Hadna Abreu apresenta “Linhas do Tempo: De volta pra Casa”
nov04

Hadna Abreu apresenta “Linhas do Tempo: De volta pra Casa”

“Linhas do Tempo-De volta para casa”- É o título da mais nova exposição da artista visual Hadna Abreu, que estreia no dia 19 de novembro, às 19h00, na Galeria de Artes “The Art Gallery”) do Instituto Cultural Brasil- Estados Unidos (ICBEU), localizado na Avenida Joaquim Nabuco, n.1286, Centro. UM CAMINHO DE VOLTA PRA CASA A primeira edição da exposição “Linhas do Tempo” ocorreu em 2013, na galeria do Largo, e de lá pra cá, já se passaram sete anos. E assim como na vida, para Hadna, as “Linhas do Tempo” também se transformaram, mas a ESSÊNCIA e o que dá sentido a tudo, desde o início da sua trajetória permanece: O amor e a gratidão por seus Avós, sua maior fonte de inspiração. PROTOCOLOS Devido a pandemia do novo coronavírus (COVID/19), para que se evite aglomerações e possibilidades de contágio, o acesso à galeria, no dia do evento de lançamento e ao longo de todo o período disponível para visitação, será restrito a um total de 60 pessoas, com o uso obrigatório de máscaras ou outro equipamento de proteção individual, e agendamento prévio através do site www.icbeu.com A exposição permanece em cartaz na Galeria do ICBEU, de 19 de Novembro até 18 de Dezembro. As visitas podem ser realizadas de segunda a sexta-feira, de 15h00 às 19h00 e aos sábados, de 09h00 às 12h00. O acesso é gratuito. COM A PALAVRA HADNA ABREU “A exposição sempre esteve em meu coração, cada vez que alguém a citava, comentava e mencionava ou, até mesmo, me marcava em fotos com as obras, algo acionava em mim, precisei de sete anos para entender que o aviador (principal personagem, meu avô) não foi embora de vez, chegaria o dia de sua volta. Esta exposição é uma homenagem aos meus avós, e a todos do mundo que sempre cuidaram verdadeiramente de nós.” O QUE MUDOU DE LÁ PRA CÁ? “Começa em mim. Muita coisa, eu mudei, todos nós mudamos nestes sete anos, a linha do tempo não parou para ninguém. A cada dia ficamos mais velhos e damos espaço a outros mais novos. Minhas obras, já não são mais espontâneas como antes, eu as planejo mais, demoro para realizá-las. Neste ano de 2020, passamos por muitas coisas juntos, mas distantes, ainda não voltamos ao normal, meu trabalho também sofreu esse impacto, e creio que por conta disso, o nome da 2º edição, que é DE VOLTA PARA CASA, ainda ficou mais significativo, parece que por alguns meses fomos teletransportados para outro mundo, e estamos ansiosos, e impacientes para voltamos para nosso mundo normal. Essa exposição não se trata apenas de idosos, cada personagem pode ser...

Leia Mais
11º Festival Mova-se lança espetáculos selecionados
set02

11º Festival Mova-se lança espetáculos selecionados

O Centro Cultural Casarão de Ideias anuncia as produções locais, nacionais e internacionais que formarão a programação do XI Festival Mova-se: Solos, Duos e Trios. Ao todo, o evento recebeu 92 inscrições de artistas e grupos em diferentes categorias para participaram do certame, vieram inscrições de 16 estados brasileiros e também sete países ibero-americanos. O evento acontece em Manaus, de 27 a 29 de novembro, e traz grandes novidades, além das apresentações presenciais, a programação ainda terá apresentações virtuais. Porém, as produções que participam no festival na forma presencial serão de grupos, artistas e companhias amazonense, desta forma não haverá deslocamento de outros estados, já que estamos em período de distanciamento social causado pelo novo Coronavírus. Foram selecionados 13 espetáculos, sendo apenas duas apresentações presenciais: “Sodade”, da Panorando Cia e Produtora e “Enruína”, do grupo Em Lugar Arte e Movimento. Ambas produções deverão atender aos protocolos de cuidados com a saúde pública, preconizados pelos órgãos de saúde, entre eles o distanciamento social, uso de álcool gel e máscaras. Já as produções nacionais que se apresentaram de forma virtual, figuram os espetáculos: “Titiksha”, da Nalini Cia Dança (GO); “Corpo Máquina”, da Robo.Art (SP); “As Vezes Eu Kalho”, produzido por Geda Cia. de Dança Contemporânea (RS) e “Outono”, da Cia. Mineira De Teatro (MG). Inovando O XI Festival Mova-se: Solos, Duos e Trios abriu inscrições para que os países ibero-americanos participassem. De acordo com João Fernandes Neto, diretor geral do evento, o sucesso foi tão grande, que nesta edição participarão seis  países, que irão mostrar sua arte através das plataformas digitais. “Nosso primeiro ano internacional e receber todas essas inscrições só reforçam quanto festival já possui um diálogo em promover arte nas suas diversas linguagens”, afirma. Os espetáculos selecionados são, o espanhol “Grietas En El Água”, da companhia Caminantes Danza; “Isto Não É Uma Mesa”, produzido pela empresa A4filmes com dupla nacionalidade Brasil e Colômbia; “Dês- Tierra”, do bailarino colombiano Cristian David Triviño Rincón; “Loop”, o argentino Esteban Hezkibel; “Primeiro A Las 10”, espetáculo peruano da empresa Samoa Producciones e vindo do Equador a produção “Lunáticas”, da Corporación Humor Y Vida. O XI Mova-se Festival: Solos, Duos e Trios foi contemplado com o Prêmio Manaus de Conexões Culturais 2019, por meio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult) e da Fundação Nacional de Arte (Funarte), por meio do Fundo de Ajuda para as Artes Cênicas Ibero-Americanas (Programa Iberescena), na categoria Apoio a Festivais. O festival tem o patrocínio do Banco da Amazônia, através da Lei Rouanet. Serviço: XI Festival Mova-se: Solos, Duos e Trios Quando: de 27 a 29 de novembro de 2020 Quanto:...

Leia Mais
NÓX Sintomas e Processos inaugura amanhã
ago27

NÓX Sintomas e Processos inaugura amanhã

Exposição apresenta 14 artistas e vai estar em cartaz a partir de amanhã (28) É com a exposição “NÓX Sintomas e Processos” que a Galeria do Largo dá início às comemorações de 15 anos do espaço administrado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, que compõe o circuito cultural do Largo de São Sebastião, no Centro de Manaus. A abertura será nesta sexta-feira (28/08), às 17h, e apresenta trabalhos de 14 artistas: Adroaldo Pereira, Árvores do Asfalto, Bruno Kelly, Casa de Sananga, Darlan Guedes, Dermison Salgado, Fabiano Barros, Helen Rossy, Ítalo Alus, Jorge Liu, Thaizis, Romahs, Roosivelt Pinheiro e Odacy Oliveira, com curadoria de Cristovão Coutinho. O secretário Marcos Apolo Muniz destaca que a mostra, que nasce num momento de ressignificação das artes e da vida, também apresenta o novo olhar dos artistas para o mundo e a forma de se relacionar com ele, o que possibilita aos espectadores, além do valor estético, momentos de reflexão. “Nossa proposta é reunir nomes já consagrados e novos talentos que despontam na cena do estado para apresentar um panorama atual das artes visuais no Amazonas e celebrar a Galeria do Largo, que tem como característica agregar as mais diversas linguagens artísticas contemporâneas”, comenta o titular da pasta de Cultura e Economia Criativa. Para o curador, Cristovão Coutinho, instalações, fotografias, objetos, impressões pinturas, grafites, desenhos, estudo grafite, stencil, vídeo, performance e dança vão ocupar o espaço na galeria como cúmplice artístico de estratégias e operações com discursos sobre corpo, lugar social, deslocamento de lugares, violência social, ambiente amazônico e outras estruturas de convívio. Ele explica que, ao longo do processo de escolhas de artistas e obras, a diversidade de identidades e linguagens foi o primordial para estabelecermos o que hoje conceituamos como arte contemporânea. “São 14 artistas que trabalham em zonas de diferentes expressões e nas suas representações, que agregam a diversidade de potências e amplificam a liberdade de maneirismos do fazer e não institucionalizam o modus operandi”, explica. “Adroaldo Pereira, Bruno Kelly, Casa de Sananga e Dermison Salgado tratam de ‘identidades’. O grupo Árvores do Asfalto, Helen Rossy, Romahs e Roosivelt Pinheiro se contêm em ambientes e revitalização, memória e paisagens fluxas. Os artistas Fabiano Barros e Odacy Oliveira usam o corpo como impressão de registros discursivos performáticos como gesto político, e os trabalhos de Ítalo Alus, Jorge Liu, Thaizis e Darlan Guedes tratam das Letras, da natureza feminina, urbana e ressignificações”. Funcionamento – A Galeria do Largo está aberta ao público das 15h às 20h, de terça a domingo, com entrada gratuita. Não é necessário agendamento prévio para o espaço; no entanto, as visitas devem...

Leia Mais
Feira da FAS abre para expositores em catálogo virtual
ago17

Feira da FAS abre para expositores em catálogo virtual

Nesta terça-feira (18), a Fundação Amazonas Sustentável (FAS) abre inscrições para a segunda edição da Feira da FAS Virtual, a versão online da tradicional feira de economia criativa e sustentável que, antes do início da pandemia do novo coronavírus, era realizada mensalmente na sede da instituição. A iniciativa é voltada para pequenos empreendedores de gastronomia, variedades e jardinagem que desejam ter seus produtos expostos no catálogo virtual do evento. Os interessados podem se inscrever gratuitamente através do site: www.fas-amazonas.org. A Feira da FAS Virtual tem a proposta de incentivar a economia criativa e fortalecer os pequenos negócios afetados pela pandemia da Covid-19, garantindo uma plataforma alternativa para exposição e venda de produtos enquanto a versão presencial do evento não volta a ser realizada. Mais de 70 negócios integraram a primeira edição do catálogo virtual, lançada em maio através dos canais online da feira (redes sociais e site da FAS). Segundo o coordenador da iniciativa, Gabriel Cavalcante, a feira virtual teve um impacto muito positivo, beneficiando os empreendedores que ficaram sem espaço com o cancelamento dos eventos presenciais. “A primeira edição foi bastante expressiva para o começo do projeto, que marcou a reinvenção da feira nesse período de pandemia. Os empreendedores demonstraram bastante gratidão e deram feedbacks bem positivos em relação às vendas. Na segunda edição, esperamos aperfeiçoar ainda mais a iniciativa e contamos com o apoio do público, tanto das pessoas que já frequentavam a feira mensalmente, quanto daquelas que ainda estão conhecendo a importância do consumo de produtos sustentáveis e que vêm direto dos empreendedores. Vamos seguir neste formato online até o fim do ano, respeitando as orientações das autoridades de saúde em relação à prevenção e distanciamento social”, afirma. Para participar da Feira da FAS Virtual, basta realizar o cadastro e enviar fotos dos produtos oferecidos. O processo é aberto para negócios de decoração, papelaria artesanal, bijuterias e acessórios, vestuário, colecionáveis, pets, jardinagem, gastronomia, entre outros. Com os dados cadastrados, a organização do evento criará um catálogo que será divulgado nas redes sociais e no site da FAS, além de ser compartilhado com os empreendedores para a disseminação através de grupos no whatsapp. “A iniciativa também beneficia os consumidores, garantindo mais conveniência e segurança nas compras, uma vez que não há necessidade de deslocamento. O interessado escolhe no catálogo o produto que deseja adquirir, entra em contato com o empreendedor responsável e recebe as compras por delivery”, explica Cavalcante. As inscrições ficarão abertas até o dia 25 deste mês e o novo catálogo com os empreendimentos cadastrados será divulgado em setembro. Mais informações podem ser obtidas através do e-mail: feiradafas@gmail.com. Sobre a Feira Considerada um dos principais...

Leia Mais
Festivais no Amazonas e os impactos da Covid-19
Maio27

Festivais no Amazonas e os impactos da Covid-19

Festival Até o Tucupi convida nesta quinta (28) festivais amazonenses para debate online, que reflete as produções em tempos de coronavírus e isolamento social. O Festival Até o Tucupi de Artes Integradas, que em 2020 completa 14 anos de realização ininterrupta, provoca o debate Festivais no Amazonas e os Impactos da Covid-19, com produtores de Festivais do Estado do Amazonas, para refletirem o cenário artístico-cultural no contexto de pandemia, medidas restritivas e seus impactos nessa cadeia produtiva. O debate acontece nesta quinta-feira,  28 de maio de 2020, às 19h e terá transmissão ao vivo no Facebook e YouTube do Coletivo Difusão. Os festivais, feiras e festas no país que já não cancelaram/adiaram suas edições, no mínimo estão repensando seus formatos, até realizando suas programações em formato on-line. De acordo com um levantamento feito pelo DATA SIM em março de 2020, 536 empresas ouvidas pela pesquisa reportaram o adiamento ou cancelamento de mais de 8 mil eventos de música ao vivo em 21 estados do Brasil. Se os resultados fossem projetados para todas as 62 mil MEIs da “música ao vivo” (empresas individuais de “Produção” e “Sonorização e Iluminação”), os prejuízos seriam de R$ 3 bilhões afetando um milhão de trabalhadores.  Outro ponto em análise se configura na aprovação da PL 1075/2020, Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc, aprovada nesta terça-feira (26) na Câmara dos Deputados e que agora segue para o Senado Federal. A proposta visa destinar uma ajuda ao setor cultural durante a crise da pandemia de R$ 3 bilhões. Se a proposta for aprovada o recurso será repassado pelo Governo Federal, em até 15 dias da publicação da Lei, aos estados, municípios e ao Distrito Federal, destinada aos fundos de cultura e aplicados na renda mensal para trabalhadores do setor.  Para debater os impactos da Covid-19 e do isolamento social na realização de festivais foram convidadas representantes do Festival de Parintins: Lydia Lucia, Boi Bumbá Garantido e Ericky Nakanome, do Boi Bumbá Caprichoso. Além de produtores como: Elisa Maia, Festival Somas; Paulo Trindade, Festival Até o Tucupi; Diego Bauer, Olhar do Norte; Ana Oliveira, Potência das Artes do Norte; Márcia Novo, Tarumã Alive; Laelia Nogueira, Feira Urbana de Alternativas. A mediação com convidados será conduzida pela produtora Michelle Andrews, com apoio na mediação de comentários de Adelon Murari e Pedro Cacheado, onde o público pode interagir nos chats com perguntas e comentários aos convidados e mediadores. O Coletivo Difusão assina a realização da atividade. A organização cultural fomenta cultura e atua na integração entre as manifestações artísticas independentes nas ações e projetos que executa. Sobre o Festival Até o Tucupi O Festival Até o Tucupi de Artes...

Leia Mais
Hoje tem Bloco do Cauxi Eletrizado
fev24

Hoje tem Bloco do Cauxi Eletrizado

O bloco volta para pista da Assinpa com atrações como DJ Carol Amaral, Bateria da Reino Unido, Wanderley Andrade e Banda Oficial Bloco tradicional na cidade, o Cauxi Eletrizado será um dos destaques da Segundona de Carnaval (24/2), quando volta para a pista da Assinpa (Associação dos Servidores do Inpa – Rua da Lua, Morada do Sol, Aleixo), com atrações como Wanderley Andrade, DJ Carol Amaral e bateria da Reino Unido e a Banda Oficial, formada por músicos da Alaídenegão, Cabocrioulo e Os Tucumanus. Os ingressos estarão à venda na bilheteria por R$ 30. Com o tema Brega Tropical e decoração assinada por Adroaldo Pereira, o evento contará, na estrutura, com área de alimentação, Espaço Kids e a com o lançamento da Estação Cauxi. A festa terá ainda a apresentação do artista Ícaro Pimentas Regionais e Make Express com Rakel Caminha e Érika Guedes. “A Estação Cauxi é a novidade desta edição, um complexo que será o ponto de encontro da noite, preparado especialmente para o público produzir fotos para as redes sociais, retocar a make e descansar durante a festa”, afirma Davi Escobar, um dos fundadores do bloco, vocalista e guitarrista da Alaídenegão. “Cada detalhe foi pensando para proporcionar ao público a melhor experiência, essa conexão desde a primeira edição do bloco faz toda a diferença”. Um dos pontos altos da festa também é o tradicional concurso de fantasias, onde os foliões mais criativos concorrem a prêmios como baldes com cerveja e a melhor fantasia é escolhida pelo público. O vencedor ganhará três baldes com cerveja, o segundo lugar terá direito a dois baldes enquanto o terceiro colocado levará um balde como prêmio. Programação – A DJ Carol Amaral, que estreia no Cauxi Eletrizado, abrirá a festa, às 16h, e também comandará os intervalos entre as bandas, com um set composto de música brasileira. “Gosto muito do bloco, é sempre uma das minhas paradas obrigatórias no Carnaval de Manaus. Estou muito feliz com o convite porque sou fã dos músicos da Alaídenegão, Cabocrioulo e Os Tucumanus e do som que eles fazem, que é muito familiar”, comenta a DJ. “Prometo sets de muita música brasileira e mais surpresas”. Em seguida, será a vez da Bateria da Reino Unido, que, neste ano, está com o enredo “Turismo – O Amazonas de braços abertos para o mundo”, de Reginei Rodrigues, Zilkson Reis e Leonardo Fierro. No repertório da Furiosa, a partir das 18h estarão clássicos do samba amazonense. Às 20h, a Banda Oficial do Bloco assumirá o palco para uma apresentação em formato diferente, serão três horas e meia de frevos, marchinhas e trabalho autoral, que substituirá o show de...

Leia Mais