Voto popular vai eleger receita vencedora da Prova da Farinha Ribeirinha
set18

Voto popular vai eleger receita vencedora da Prova da Farinha Ribeirinha

A Ribeirinha, farinha de Mandioca do Uarini. Na última quarta-feira (15) teve início, no site da Fundação Amazônia Sustentável (FAS), a fase de votação popular da “Prova da Farinha Ribeirinha”, competição gastronômica e digital que escolherá o melhor e mais criativo prato feito com farinha da Amazônia. A votação popular segue até 22 de setembro e no dia seguinte, 23, será realizado o anúncio dos vencedores. A disputa premiará os três melhores colocados com R$ 1,5 mil, R$ 1 mil e R$ 500, respectivamente. A Prova da Farinha é uma iniciativa da FAS, em parceria com o Ministério Público Federal (MPF) e a Associação dos Moradores e Usuários da Reserva Mamirauá Antônio Martins (Amurmam). O objetivo da competição gastronômica é incentivar a produção da farinha da Amazônia, do tipo ovinha e mais conhecida como farinha do Uarini, apoiando produtores e agregando valor ao produto. A competição acontece de forma totalmente online e está na fase final. Foram mais de 40 receitas inscritas, enviadas de todo o país. Na fase anterior, os chefes de cozinha e jurados da prova selecionaram as dez melhores e mais criativas receitas, sendo oito delas de pessoas de Manaus, uma do Pará e uma de São Vicente, no litoral sul paulista. Porém, desses 10, dois foram desclassificados por omitirem na inscrição que tinham formação em gastronomia. Uma das regras da competição é o competidor não ter formação profissional na área. Os selecionados, então, gravaram um vídeo preparando seu prato com a farinha. Os vídeos estão disponíveis no site da FAS para consulta através do link fas-amazonia.org/farinha-ribeirinha e votação popular por meio do formulário: forms.gle/huohciMxsiJk4yeP6. As receitas que podem ser votadas são: “Bolo Uarini”, de Carla Cristina Ferreira Zeni e escolhida pela chef Debora Shornik, responsável pelos restaurantes Caxiri e Biatuwi Casa de Quinhapira; “Rocambole de Pirarucu recheado com Farofa de Castanha”, feita por Alberson Teixeira, escolha chef Marcus Pompeu, da Casa de Comidas Zuzu; “Panrofa – Panquecas de Farinha de Mandioca”, feita por Jorge Augusto Abbade Pereira, do Pará, que foi selecionada pelo chef Guga Rocha, que atua também como pesquisador, escritor e apresentador de TV; “Capitão Uarini” por Willanir Silva Lima “Capitão Uarini”, preparada por Willanir Silva Lima e escolha do proprietário do Ferrugem Rock Gourmet, chef Thiago Santana; “Pirarucu de Bikini”, da competidora Renata de Souza Paula “Pirarucu de Bikini”, da competidora Renata de Souza Paula, selecão do chef Felipe Schaedler, responsável pelo Restaurante Banzeiro; “Pirãojambu”, elaborada por Horenilde da Silva Gomes “Pirãojambu”, elaborada por Horenilde da Silva Gomes e escolhida pelo chef Paulo Fortunato do restaurante Fish Maria;“Cuscuz de Banana”, feita por Cristiane Caitano Medeiros, que mora em São Vicente (SP), e...

Leia Mais
Prova da Farinha Ribeirinha anuncia finalistas
ago19

Prova da Farinha Ribeirinha anuncia finalistas

A Fundação Amazônia Sustentável (FAS) anunciou, nesta quarta-feira, dia 18, as 10 pessoas que foram classificadas para final da “Prova da Farinha Ribeirinha”, competição gastronômica e digital que escolherá a melhor e mais criativa receita feita com farinha da Amazônia. A disputa tem premiação de R$ 1,5 mil para o primeiro colocado, R$ 1 mil para o segundo e R$ 500 para o terceiro. A chef Debora Shornik, responsável pelos restaurantes Caxiri e Biatuwi Casa de Quinhapira Mais de 40 pessoas de diversas partes do Brasil se inscreveram na disputa. As receitas classificadas foram escolhidas pelos chefs e jurados da Prova da Farinha Ribeirinha. Sendo 8 receitas de pessoas de Manaus, uma receita de um competidor do Pará e uma receita de uma participante de São Vicente, cidade no litoral sul de São Paulo. O proprietário da Cachaçaria do Dedé e do restaurante Terra & Mar, Dedé Parente, escolheu a receita de “Farofa de Pirarucu com banana, queijo e ovos”, feita por Bruno Maciel da Silva. A chef Debora Shornik, responsável pelos restaurantes Caxiri e Biatuwi Casa de Quinhapira, escolheu a receita de “Bolo Uarini”, da Carla Cristina Ferreira Zeni. O chef Marcus Pompeu, que atua na Casa de Comidas Zuzu, escolheu a receita de “Rocambole de Pirarucu recheado com Farofa de Castanha”, feita por Alberson Teixeira. O chef Guga Rocha, pesquisador, escritor e apresentador de TV Já o chef Guga Rocha, que também é pesquisador, escritor e apresentador de TV, escolheu a receita “Panrofa – Panquecas de Farinha de Mandioca”, feita por Jorge Augusto Abbade Pereira, do Pará. O chef Thiago Santana, do Ferrugem Rock Gourmet O proprietário do Ferrugem Rock Gourmet, o chef Thiago Santana, escolheu a receita “Capitão Uarini”, preparada por Willanir Silva Lima. O chef Felipe Schaedler, responsável pelo Restaurante Banzeiro, indicou a receita de “Pirarucu de Bikini”, da competidora Renata de Souza Paula. Veja Comer & Beber Manaus 2017 O chef Felipe Schaedler, responsável pelo Restaurante Banzeiro A sétima receita foi escolhida pelo chef Paulo Fortunato, responsável pelo restaurante Fish Maria. Ele indiciou a receita de “Pirãojambu”, elaborada por Horenilde da Silva Gomes, que mora numa comunidade do Lago do Acajatuba, Zona Rural de Manaus. O chef Paulo Fortunato, responsável pelo restaurante Fish Maria A receita de “Bolinho de Pirarucu com banana, empando na farinha ovinha”, da competidora Andrey Alves de Vasconcelos, foi a indicação da chef carioca Teresa Corção (presidente do Instituto Maniva Ecochef e Embaixadora da Cozinha Brasileira no Senac RJ). A chef carioca Teresa Corção (presidente do Instituto Maniva Ecochef e Embaixadora da Cozinha Brasileira no Senac RJ) Além dessas, a receita de “Cuscuz de Banana”, feita por Cristiane Caitano Medeiros,...

Leia Mais
“Quero é Cerveja AM” comemora 1º aniversário
ago12

“Quero é Cerveja AM” comemora 1º aniversário

Serão 10 horas de evento com gastronomia, música e mais de 45 rótulos especiais Cervejas artesanais, lançamentos de cervejarias e uma comemoração inédita no 1º aniversário do clube de compras coletivas “Quero é Cerveja AM”. Com 10 horas de duração, o evento será no próximo dia 15 de Agosto, a partir das 10h, na rua Estrela Dalva, Nº 45, bairro Aleixo, Zona Leste de Manaus. A festa vai reunir mais de 45 rótulos de cervejas especiais, lançados por nove cervejarias. Como a belga Duvel, em lançamento no Brasil que disponibilizou um estoque exclusivo de “Belgian Blond Ale” com teor alcoólico de 6,66%. A queridinha do Ceará “5 Elementos” também vai apresentar edições especiais para o evento como a “Sweet Symbiosis”, estilo Russion Imperial Stout com 13% de graduação alcóolica. De acordo com o responsável pelo clube, empresário e engenheiro químico Cássio Oliveira, serão 28 estilos diferentes. “Esse evento vai apostar na diversidade de sabores e estilos. Reforço o convite aos fãs de cervejas especiais e aqueles que não conhecem ainda as variedades, serão mais de 25 modelos sendo 10 só de IPA a preços a partir de R$20”, acrescentou. Na trilha sonora da festa, quem comanda o som com muito vinil são os DJs Ruderal e Manoel Portuga. E para forrar o estômago, o Pilão Bistrô Bier vai apresentar um cardápio especial de petiscos, sanduiches e caldos regionais ideais para harmonizar com as bebidas. Os doces e sobremesas ficam por conta da quituteria “Rent’s Merenda” com cookies, mousses e o tradicional pudim de cumaru. O aniversário é do clube mas quem ganha os presentes são os participantes da festa. Durante toda a programação, haverá sorteios exclusivos somente para quem estiver presencialmente. Conhecida por seus rótulos artísticos, a cervejaria Narcose do Rio Grande do Sul, possui uma série de itens colecionáveis como copos, camisetas, bonés, barmat, toalhas que farão parte dos sorteios e no prêmio principal ao ganhador do bingo uma cesta de cervejas nacionais e internacionais.  Os passaportes são limitados, estão à venda no valor de R$20 e dão acesso ao evento e participação dos sorteios. O evento vai até às 20h, é apropriado somente para maiores de 18 anos e o uso de máscara é obrigatório. Quero é Cerveja AM Com aproximadamente 80 membros, o clube promove em Manaus, a articulação a preços de varejo com cervejarias especiais para compras de novos modelos exclusivos de cervejas, copos entre outros artigos colecionáveis. Além das empresas já citadas, o clube Quero é Cerveja AM tem parceria com as cervejarias: Quatro Graus (RJ); Seven Hands (SP); Devaneio do Velhaco (RS); Dr. Otto (SP); Spell (SP); Fermi (SC) e Three Monkeys (RJ);...

Leia Mais
Inscrições prorrogadas para a “Prova da Farinha Ribeirinha”
jul14

Inscrições prorrogadas para a “Prova da Farinha Ribeirinha”

A Fundação Amazônia Sustentável (FAS) prorrogou até o dia 30 de julho o prazo para inscrição na “Prova da Farinha Ribeirinha”, competição gastronômica e digital que vai escolher o melhor e mais criativo prato feito com farinha da Amazônia. A disputa vai premiar com R$1,5 mil o primeiro colocado, R$1 mil para o segundo e R$500 para o terceiro. A Prova da Farinha é uma iniciativa da FAS, realizada em parceria com o Ministério Público Federal (MPF) e a Associação dos Moradores e Usuários da Reserva Mamirauá Antônio Martins (AMURMAM) para incentivar a produção da farinha da Amazônia, do tipo ovinha e mais conhecida como farinha do Uarini, apoiando produtores e agregando valor ao produto. A competição acontecerá totalmente online, permitindo a participação de pessoas de todo o país ou até de fora do Brasil. É dividida em três fases, a prova começa com as inscrições, até 30 de julho, quando a pessoa inscreve sua receita utilizando a farinha no site da FAS. Na próxima etapa, entre 1º e 16 de agosto, dez chefs de cozinha conhecidos por produzirem pratos com a farinha vão selecionar as dez melhores e mais criativas receitas. Na terceira fase, os selecionados devem gravar um vídeo preparando seu prato com farinha. O material será divulgado no site e redes sociais da FAS, onde, através de voto popular, serão escolhidos os vencedores. Para o Gerente de Empreendedorismo e Negócios Sustentáveis da FAS, Wildney Mourão, a iniciativa é uma oportunidade importante de gerar reconhecimento nacional ao produto amazônico tão especial. “Com a competição queremos incentivar o uso da farinha e que seja cada vez mais conhecida no Brasil. Queremos proporcionar um maior reconhecimento para um produto tão tradicional e especial em nossa região”, afirma. Wildney segue explicando sobre a importância da farinha para as comunidades ribeirinhas, que vai além da culinária. “A produção da farinha segue toda uma lógica produtiva alinhado às boas práticas sustentáveis, reforçando o envolvimento social no processo e contendo um diferencial comprovado para qualificar a oferta junto ao mercado. Além disso, segue os conceitos de valorização de produtos tradicionais da Amazônia, como cultivo e origem florestal, respeito ao meio ambiente, às populações tradicionais e seus territórios, comprovados por meio do selo ‘Origens Brasil’, que a Farinha Ribeirinha possui”, disse. Os chefs e jurados da competição são: o proprietário da Cachaçaria do Dedé e do restaurante Terra & Mar, Dedé Parente; Felipe Schaedler (do Restaurante Banzeiro SP/MAO, Moquem e Caboquinho), Thiago Santana (do Ferrugem Rock Gourmet), Debora Shornik (dos restaurantes Caxiri e Biatuwi Casa de Quinhapira), Elisângela Valle (do Tambaqui de Banda), Paulo Fortunato (do Fish Maria), Marcus Pompeu (Casa de Comidas Zuzu),...

Leia Mais
O “Tio da merenda” que o aluno aprovou na merenda escolar de Manaus.
mar08

O “Tio da merenda” que o aluno aprovou na merenda escolar de Manaus.

Cardápio apresentado pelo merendeiro escolar Bruno Raphael. Assim que assumi a atividade de merendeiro escolar, me perguntaram o porquê um chef de cozinha, gastrológo, mestre e professor universitário se submeteria a essa função? Com o início dessa nova jornada, algumas pessoas me perguntavam: “Você lava louça? Você lava panela?Você limpa chão? Você limpa freezer?” As receitas elaboradas pelo merendeiro escolar Bruno Raphael. E a minha resposta sempre foi a mesma: “Tenho maior orgulho do que faço, só Deus e minha colega de trabalho @cristinanascimento sabem o que realmente é a nossa função”. Levar alimentação saudável não é a única proposta dos merendeiros, mas também ouvir os alunos e saber do que eles gostam e tentar, de certa forma, mudar seu hábito alimentar e explicar a importância de cada alimento que utilizamos no preparo das refeições. A cartilha foi gerada a partir da aprovação do projeto junto a FAPEAM. E para todos eu digo: SIM, eu amo o que faço, SIM eu lavo louca, panela, chão, coifa, fogão; limpo freezer, organizo estoque e muito mais. Bruno Raphael, chef de cozinha, gastrológo, mestre e professor universitário, e o principal, merendeiro. Sou o merendeiro da Escola Estadual Deputado Josué Cláudio de Souza e por amor à profissão e aos meus queridos sobrinhos, porque assim que eu assumi a função fui batizado carinhosamente de: “TIO DA MERENDA”!...

Leia Mais
O mise en place do chef no Prêmio Dólmã 2021
fev23

O mise en place do chef no Prêmio Dólmã 2021

Atuo há 22 anos no segmento de alimentos e bebida, com passagens em diversas funções, de copeiro a chef de cozinha, em restaurantes renomados como o Chez Geroges, Bar & Café Lè Brasilien e Cassino Americano. Conto também com a experiência e disciplina que obtive como cozinheiro na Marinha do Brasil, chegando até a compor a equipe de preparações de pratos para a alta cúpula militar da Holanda. Possuo 06 anos como docente do Ensino Superior, lecionando em três Universidades de Manaus (FAMETRO, UNINASSAU e CIESA), além de módulos em Pós-graduação da UNIVEL (Cascavel-PR) e na FAMETRO (Manaus-AM). Sou servidor público do Estado do Amazonas contribuindo com a melhoria da merenda escolar. Desde 2012 faço parte de um grupo de pesquisa vinculado ao CNPq, com atuação em projetos de pesquisa e popularização da ciência envolvendo o reaproveitamento e a elaboração de novos produtos alimentares com ênfase nos insumos amazônicos. chef, docente, gestor e gastrólogo Bruno Raphael Leitão, candidato ao Prêmio Dólmã 2021 na categoria estadual Amazonas. Há 05 anos atuo também como empresário do ramo de alimentos e bebidas na empresa Bar e Restaurante Taberna 88, onde participo do gerenciamento e desenvolvimento do cardápio. Desde 2016 participamos do evento nacional Comida di Buteco, conquistando o vice-campeonato nesse mesmo ano. Tenho experiência na área da Gastronomia desenvolvendo linguiças, defumados e queijos artesanais, produtos da panificação e confeitaria, cozinha brasileira de raiz com foco na regional amazônica, ministrando aulas show em eventos gastronômicos (FIGA – Feira Internacional da Gastronomia Amazônica e MANAUARA CHEF) ajudando a difundir a gastronomia Amazônica Brasil a fora; e na Tecnologia de Alimentos realizo trabalhos voltados a análise se alimentos, análise sensorial, desenvolvimento de novos produtos alimentícios, analises microbiológicas e vida de prateleira. Atualmente venho prestando serviços de consultoria para estabelecimentos de A&B da nossa região. Clique aqui para votar no Prêmio Dólmã 2021 Print da página de votação dos internautas do Prêmio Nacional Dólmã – Categoria Estadual...

Leia Mais