Cantora Karine Aguiar grava Jungle Jazz no Teatro Amazonas

No dia 08 de dezembro de 2019 às 18h, o Teatro Amazonas recebe a cantora amazonense Karine Aguiar para o concerto de gravação de seu primeiro DVD “Jungle Jazz: Uma sinfonia amazônica”. Os arranjos e a direção musical do espetáculo são assinados pelo premiado maestro italiano Antônio Giacometti, que irá compartilhar a regência do concerto com o maestro Marcelo de Jesus. O repertório traz a temática ecológica, através de uma síntese dos dois discos da artista amazonense “Arraial do Mundo” (New York, 2012) e “Organic” (2016), de obras consagradas do cancioneiro amazônico, além de três peças de Giacometti “Pássaros Amazônicos”, “Catuetê Curupira” e “Amazônia – Sinfonia Amazônica” escritas em homenagem à floresta amazônica, com sua estreia mundial na ocasião.

A temática ambiental e da sustentabilidade aparece enquanto um tema transversal desde o primeiro CD de Karine e, se reafirma neste projeto como um dos principais argumentos da estética “Jungle Jazz”, que apresenta ao mundo um novo jeito de se fazer Jazz a partir do sotaque, das narrativas e dos ritmos musicais da Amazônia. Participações da Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica, do Coral Musikart (CDE 04- SEDUC) e dos grupos de Matriz Cultural Gambá de Maués “Pingo de Luz” e Tambores da Floresta. Os músicos amazonenses Anderson Farias (piano), Hudson Alves (baixo acústico), Marcelo Figueiredo (violão) e Ygor Saunier (bateria amazônica), que ajudaram a criar o “Jungle Jazz”, também irão acompanhar a artista no concerto. Entrada Gratuita.

Realização: Prefeitura de Manaus, Governo do Amazonas e Saunier Music Produções. Apoio: IDESAM e Rede Calderaro de Comunicação.

REPERTÓRIO:

  1. Abertura: Pássaros Amazônicos / Tainá / Catueté Curupira – (A. Giacometti)
  2. Amazônia (Ketlen Nascimento)
  3. Porto de Lenha (Aldísio Filgueiras/Zeca Torres)
  4. Biojoias (Hugo Levy/Neil Armstrong/Silvio Camaleao)
  5. Pérola azulada (Zé Miguel / Joãozinho Gomes)
  6. Vento que embala a bananeira (Romulo Marques / Ney Veras)
  7. Um tom para Jobim (Gonzaga Blantez)
  8. Será Sagrado (Robertinho Chaves)
  9. Oração da manhã (Versão em Português: Karine Aguiar / Original: Arthur Herzog Jr)
  10. Uirapuru/It don’t mean a thing (W. Henrique/ Duke Ellington)
  11. Dia de Festa (Zeca Torres)
  12. O meu nome é amor (Mestre Iracito)
  13. Voa Caraxué (Mestre Barrô)
  14. Amazonas (Chico da Silva)
  15. Lamento caboclo (Nícolas Jr)
  16. Final: Sinfonia Amazônica – Amazônia (A. Giacometti)

Sobre Karine Aguiar

Nascida em Manaus/AM em 1987, é cantora, compositora e pesquisadora da musicalidade amazônica. É mestra em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia e doutoranda em Ecomusicologia na UNICAMP, onde desenvolve um projeto sobre música, cultura e meio ambiente no município de Maués/AM. Possui dois discos gravados em parceria com produtores norte-americanos e europeus “Arraial do Mundo” (2012) e “Organic” (2012). Em 2014 foi premiada em Paris como “Melhor CD de MPB” pelo Portail du Brésil em France. Já se apresentou em importantes palcos na Europa e nos Estados Unidos com o seu “Jungle Jazz”, estilo musical que combina ritmos amazônicos e jazz. No Amazonas, trabalhou como solista de importantes orquestras como a Orquestra de Violões do Amazonas, Big Manaus Band, Orquestra Vozes da UFAM e venceu diversos festivais de música, como o FECANI em 2011. Teve seu trabalho condecorado pela Assembleia Legislativa do Amazonas na categoria de Grande Mérito, pela relevante contribuição cultural prestada ao Estado do Amazonas. Como pesquisadora, realizou a coordenação editorial e organização da obra “Tambores da Amazônia: Ritmos musicais do Norte do Brasil”, de Ygor Saunier, condecorada pelo Senado Federal Brasileiro em 2015.

Antônio Giacometti 

Antonio Giacometti nasceu em Brescia (Itália) em 1957. É formado em Literatura Clássica e em Composição no Conservatório de Música de Milão. Desde 1984 trabalha como educador musical, deixando importantes contribuições através de palestras em congressos nacionais e internacionais e artigos em revistas especializadas.

Como compositor, Giacometti ganhou vários prêmios em competições nacionais e internacionais (dentre os principais:  Premio V. Bucchi, Roma, 1982 e 1988; Concours International de  Composition pour guitare de Sablè sur Sarthe, 1983 e 1987; Concours  international de composition MC2, Avignon, 1984; Secondo Concorso Internazionale Antidogma Musica, Turim, 1985; Trio Basso Köln  Internationaler Kompositions-Wettbewerb, Colônia, 1988; I Concorso nazionale di  composizione d’insieme per ragazzi, Como, 1989; IX Concorso nazionale di  composizione “Ennio Porrino”, Cagliari, 1991, “Kazimir Serocki”, Varsóvia,  2000, “IV Concorso internazionale Città di Udine”, Udine 2002, “Hommage à Bartòk”, Hungarian Radio, Budapeste 2006, “I Concorso internazionale Bruno Maderna”, Treviso, 2010, “I Concorso internazionale di Composizione “Monodramma”, Desenzano del Garda, 2013). Giacometti possui um grande catálogo de obras para solistas, ensembles, orquestra sinfônica, coro, teatro musical, com mais de 140 títulos, estreados em vários lugares do mundo.

Fez parte da Direção nacional da SIEM (Sociedade Italiana para Educação  Musical) e foi Presidente da seção territorial de Brescia de 1984 até 2008, colaborando em projetos de pesquisa didática na escola de primeiro e de segundo grau, e também no setor de publicações, com artigos e ensaios na Revista oficial da Associação, Musica Domani. Em 2007, criou o projeto Insegnare la musica giocando al teatro (Ensinar a música brincando de teatro), realizando-o com crianças de escolas de primeiro grau em Brescia e ganhando, com essa iniciativa, o importante “Premio Abbiati per la scuola” 2008.

Atuou dez anos (1989-1999) no Conselho Nacional da SIdAM (Sociedade Italiana de Análise Musical), colaborando com a Revista especializada “Analisi” (edição Ricordi). É professor do Departamento de Composição na Instituição Superior de Estudos Musicais em Modena, onde atualmente exerce a função de diretor. Suas composições foram editadas pela Ricordi, Suvini-Zerboni, EDIPAN, Rugginenti, Bérben, Editions Delatour, Sconfinarte, Agenda Edizioni Musicali. Em 1996 e em 2001, pelas editoras Ricordi e Curci, Giacometti traduziu dois livros sobre o contraponto, um da língua alemã (Kontrapunkt: Dargestellt an Fugenstrukturen bei Johann Sebastian Bach) e um da língua inglesa (Counterpoint from Josquin to Strawinsky). É autor de três livros: LINGUAGGI E FORME PER INVENTARE (una propedeutica alla composizione con proposte di applicazione didattica), um ensaio metodológico sobre o ensino da composição com finalidades didáticas, lançado em 1999 pelo editor Rugginenti de Milão; INSIEME PER SUONARE, INSIEME PER CAPIRE, com materiais de jogos musicais para criança tocando instrumentos só há pouco tempo, escrito em colaboração com seu aluno Mauro Montalbetti e lançado em 2001 pelo editor Curci de Milão; ANCHE SENZA LEGGÌO (metodologie e materiali per la musica d’insieme), o primeiro livro na Itália inteiramente dedicado às atividades criativas e de execução dos grupos musicais infantis e juvenis, lançado neste ano pelo editor Volontè, de Milão.

 

Redação

Author: Redação

Share This Post On
468 ad