Chomsky & Snowden

Ai vem a madrugada galopante sem freio. Vai passar igual tempestade antes que a luz da próxima manhã possa dissipar toda essa sombra que se estende na cidade. Neste quarto que me acolhe - jaz agora apenas a luz pálida de uma página em branco que deseja vorazmente palavras pesadas e carregadas de sentimento. Força e expressão. Neste mundo em que vivo esta é a hora em que tudo para. Resta-me apenas a navalha, agulhas e fios que tecem algumas verdades por vezes cruel e impiedosa. Porém há sempre espaço para as margaridas num coração de beija-flor. O relógio não se detém - agora marca 01:47. Hoje vou deixar os fru-fruzinhos de lado para ir direto ao centro das questões humanitárias mais inquietantes e indispensáveis para um místico como eu que jamais dispensa a realidade nem o idealismo. Esse confronto que acompanha a razão desde que esta, (razão) se deu por si, pensando na vida e na morte quando passou a seguir ordens. Sim, a realidade e o idealismo entram em choque quando inventaram a tal  “civilização” que culminou aqui nesta ponte onde chegamos. Como toda essa tecnologia e com todas essas desgraças que consomem nosso tempo, saúde e virtudes mais naturais. Os meus caros e estimados leitores ocultos certamente já assistiram alguns filmes de ficção que tratam de um futuro cada vez mais vigiado e controlado pela robótica. Caos social, escassez de água, alimento. Poluição dos oceanos. Destruição da fauna e flora da superfície terrestre. O surgimento do Marcos Feliciano – e junto com eles os colegas e amigos que adoram compartilhar (promover e divulgar) as encenações desse showman da patifaria nacional.  Pois bem, o futuro continua sendo uma representação que fazemos no presente. E o presente é esse ai: Basta clicar no Google! Costumo dizer que todas as interrelações sociais construídas e defendidas a partir da revolução industrial chegaram ao seu cume agora. Bem neste momento, quando estamos visivelmente diante de uma nova Revolução Industrial impulsionada por esta Quimera chamada Internet. Uma força incontrolável que continua a se desdobrar em funções jamais pensadas antes. Uma nova civilização está em curso. Não se trata de idealismo, mas sim pura realidade. Idealismo é acreditar que tudo segue em ordem. Que tais mudanças são meros acontecimentos de uma engrenagem velha e bem conhecida chamada sistema capitalista que massacra vidas. A internet está acabando com tudo isso. Claro que ainda vai levar um bom tempo para percebermos mudanças nas cidades onde vivemos. Teremos que olhar para o passado bem longe. Aquele passado tribal. Aquele passado que sobrevive ainda hoje em sociedades tribais  completamente integradas com a natureza. Onde a individualidade de cada um é celebrada e compartilhada com todos. Sem utopia, essa parte do mundo já foi explicada. Na minha cabeça complicada que é incapaz de tirar-me  dessa situação ( uma madrugada profunda e sozinho ) consigo perceber de trás pra frente tudo o que impera e vigora no ocidente. Quem joga as cartas. Quem faz a mise-em-scéne. Quem aplica as regras. Como e por quais meios. Quais processos influem para o bem ou para o mal. Tudo claro como os rodapés em branco que persigo nesta página.  Toda essa merda precisa ser atirada ao lixo. O que certamente não será feito em um Fórum Internacional promovido pela Organização das Nações Unidas. Balela. Teremos que ser inovadores e principalmente transgressores. Embora  eu saiba que por ai - em lugares parecidos com o meu quarto. Maiores ou menores. Até mesmo em ruas, esquinas e bancos de praças novos e excepcionais artistas vagam por esse mundo sendo acusados de loucos. Tenho sede de  conhecê-los e mais ainda de amor. Escrevo estas palavras para quem? Não me interessa, faço como cada um destes que admiro e conheci. Nem tudo foi desperdício ao longo  dos últimos oito mil anos. Desde que um grupo passou a mandar no outro...Viemos parar até aqui com toda essa discrepância na produção e distribuição de recursos essenciais à vida. Consigo escutar na minha mente alguns conhecidos meus – os chamados Idiotas da Objetividade dizendo para mim : “Mas Bruno se não fosse a civilização com todos os seus avanços não estaríamos aqui!”. Oh – tudo bem gênio! Mas acontece que não se trata aqui de eu ou você. Mas da humanidade inteira. Com todas as suas diferenças e mais que tudo, com toda sua semelhança. Pelas mentes de pessoas que se dedicam a estudar e compreender tais fenômenos cantando, dançando, escrevendo, interpretando, pintando cheguei até Noam Chomsky. Esse linguista e filosofo de aparência dócil e frágil  que tem encampado uma verdadeira guerra ideológica contra as instituições vigentes mais poderosas do mundo. Ser “contra” pode ser ilegal – porém não imoral. Lembre-se que nem tudo que é legal é moral. Por que as pessoas usam Drogas? É ilegal! Mas porque são ilegais essas drogas que tantas pessoas no mundo consomem. Por que é ilegal denunciar crimes de guerra ou espionagem em massa? Por que Noam Chomsky foi perseguido pelo Governo Norte Americano após denuncias os crimes de guerra que seu país praticava no Vietnã? Por quê Edward Snowden é considerado um traidor por ter denunciado o maior esquema de espionagem mundial? Pelas leis vigentes isso é ilegal. Mas pela natureza humana é totalmente imoral. Essa geração (não todos) que hoje ocupam as escolas em níveis médios e fundamentais, assim como nas universidades pelo mundo todo, repudiam aquele mundo obcecado surgido após os atentados de 11 de setembro de 2001. Faz um tempão. Pouco ou nada se sabe ainda hoje, sobre o que realmente aconteceu naquele dia. O que sabemos é que o mundo e principalmente os países do Oriente Médio foram massacrados, destruídos por conta de mentiras. Essa geração leu na internet que tudo era mentira. O Iraque não nem jamais teve armas de destruição em massa. Aqueles que leem um pouco mais logo descobrem todo o esquema de xadrez armado por lá. Um grande farsa para manter o American Way of Life. O linguista Noam Chomsky que entendeu todo esse processo e procura ainda hoje revelar-nos por meio da linguagem - os padrões legais e normativos  regem o mundo moderno tenta à sua maneira nos alertar. Convida-nos para um debate mais aprofundado que foge da superficialidade de discursos pobres e vazios. Isto é, vão dizer que é ilegal. Tentarão te prender, até mesmo lhe matar. Antes ainda, seus amigos lhe dirão que estás louco. Que deveria se preocupar com outras coisas. Como ganhar dinheiro por exemplo. Mas volto a repetir – um texto como esse não se trata de mim ou você. Mas de nós, cada um dos seres humanos que habitam esse planeta. Quando Edward Snowden denunciou o maior esquema espionagem global, certamente não o fez por um impulso individual, mas porque se sentia parte de algo muito maior. Ainda maior que todas as forças imperialistas que regem esse mundo capitalista. A era da informação distribui muito desinformação. Porém, mesmo, contudo, abriu espaços valiosos para aqueles que procuram um entendimento mais claro. Sabe a história do beija-flor tentando apagar um grande incêndio. Parece impossível, mão não é. Algumas mudanças quando não vêm a galope se arrastam por séculos. Sei que não estarei vivo para experimentar uma sociedade igualitária com as sociedades indígenas. Muito embora eu tenha vivo em comunidades onde tudo era compartilhado. Fazendas quase que totalmente autossuficientes. Visitei Kibutz em Israel e aldeias indígenas nos arredores do Manaus. Conheço vários outros exemplos. São como agulhas no palheiro, porém um sinal de luz para a “civilização”. Chomsky & Snowden Lembre-se que nem tudo que as leis e constituições apontam como crime ou infração é do ponto de vista moral algo ilegal. Quer dizer que se opor aos crimes de Guerra praticados pelos Norte Americanos configura um crime previsto na constituição? Mesmo assim Noam Chomsky foi lá e denunciou. Quer dizer que denunciar o maior esquema de espionagem do mundo é um crime previsto na constituição – Edward Snowden foi lá e denunciou assim mesmo. Quer dizer que fumar um beck, usar drogas é um crime. Assim mesmo um bilhão de pessoas fazem isso. Muito mais do que acessar a internet. Quer dizer que a pirataria de produtos industriais e marcas cada vez mais inacessíveis configuram crimes previstos em constituições? Quer dizer que quebrar patentes de remédios essências ao bem estar e sobrevivência de pacientes pobres configura crimes previstos... O mundo não é preto e branco eu sei. Prefiro acreditar que existem mais cores e nuances - que minha curta experiência de vida (por mais que viva 100 anos) é capaz de vir a saber. Acontece que os paradigmas estão ruindo aos poucos. Ainda vejo uma grande guerra mundial se abatendo no mundo antes que isso possa melhorar. Escrevo para o além, deixo esta carta do presente, lembrando o passado para as gerações futuras. Ainda que o futuro seja amanhã – semana que vêm ou daqui alguns anos. Claro que se você achou que estou promovendo barbárie por meio de uma total quebra de regras – precisas voltar uma casa. Ler alguma coisa que preste além deste que vos escreve. Se assim o fizer, estarás fazendo um grande favor à humanidade. Nossas necessidades é que mudaram – temos que nos arranjar para vivermos com dignidade nos próximos séculos. Não se trata de mim ou de você – mas de todos nós do presente e do futuro. Edward Snowden: “Mas o equilíbrio de poder está começando a mudar. Estamos presenciando o aparecimento de uma geração posterior ao terror, uma geração que rejeita uma visão de mundo definida por uma tragédia singular. Pela primeira vez desde os atentados de 11 de setembro de 2001 é possível vislumbrar uma política que se afasta da reação e do medo em favor da resiliência e da razão. Com cada vitória nos tribunais, com cada mudança na lei, estamos demonstrando de novo que o valor de um direito não reside no que ele esconde, mas no que protege”. Noam Chosmky: “A imprensa pode causar mais danos que a bomba atômica. E deixar cicatrizes no cérebro. Os intelectuais têm condições de denunciar as mentiras dos governos e de analisar suas ações, suas causas e suas intenções escondidas. É responsabilidade dos intelectuais dizer a verdade e denunciar as mentiras”.  
Bruno Marzzo

Author: Bruno Marzzo

Alguém que colheu tudo que plantou. Mas não plantou tudo que colheu! Não entendeu? Relaxa, isso não fará a menor diferença por enquanto! Site: http://brunomarzzo.blogspot.com.br/

Share This Post On
468 ad