Kikão, símbolo da geração de 70

Quem foi jovem na Manaus da década de 70 lembra-se do maior ponto de encontro da época, o Kikão. Um trailer localizado na praça São Sebastião, que servia um cachorro- quente delicioso, preparado pelo casal de gaúchos Cândida e Alceu.conheca-quais-sao-os-10-piores-alimentos-para-a-sua-saude1413290450 Era o point da moçada. Jovens rapazes de cabelos longos e mocinhas irreverentes. Época da ditadura militar. O lema deles era “é proibido proibir”, em uma sociedade onde quase tudo ainda era proibido. Os mais novos e os mais velhos não deixavam de participar e, principalmente, saborear. Discretamente, dentro do carro, aglomeravam-se para disputar o que era um dos ótimos programas para se fazer na Manaus de antigamente. Dona Cândida, simpática, bonita, cabelos negros e longos, sempre presente no Caixa, administrava tudo. Trabalhava madrugada adentro com determinação e coragem, em parceria com o marido Alceu. Trabalharam duro, mas valeu a pena! Conseguiram recompensa financeira e profissional. Lançaram moda. E, como o que é bom merece ser copiado, os trailers de Kikão invadiram a cidade. Pequenos comerciantes – como se chamava na época - agora seriam empresários - abriram negócios idênticos, com outros nomes. Lembro que havia o Oitentão – com o número 80, bem grande, na placa. Esse era de vanguarda, uma vez que ainda estávamos no final da década de 70. O mais engraçado era o Ratão – ai, que nojo! – e muitos outros. Os trailers, hoje, já não são comuns, mas não é raro encontrar uma daquelas pequenas vans vendendo hot dog, que o amazonense ainda insiste em chamar de Kikão. Essa é uma marca, um vocábulo incorporado ao linguajar baré. Tão importante na nossa cultura, que está inserido no Dicionário de Amazonês, do professor Sérgio Freire. Amazonês E como “Ninguém morre enquanto permanece vivo no coração de alguém”, Dona Cândida Dorneles Neves, que partiu dia 6 de outubro de 2011, permanecerá viva em nossas memórias. Viva, como símbolo de um tempo, de uma geração, de um estilo de vida, e do Kikão mais gostoso que o amazonense já provou.
Flávia Frota

Author: Flávia Frota

Escritora, comunicadora, apaixonada por literatura, aprendiz de designer e responsável pelo blog Atividade Pensante: www.atividadepensante.com

Share This Post On
468 ad