duas inovações da segunda edição. O PAN será realizado de 24 a 30 de abril, de forma totalmente on-line e gratuita. Do Repente – Lamira Artes Cênicas (TO). Com curadoria formada pelos artistas Ítalo Rui, Francis Madson e Gleidstone Melo, o PAN trará, nesta edição, obras gestadas durante a pandemia e que trazem questões sobre os impactos socioeconômicos, políticos e culturais levados à tona pelo COVID-19; espetáculos criados em confinamento, no interior da casa dos artistas, reinventando seus procedimentos de criação, até trabalhos em um país pré-pandêmico, com discursos urgentes e que ganharam ainda mais força no Brasil de 2021. No total, foram selecionados 14 espetáculos para a programação oficial e sete propostas para o Pitch, todos representantes da região Norte; além de cinco profissionais para o Núcleo de Crítica, que possibilitou a participação de pessoas de todo o País. Cabô – Vitor Rocha (AM). “O papel, desta curadoria, não foi construir de forma leviana uma lista, através de sistemas metodológicos construídos à base de eixos temáticos. Neste exercício ético proporcionado pelo PAN, as obras é que levantaram a dimensão metodológica necessária para serem curadas e, assim, a curadoria tornou-se uma mediadora de ações culturais, entre as ideias do evento e os espetáculos. Neste exercício, que impõe aos curadores diálogo e escuta, debate teórico-prático, devaneios, glossolalias, silêncios, ética e generosidade, partindo do princípio da função social e profissional desse sujeito, focado em formar uma programação diversa e representativa da região Norte. É um gesto decolonial por natureza e visão política contemplar trabalhos que são potências fundamentais, tanto na qualidade e diversidades, mas, também, na representação dos Estados da região Norte”, declaram os curadores em uma carta aberta, assinada coletivamente. AGO – Menina Miúda Produções Artísticas (AM). Confira abaixo a lista de selecionados para cada categoria do PAN 2021. Contemplado pela Lei Aldir Blanc, por meio do edital emergencial Prêmio Feliciano Lana, da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, com apoio do Governo Federal, por meio da Secretaria Especial da Cultura. O festival PAN será gratuito e transmitido on-line. Sobre Lourdes e Viviane – Viviane Palandi (AM) Mais informações podem ser encontradas na conta do Instagram @pan.norte ou pelo site https://linktr.ee/pan.norte. Espetáculos selecionados: Video-performances – Uma Estética dos Restos – Amanara Brandão Lube...

Leia Mais