Felakuti, Kalakuta, Radiohead e uma casa invadida por cultura

Foto: CássiOliveira

E lá se foi o cabaço! A boa notícia é que dos próximos filhos virão com uma boa qualificação genética.  O parto foi gerado pelo produtor multicultural e organizador de eventos Daniel Fredson encabeçando o Felakuti Espaço Sideral que na última sexta-feira (15/08) inaugurou o Ponto de Cultura  Kalakuta, como na história do político e músico Fela.

A estreia da casa aconteceu com o especial Ok Computer, um dos álbuns mais tocantes do Radiohead. Um terreno aconchegante, que vai desencadeando num ambiente que a medida que você vai entrando vai se deparando com um contato maior com a terra, areia e a natureza, se sentindo livre e em total comunhão com a aceitação da cultura e da arte.

A casa está localizado na avenida Ramos Ferreira, 385, bairro Aparecida, próximo ao restaurante Kilo Mania. O Kalakuta  está programando cursos, oficinas e palestras durante a semana e nos finais de semana, o som rola até no máximo 1h. O ponto de cultura está recolhendo trabalhos artísticos e novas propostas culturais, “estamos fechando uma programação de cursos e workshops, o espaço está abertos para artistas, músicos, fotógrafos que queiram apresentar seus trabalhos”, comenta.

O pré-show foi da banda Franco, foi o primeiro show que vi deles, achei legal os caras terem levado Completamente Blue e Espírito Fraco do Cazuza, também gostei da versão de Rádio Bla que eles fizeram. Quem ficou curioso vai gostar de saber que a banda vai tocar no próximo Festival Pirão Solidário, no dia 23, no Ao Mirante Bar.

Foto: CássiOliveira

Agora sobre o Especial, o que tenho a dizer? Primeiramente que fiquei surpresa em saber sobre o especial, não pela banda, mas pela união entre os músicos da Screaming. Já os conheço há uns oito anos e logico que me senti aliviada quando soube que eles seriam os responsáveis pelo tributo.

Foto: CássiOliveira

A fidelidade do álbum era a principal questão entre os exigentes fãs da banda, bom saber que isso não foi problema. Tocar cover, fazer versões e até plagiar são artifícios comuns hoje em dia, mas se tem uma coisa que eu valorizo, de verdade, é o clamor de um fã na interpretação da música de seu ídolo. Isso que pude ver na sexta-feira. Além das músicas do álbum a noite ainda contou com um plus de Creep, cantada em coro pelos fãs que prestigiaram o evento.

Redação

Author: Redação

Share This Post On
468 ad