Lançamento do Aplicativo Lady Driver em Manaus
ago17

Lançamento do Aplicativo Lady Driver em Manaus

Hoje (17), às 18h, o Casarão da Inovação Cassina, localizado no Centro, abrirá suas portas para o lançamento do Lady Driver, aplicativo de transporte individual de passageiros feito exclusivamente por motoristas mulheres e para atender mulheres. O lançamento tem apoio da Secretaria Municipal do Trabalho, Empreendedorismo e Inovação (Semtepi) e terá a presença da CEO & Founder da startup Lady Driver, Gabryella Corrêa. O objetivo da plataforma é garantir oportunidade para mulheres que têm perfil empreendedor, beneficiando tanto as condutoras, que podem ganhar dinheiro dirigindo com segurança, quanto para as passageiras que finalmente podem ter um transporte no qual podem confiar. Com o lema “inspirado por mulheres para mulheres”, a plataforma foi implantada no Brasil em 2017 e, atualmente, está instalada em sete capitais do país, chegando agora em Manaus. As motoristas vão desde estudantes desempregadas até senhoras aposentadas que precisam complementar a renda. Serviço DATA: 17 de agosto (terça-feira) HORA: 18h LOCAL: Casarão da Inovação Cassina, End: Rua Bernardo Ramos e, R. Gov. Vitório – Centro CONTATO: Nicole Amorim – (92)...

Leia Mais
Manart lança estampa inspirada na obra de Rakel Caminha
ago13

Manart lança estampa inspirada na obra de Rakel Caminha

Manaus- Nesta sexta (13), a partir das 18h30 (horário de Manaus) através do site www.manartgaleria.com e redes sociais, ocorre o lançamento da mais nova estampa da Manart Galeria “ARTETEATRO”, inspirada na obra “Alterego da Amazônia- ArteTeatro” (2021) da artista visual Rakel Caminha, que faz referência, de uma forma pop, através de recortes e colagens, ao principal símbolo Cultural e Arquitetônico do Estado, o Teatro Amazonas, fundado em 1896, que preserva parte da arquitetura e decoração original, com estilo renascentista e eclético, tombado em 1966, como Patrimônio Histórico Nacional. Vida e Obra da Artista A Artista visual Rakel Caminha Autodidata e apaixonada pelas artes, desde a infância, além de publicitária por formação acadêmica, com passagem pelos cursos de direito e design (UFAM), a artista visual Rakel Caminha é uma das mais promissoras apostas do cenário das artes visuais local. Expressões altruísticas da artista visual Rakel Caminha Para Rakel, “Arte é expressão, é fazer com as mãos – ou com o corpo inteiro – e coração. Por isso, desde sempre, antes mesmo de que eu pudesse raciocinar sobre tal fato, eu gosto de me expressar: através da dança, do desenho, da escrita ou de qualquer outra coisa. Às vezes o processo é orgânico e intuitivo, às vezes é milimetricamente pensado. Mas quando ali está eu percebo que é uma parte de mim para o mundo, é uma forma de passar por ele, marcando-o da mesma forma que ele me marca.“ Em seus trabalhos, a artista costuma combinar linguagens diversas (não só artísticas) com muita liberdade e produz obras de grande expressividade, que de modo geral, unem pintura, colagem e técnicas gráficas, e promovem um diálogo poético entre o real e o surreal através de uma estética semiótica dedicada à arte, ao caos, aos sonhos e ao existencialismo, cujas principais referências estão mais voltadas para a arte contemporânea como cubismo, expressionismo e surrealismo. “Meus temas no geral são surreais, existenciais, brincam com a realidade. Esses últimos tempos, eu senti necessidade de falar mais sobre a natureza, ecologia e me dediquei a isso como uma forma de fazer a diferença para o mundo; já que estamos num ritmo que o planeta não aguenta. Se a arte toca e sensibiliza, ela também pode fazer refletir, impactar, mudar, florescer. “ Declara, Rakel. Uma artista de múltiplas fases Rakel Caminha, a camaleônica, a metamorfose múltipla da artista visual “Eu sou muito sensível. Um camaleão! Sou de Metamorfoses. De fases. Uma estudante da vida – e também apreciadora. Sou de fato muitas; muitas coisas, sentimentos, pensamentos – que se misturam. Sou quase tudo coração. Um pouco de razão. Busco me expressar para me entender melhor por dentro,...

Leia Mais
Márcia Antonelli lança “O Fungo” nesta sexta-feira (13)
ago11

Márcia Antonelli lança “O Fungo” nesta sexta-feira (13)

Nesta sexta-feira (13) terá o lançamento da segunda edição da obra “O Fungo” da escritora Márcia Antonelli na versão bilíngue. A programação terá início às 19h no Espaço Cultural Jaraqui Psicodélico, Avenida Constantino Nery, próximo ao Terminal 1. O evento vai contar com a performance Corpoletra do artista Odacy de Oliveira, entre outras artetudes. Ao som dos vinis, o DJ Marcos Tubarão garante a trilha sonora da noite. O acesso é gratuito com venda de comidas regionais e cerveja gelada. Lembrando que o uso de máscara é obrigatório. Sobre Márcia Antonelli Márcia Antonelli é natural de Manaus, graduada em Letras pela UFAM (Universidade Federal do Amazonas), a escritora já produziu livros de contos, novelas, crônicas e romances. Para garantir o seu exemplar, faz um PIX no valor de R$10 para a chave...

Leia Mais
Hoje tem a live de Lançamento do game “The Roots VR”
abr23

Hoje tem a live de Lançamento do game “The Roots VR”

Nesta sexta (23), às 20h ocorre a live de lançamento do projeto ‘The Roots VR’: Os sons da floresta em realidade virtual, um game musical e educativo, idealizado pelo músico e produtor, César Lima, contemplado no edital Prêmio Feliciano Lana, através da Secretaria de Cultura e Economia Criativa Amazonas (SEC- AM) via Lei Aldir Blanc, que tem por objetivo compartilhar com o público, conhecimentos gerais sobre a origem e confecção de instrumentos Amazônicos e também proporcionar uma imersão virtual única através dos mais belos cenários e sonoridades que caracterizam as festas, tradições e manifestações culturais da Região Norte do Brasil. Link para acompanhar à live de lançamento : http://bit.ly/youtubetherootsvr Segundo o coordenador do projeto, César Lima, o download doThe Roots VR será totalmente gratuito e estará disponível a partir do dia 23 de abril, através do site: http://www.therootsvr.com.br ou através das lojas oficiais de em dispositivos que utilizem o sistema operacional Android. INSPIRAÇÃO “O primeiro insight do The Roots veio em 2018 através de um convite para produzir uma pesquisa,num período intenso de seis meses, sobre instrumentos musicais Amazônicos. Após a pesquisa entendi a necessidade de trazer para mais próximo do público essas informações sobre nossos instrumentos, pois eu mesmo graduado em Música nunca tinha visto uma variedade de instrumentos tão importantes, ricos e relevantes em seus significados culturais ” Declara, César. Confira abaixo, os instrumentos que compõem o The Roots: 1- GAMBÁ DE MAUÉS Instrumento de percussão feito do tronco da árvore da Cupiúba e pele de caça que é tradicionalmente usado pelos ribeirinhos e em festas dos santos em Maués. Assista aqui ao vídeo: http://bit.ly/gambademaues 2- TAMBOR DE CUIAInstrumento de percussão feito de cuia e tampo de Marupá. Esse instrumento faz parte dos Bios-instrumentos criados pelo poeta e artesão Celdo Braga. 3- MAWAKO FËMEAInstrumento melódico da etnia Desana/Tukano. Usado em festas e rituais ligados a produtividade e farturas na comunidade.Assista aqui vídeo: http://bit.ly/mawakofemea 4- CARRIÇOInstrumento melódico da etnia Desana /Tukano. Usado em festas e rituais ligados a boas novas e festas da alegria. 5- NHAMBE – INAJÁ Instrumento percussivo usado como elemento complementar de textura e rítmica por músicos-percussionistas ou como tornozeleira em rituais indígenas. Assista aqui o vídeo: http://bit.ly/nhambeinaja 6- CHUÁ – CHUÁ Instrumento de percussão feito com material reciclado e sementes nativas. Esse instrumento reproduz os sons do oceano e faz parte dos Bios-instrumentos criados pelo percussionista e artesão João Paulo. 7- CUATRO VENEZUELANO Instrumento harmônico feito com tampo de marupá, fundo de cuia e cordas de nylon. Instrumento andino com novas adaptações feitas pelo poeta e artesão Celdo Braga. 8- CHARANGO Instrumento harmônico tradicionalmente feito com pinho, cedro, naranjillo e cordas duplas de aço....

Leia Mais
O “Tio da merenda” que o aluno aprovou na merenda escolar de Manaus.
mar08

O “Tio da merenda” que o aluno aprovou na merenda escolar de Manaus.

Cardápio apresentado pelo merendeiro escolar Bruno Raphael. Assim que assumi a atividade de merendeiro escolar, me perguntaram o porquê um chef de cozinha, gastrológo, mestre e professor universitário se submeteria a essa função? Com o início dessa nova jornada, algumas pessoas me perguntavam: “Você lava louça? Você lava panela?Você limpa chão? Você limpa freezer?” As receitas elaboradas pelo merendeiro escolar Bruno Raphael. E a minha resposta sempre foi a mesma: “Tenho maior orgulho do que faço, só Deus e minha colega de trabalho @cristinanascimento sabem o que realmente é a nossa função”. Levar alimentação saudável não é a única proposta dos merendeiros, mas também ouvir os alunos e saber do que eles gostam e tentar, de certa forma, mudar seu hábito alimentar e explicar a importância de cada alimento que utilizamos no preparo das refeições. A cartilha foi gerada a partir da aprovação do projeto junto a FAPEAM. E para todos eu digo: SIM, eu amo o que faço, SIM eu lavo louca, panela, chão, coifa, fogão; limpo freezer, organizo estoque e muito mais. Bruno Raphael, chef de cozinha, gastrológo, mestre e professor universitário, e o principal, merendeiro. Sou o merendeiro da Escola Estadual Deputado Josué Cláudio de Souza e por amor à profissão e aos meus queridos sobrinhos, porque assim que eu assumi a função fui batizado carinhosamente de: “TIO DA MERENDA”!...

Leia Mais
Ateliê 23 lança trilha sonora do projeto ‘Ouve’ nas plataformas digitais
mar02

Ateliê 23 lança trilha sonora do projeto ‘Ouve’ nas plataformas digitais

As performances em formato intimista estão disponíveis no Instagram e no canal da companhia no Youtube Está no ar a série de vídeos que compõe a nova edição do “Ouve”, projeto do Ateliê 23, assinado por Wilas Rodrigues, com trilhas autorais dos espetáculos “da Silva”, “Janta”, “Helena” e “Vacas Bravas”. Até quinta-feira (4/3), o público confere as performances em formato intimista no Instagram e no canal da companhia no Youtube (@atelie23). O projeto foi contemplado no Edital Prêmio Manaus de Conexões Culturais, da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (ManausCult), por meio da Lei nº14.017/2020, conhecida como Lei Aldir Blanc. Segundo Eric Lima, intérprete nos acústicos desta versão do “Ouve”, no total, sete músicas vão ser lançadas em todas as plataformas digitais. Ele adianta que o lançamento oficial está programado para 15 de março, quando acontece ainda uma live em parceria com Wilas Rodrigues. “Vamos fazer uma apresentação de voz e violão durante 40 minutos, seguindo todos os protocolos de segurança”, adianta Eric. O ator conta que a equipe trabalhou os arranjos das músicas de forma presencial, ainda em dezembro de 2020, no entanto, os vídeos foram gravados neste período de isolamento social somente por ele, que utilizou diferentes ambientes de casa para compor os vídeos. “O Israel Nunes gravou todas as bases no estúdio e, a partir daí, comecei a gravar os vídeos com todo amparo técnico que eu tinha disponível e ângulos diferentes, explorando todas as possibilidades de cenário que a minha casa oferece e pensando no figurino que funcionaria para trazer a energia que eu queria em cada música”, comenta o artista. “Foi um processo empírico, mas muito orgânico, de pensar nessa organização com cuidado maior na parte do áudio, buscando melhorar a captação de voz já que não gravei no estúdio”. Programação – Estão disponíveis os acústicos de “O Tempo Voou”, do espetáculo da Silva; “Enterrada”, de “Vacas Bravas”, que ganhou um toque especial de Israel Nunes; e “Helena”, da peça com o mesmo nome. O diretor da companhia, Taciano Soares, explica que, por conta da pandemia do novo coronavírus, o Ateliê 23 reorganizou a programação e adaptou todos os projetos da casa para o formato virtual. “É uma forma de manter a proposta e acessar as pessoas, o que teve uma excelente resposta, porque as pessoas lembram dos espetáculos e isso nos dá uma satisfação”, afirma Taciano. “Apesar de termos que abolir o presencial em decorrência da pandemia, estamos conseguindo nos comunicar com nosso público, que é o objetivo principal, e aguardamos para retomar o projeto na sua forma original quando for possível, com segurança e com vacina”. Ateliê 23 – Em sete...

Leia Mais