Karine Aguiar lança “Organic” no Teatro Amazonas
nov24

Karine Aguiar lança “Organic” no Teatro Amazonas

Após quatro anos promovendo seu primeiro disco “Arraial do Mundo” em países da Europa, nos Estados Unidos e no Brasil, a cantora amazonense Karine Aguiar apresenta seu mais novo projeto: Organic. A produção e direção musical são assinadas pelo jazzista norte-americano Matthew Parrish, que em mais de 20 anos de carreira, atua ao lado de alguns dos maiores nomes do cenário jazzístico internacional (Dee Dee Bridgewater, Regina Carter, Paquito D’Rivera, Wynton Marsalis, Vana Gierig, entre outros) seja em gravações, seja em concertos realizados nos mais importantes clubes e festivais de jazz do mundo. Em Organic, Karine traz uma interpretação apaixonada e sensível sob a direção de Parrish, em um repertório de 12 faixas de autoria de compositores da Amazônia, da França, Estados Unidos e de diversas partes deste imenso Brasil, o que proporciona ao ouvinte uma sonoridade plural, vibrante e cosmopolita. Os arranjos jazzísticos concebidos por Parrish para este projeto lançam um olhar globalizado, especialmente às tradições musicais amazônicas com o Lundu Marajoara, a toada de boi-bumbá de Parintins e o Marabaixo, bem como, à latinidade presente na música brasileira. O projeto também conta com a participação de grandes representantes da nossa música como o compositor Guinga, na faixa inédita “Chapliniana”, de sua autoria; e do pianista Fábio Torres, membro do Trio Corrente, premiado com dois Grammys em 2014. Gravado em Julho de 2016 nos estúdios da antiga gravadora Trama, e finalizado no mês de agosto nos estúdios Arsis (ambos em São Paulo), destaca-se também o primoroso trabalho de captação de áudio de Adonias Jr, que procurou proporcionar ao ouvinte a sensação de estar dentro do estúdio com os músicos em cada uma das faixas, justificando um estilo mais natural, “ao vivo” e “orgânico” para os timbres utilizados tanto nos instrumentos quanto na voz de Karine. Nesta quarta-feira 23/11 "Organic" estreou em grande estilo na Europa, com duas músicas tocadas na Rádio Nacional Espanhola, no programa de Carlos Galilea, um dos maiores especialistas do mundo em música brasileira. O lançamento deste novo CD acontecerá no dia 30 de Novembro, (quarta-feira), às 20:00 no Teatro Amazonas e contará com a participação internacional do percussionista Vinícius Barros, que esteve recentemente em turnê pelos Estados Unidos com grandes nomes do Jazz. Para os músicos e artistas de Manaus, será oferecido no dia 29/11 no Conservatório de Música do Amazonas, um workshop gratuito com Vinícius Barros. Os ingressos para o show estão à venda bilheteria do Teatro a 20 reais. Estudantes pagam meia. O projeto tem patrocínio de Prefeitura de Manaus (Edital Conexões Culturais 2015), Conservatório de Música do Amazonas, Loppiano Pizzaria, Movo Card e Contemporânea Instrumentos Musicais. Realização: Secretaria de Cultura do...

Leia Mais
A violinista sul-coreana Ji Young Lim se apresenta quinta-feira (20) no Teatro Amazonas
out18

A violinista sul-coreana Ji Young Lim se apresenta quinta-feira (20) no Teatro Amazonas

Aclamada pela imprensa internacional como um fenômeno na sua área, a jovem violinista sul-coreana Ji Young Lim fará única apresentação em Manaus, na próxima quinta-feira (20), às 20h, no Teatro Amazonas com acompanhamento especial da Orquestra Amazonas Filarmônica, sob regência do maestro Luiz Fernando Malheiro. O evento é uma realização do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Cultura, e integra as comemorações de 120 anos do símbolo cultural do estado, o Teatro Amazonas. Nascida em 1995, em Seul, com apenas 20 anos foi a grande vencedora do célebre Concurso Rainha Elisabeth da Bélgica, edição 2015, uma das mais importantes competições musicais do mundo. Em turnê por cinco cidades brasileiras, Ji Young Lim faz uma única apresentação em Manaus e será a solista da Orquestra Amazonas Filarmônica, regida por Luiz Fernando Malheiro. O programa tem a abertura da ópera “Semiramide” de Rossini, a Sinfonia Nº 4 “Trágica” de Schubert e Ji Young Lim como solista do Concerto para violino Nº 5 de Mozart. A violinista toca com um Stradivarius "Huggins" de 1708, instrumento cedido a ela pela Nippon Music Foundation, por quatro anos, como parte do prêmio conquistado no Concurso.  Talento e musicalidade Ji Young Lim começou a tocar violino aos sete anos de idade. Depois de estudar no Instituto Nacional da Coreia, completou seus estudos musicais na Universidade Nacional de Artes da Coreia, sob supervisão do violinista Nam Yun Kim. Lim vem tendo seus brilhantes talento e musicalidade reconhecidos em diversas competições nacionais e internacionais. Destaque para os primeiros prêmios conquistados no Concurso Internacional Euroasia, no Japão, em 2013, e no Concurso Internacional de Violino de Indianapolis, EUA, em 2014. A violinista já se apresentou nos Estados Unidos, Canadá, Japão, Coreia, Alemanha e Suíça, além da Bélgica, onde venceu o Concurso Rainha Elisabeth 2015. Lim foi a primeira instrumentista coreana a vencer o prestigioso concurso, que nessa edição teve 69 instrumentistas de 20 diferentes países. Uma das melhores orquestras brasileiras Criada em 26 de setembro de 1997, a Orquestra Amazonas Filarmônica está prestes a completar 20 anos de atividades, sob a liderança do maestro Luiz Fernando Malheiro, diretor artístico e regente titular, e vem, ao longo desses anos, se consolidando como uma das melhores e mais importantes orquestras brasileiras fora do eixo Rio-São Paulo. Além de ser a orquestra oficial do Governo do Amazonas, que realiza o Festival de Ópera do Amazonas, apresenta anualmente temporadas de concertos sinfônicos, oferecendo à população amazonense entretenimento cultural de alta qualidade, via Secretaria de Cultura. Destaque, em 2016, para a realização de nova edição da “Série Guaraná”, em comemoração aos 120 anos do Teatro Amazonas. As peças do programa Rossini, Abertura da ópera “Semiramide” A ópera "Semiramide", escrita em 1823, tem uma das mais...

Leia Mais
Diego Moraes, o Urso
set13

Diego Moraes, o Urso

Celebro na solidão de uma página em branco o decolar de um escritor. Um cidadão do mundo! Um homem que parece completamente nu.  Muitos o dizem, apenas, imoral. Porém é um fenômeno da natureza humana em seu estado bruto. Um cidadão da metrópole, um bárbaro flamejante em trajes de Urso como gosta de ser chamado a estrela mais brilhante do presente literário... E aqui eu penso, nacional? Latino-americano? E concluo, logo e por quê não, mundial. Se esse cara fosse um músico já merecia uns Grammy. Se fosse ator, um Oscar. Cientista um Premio Nobel. Um escritor afiado nas pedras do Anhangabaú, na boca do lixo, e sempre com um coração partido. Caralho, estou falando do Diego de Moraes – O Urso mais lírico que se tem notícia. Há poucos meses atrás, tive uma breve conversa com o Urso.  E mesmo sem jamais ter lido um livro do cara, podia tirar pelo conteúdo do seu Facebook que ele é um ponto fora da curva. Quem vende nas ruas de Manaus e me conhece, sabe que sempre comprei os livros que me ofereciam.  Pesquisei a data e o conteúdo da breve charla que tive com o Urso. A primeira e única vez que troquei ideia com Diego Moraes pelo facebook foi assim; 29 de Maio de 2016 Tu é foda bicho Muito mesmo Já falo de ti pra todo lado... Só não publico (ainda) Porque tu é muito foda e eu admiro muito o teu desprendimento Para escrever o que sente. Diego Moraes: Tu anda não publicou? Respondi: De uns anos pra cá... Eu me tornei um grande censor de mim mesmo! Diego Moraes: Já estou indo para o sétimo livro! Então a conversa prosseguiu em poucas palavras. Fiz questão de recordar com ele, a primeira vez que tomei conhecimento da pessoa dele. E acredite, ele é assim como escreve, assim como é o mundo, a vida e os caminhos de muitos miseráveis de grana e amor. Por isso mesmo Diego Moraes é um escrito Universal. Um grande escritor. Disse para ele: Cara eu lembro a primeira e única vez que te encontrei pessoalmente em 2005 no Castelinho! Prontamente ele respondeu: Não lembro. Vivia louco. Continuei dizendo que estava tudo bem, afinal não era ninguém para ser lembrado e que naquela altura, era onze anos mais novo. Onze anos mais pinto. Então ele escreveu; “Aquele bar era do Caralho!”. A conversa fluía e eu insisti com minhas memórias, procurando relembrar os detalhes acontecidos na boca da noite de uma sexta-cheira – com endereço e local fixo no passar do ano de 2005. Recordei mais uma vez  dizendo:  Cara eu me lembro...

Leia Mais
O poeta da floresta e o filho passarinho: Thiago de Mello e seu filho encontram-se no palco do Teatro Amazonas para celebrar a música e a poesia
ago11

O poeta da floresta e o filho passarinho: Thiago de Mello e seu filho encontram-se no palco do Teatro Amazonas para celebrar a música e a poesia

  O compositor carioca Thiago Thiago de Mello apresenta pela primeira vez em Manaus no palco do Teatro Amazonas, o show "Amazônia Subterrânea", inteiramente dedicado às suas raízes Amazônicas. O espetáculo (já visto no Rio, São Paulo, Belo Horizonte, Nova Iorque). Mostra suas parcerias com músicos da nova cena carioca MPB, como Edu Kneipp, Frederico Demarca (Pietá) e Thiago Amud, além de canções feitas em parceria com o seu pai, o poeta Thiago de Mello, que será homenageado e fará participação especial no show, celebrando junto ao público seus 90 anos de vida e poesia. No show também serão lembradas canções  ­­­­­do compositor Manduka (1952-2004), filho do poeta, irmão mais velho de Thiago Thiago e um dos tesouros mais bem escondido da música popular brasileira. Apresentando um olhar contemporâneo sobre a tradição, Thiago Thiago de Mello é um dos compositores de destaque na nova cena de MPB do Rio de Janeiro. Já gravado e cantado por nomes como banda Pietà, Luiza Borges, Pedro Sá Moraes, André Muato, Marília Schanuel, Andreia Mota, entre outros, o compositor desenvolve uma mistura de Brasil amazônico, MPB e free-jazz que vem chamando a atenção do público e da crítica. Segundo o produtor Tim Wilkins, da WBGO, (talvez a mais importante estação de rádio dedicada ao jazz nos Estados Unidos) Thiago Thiago de Mello "combina ricas tradições literárias do Brasil e ritmos de inspiração africana, como samba, forró e pagode, com jazz, rock e música eletrônica". A família paterna de Thiago - os Thiago de Mello, de Barreirinha, no interior do Amazonas - tem a música como tradição. Se seu bisavô e seu avô foram compositores bissextos, seu pai (o poeta Thiago de Mello, parceiro de Pixinguinha, Monsueto e Ary Barroso), seu tio (Gaudêncio Thiago de Mello, 3 vezes indicado ao Prêmio Grammy) e seu irmão (Manduka, parceiro de Geraldo Vandré, Dominguinhos, Abel Silva, entre outros, um verdadeiro tesouro escondido da MPB) zeram da vocação uma profissão. Nos últimos anos, Thiago Thiago - Doutor em Ciências Sociais e um dos roteiristas/apresentadores do Rádio Chama (que vai ao ar toda sexta-feira na Rádio Roquete Pinto, no Rio) - mergulhou fundo na poética e no imaginário da Amazônia, onde ele morou na infância e para onde viaja todos os anos extraindo de lá mitos, sonhos, histórias, lendas, devaneios e sonoridades que o ajudaram a compor de- zenas de músicas sobre o tema. Para quem se interessa pela Amazônia e pelos hibridismos modernos, a música de Thiago Thiago de Mello - um carioca com alma de pajé - é como um rio que alaga e tudo transforma. Com ele estão conjugados os seres da mata e as sonoridades...

Leia Mais
Eliana Printes faz show quinta-feira em Manaus
jun08

Eliana Printes faz show quinta-feira em Manaus

A cantora e compositora Eliana Printes volta a Manaus para apresentar o show da turnê “Elas – Uma homenagem às compositoras brasileiras”. A apresentação acontecerá no dia 09 de junho (quinta-feira), a partir de 21h, no palco do Teatro Manauara. No show “Elas – Uma homenagem às compositoras brasileiras”, no Teatro Manauara, Eliana será acompanhada pelos músicos Francisco Falcon, no baixo e violoncelo e por Adonay Pereira, no violão e Sergio Nacife, na bateria. O figurino leva a asssinatura de Flavio Mothé. Os ingressos custam R$40 (meia-entrada) e estão à venda pelo site www.ingresse.com e na bilheteria do teatro, localizada no Piso Buriti, do Manauara Shopping (Av. Mário Ypiranga Monteiro, 1300 – Adrianópolis). A crítica brasileira diz que o Brasil é o país das cantoras, mas esquece que, muitas delas também são autoras e romperam muitas barreiras para passar de musas inspiradoras a compositoras. Cada uma em sua época, mas com certeza, todas à frente do seu tempo. “O show ‘Elas – Uma homenagem às compositoras brasileira’ nasceu desta observação e da alegria em poder homenagear essas talentosas mulheres pela contribuição importantíssima que deram e continuam dando à música popular brasileira”, explica Eliana Printes. A cantora e compositora reuniu para o seu novo show, que também será seu próximo projeto em CD, canções de nomes como: Chiquinha Gonzaga, Dolores Duran, Anastácia, Sueli Costa, Dona Ivone Lara, entre outras fazendo uma linha do tempo até as compositoras atuais e  chegando até  suas composições , em que a artista é autora em parceria com Adonay Pereira, em várias canções . Na segunda parte do show a apresentação trará os sucessos e as canções importantes da carreira de Eliana, para cantar junto com os amigos num momento de música, celebração e agradecimento aos  conterrâneos e apoiadores em geral. “Muitíssimo obrigada minha cidade Manaus e ao meu primeiro publico. Foi em Manaus  que ouvi  os primeiros aplausos e foi eles que me encorajaram a dá os primeiros passos e  seguir a carreira de cantora. Espero que este encontro seja muito iluminado e agradável ao público manauara”, adianta a artista. Carreira Indicada como uma das melhores  vozes surgidas  nos últimos tempos na MPB,  pelo critico Mauro Ferreira,  do jornal O Dia, do Rio de Janeiro, a  cantora e compositora Eliana Printes nasceu na cidade de Manaus-AM e reside atualmente na cidade do Rio de Janeiro –RJ. Em sua discografia tem: oito CDs, duas coletâneas e várias  compilações no Brasil e no exterior. Entre as compilações vale , o CD ‘Divas cantam Jobim’ lançado na Europa pela gravadora Som Livre de Portugal para homenagear o maestro brasileiro Antonio Carlos Jobim. A cantora Eliana Printes participa com a música Insensatez, de Tom...

Leia Mais
Lutador amazonense no UFC Adriano Martins volta aos treinos em março
fev26

Lutador amazonense no UFC Adriano Martins volta aos treinos em março

Depois de três meses longe do octógono após passar por uma cirurgia no joelho, o lutador amazonense Adriano Martins já tem data marcada para voltar aos treinos. O peso leve do UFC iniciará em março a busca pela meta deste ano: lutar no mínimo três vezes e se ranquear entre os 10 melhores da categoria. Atualmente morando na Flórida, nos EUA, Martins vem de uma vitória avassaladora em cima do russo Islam Makhachev, no card preliminar do UFC 192, que ocorreu em outubro do ano passado. Foi sua terceira vitória consecutiva no Ultimate e a 28ª na carreira. A intervenção cirúrgica, segundo o lutador que tem apoio da Equador Petróleo, foi motivada por uma lesão que cultivava desde o início de 2015. “A operação foi feita em novembro pelo médico Gelb Howard, ortopedista especializado em medicina esportiva e artroscopia. A lesão estava incomodando desde o começo do ano e me impossibilitava de fazer alguns movimentos. Mas graças a Deus deu tudo certo!”, afirmou. O amazonense tem utilizado seus dias intercalando entre sessões de fisioterapia e treinos leves de recuperação. A previsão é que a próxima luta ocorra entre maio e junho, e ele não esconde a ansiedade.  “Tenho grandes planos para 2016 e estou me dedicando muito para voltar com força total. O objetivo é conseguir vencer lutadores bem ranqueados e entrar para o top 10 da categoria”,...

Leia Mais