Resenha – Cinderela

Ser fã de cinema em Manaus é complicado. Você praticamente se vê obrigado a assistir filmes dublados. De uns tempos pra cá 80% dos filmes que entram em cartaz nos cinemas locais são filmes dublados e eis que me deparado com o filme Cinderela, um filme Disney e teoricamente infantil, veio com cópias legendado. Normalmente classifico os filmes entre "Vale a Pena Assistir no Cinema" e "Da para esperar chegar na TV", Cinderela é um desses filmes, obviamente dava para esperar, mas por falta de opções de filmes legendado, me critiquem se quiserem, fui assistir. Adaptações Live Action nem sempre são bem sucedidas, as vezes peca-se muito pelo excesso, as vezes peca-se muito pela falta, Cinderela fica no meio disso tudo. Não espere um filme fiel a animação de 1950, na versão em carne e osso de Cinderela, porém, o roteirista Chris Weitz foge à nova regra de transformar a personagem principal em uma empreendedora e/ou em uma heroína destemida, nesse ponto o bom diretor Kenneth Branagh acertou a mão.  Kenneth Branagh dá pompa ao conto de fadas, seguindo o estilo das suas adaptações shakespearianas. Sob sua direção, os cenários e os figurinos (assinados por Dante Ferretti e Sandy Powell) ganham um quê teatral. Tudo é artificial, das paisagens aos dentes brancos do príncipe. Branagh, contudo, sabe coordenar todos os elementos às suas mãos e casa o visual exagerado com a história e as atuações, criando uma peça genuína com ingredientes falsos. cinderella1 Lily Jamesnão me convenceu como Cinderela, apesar da bondade da moça ser fiel a animação, na grande tela fica muito artificial. Richard Maddencomo o príncipe é outro que deixou a desejar, no fundo são personagens fracos e sem motivações, motivações essas que chegam a ser bobas em certos momentos. Helena Bonham Carter é uma boa fada madrinha, mas confesso que senti falta da música. O ponto alto do filme é a vilã vivida por Cate Blanchett, linda e atuando de forma impecável ela rouba a cena quando aparece na grande tela em figurinos deslumbrantes, ela convence de forma extraordinária como uma mulher amargura que enterrou dois maridos e tem duas filhas desmioladas, as boas atrizes Holliday Grainger e Sophie McShera, essas duas, aliais, que fazem um bom papel de irmãs que se odeiam, mas precisam uma da outra. No fim das contas Cinderela é um filme razoável, mas poderia ser melhor. Minha nota? 2 Xibés.
Rodrigo Vasques

Author: Rodrigo Vasques

Publicitário e Nerd, 30 anos e amante de Cinema, Livros, Games e HQ´s

Share This Post On
468 ad