Autonomia na gravidez é o tema do Bloco dazÍndia!

“Doutor, “cê” não me engana! Não vai me levar pra cesariana!” Essa e outras marchinhas tradicionais de carnaval estarão no Bloco dazÍndia, no próximo dia 14, a partir das 15h, no Largo São Sebastião.

O Bloco dazÍndias é aproveitar o carnaval pra falar de coisa séria. O bloco nasceu numa marcha de humanização de SP, e esse ano terá em várias cidades, trouxemos pra Manaus porque queremos alertar sobre o parto e nascimento com respeito.

A idealização do evento é da equipe do grupo Sagrado Feminino. Somos em 4 doulas, oferecemos encontros com gestantes com informações sobre gestação, parto e pós-parto; acompanhamento com doula, yoga para gestantes e algumas outras atividades relacionadas a maternidade. Acreditamos na autonomia da mulher e na boa assistência ao parto, baseado em evidências científicas e em modelos obstétricos internacionais.

Sagrado Feminino 3

Quando vamos ter nossos filhos nos dão apenas duas escolhas: a cesárea e do parto normal cheio de intervenções e violência (soro para acelerar o trabalho de parto, manobras, episiotomia, imposições e deboche).

Desejamos um parto mais natural possível, com o menor número de intervenções possíveis e onde o tempo, os interesses, a privacidade, liberdade da mãe e a recepção do bebê sejam respeitados. E o melhor: tudo baseado nas melhores evidências científicas e nas recomendações da OMS.

As evidências provam que há mais riscos na cesárea desnecessária ou eletiva e em partos cheios de intervenções desnecessárias. Parto natural é mais saudável para mãe e bebê, traz menos riscos, melhor recuperação no pós-parto, aumenta o vínculo e facilita amamentação.

A cesárea é uma cirurgia de grande porte para salvar vidas, mas apenas com reais indicações, pois traz mais riscos. Durante o pré-natal e parto a maioria dos profissionais não conversam sobre os benefícios, riscos e indicações para cada caso. Inventam motivos fictícios para realizar a cesárea, pois lucra mais e é mais rápida , nos levam a aceitar uma cesárea ou as intervenções, sem questionar. Muitas vezes recusam a entrada do acompanhante e da doula; profissional que faz o acompanhamento físico, emocional e psicológico; infringindo leis.

Nós temos a Constituição, leis federais, estaduais, OMS e Ministério da Saúde ao nosso lado, o que falta mudar é a prática dos profissionais envolvidos na assistência ao parto e nascimento.

Nós sabemos, podemos e queremos parir! Mas que seja sempre com respeito! Convido todos a participarem do bloco, conheça mais sobre no trabalho do Sagrado Feminino e entre em contato conosco.

Algumas paródias que escrevemos para cantar durante o evento:

“Quer cesárea? NÃO!

Vai parir?! VOU!

Olha (4x) o parto natural

parto natural (2x), você vai ficar legal!!!.”

 

” Se você pensa que cesárea é parto, cesárea não é parto não!

Na cesárea fico amarrada

No natural e curto de montão!.”

 

” A episio da vovó não serve mais(2x)

Apesar de ainda estar na moda

Não quero ser cortada jamais!.”

 

“Ó abre alas que eu quero parir

Ó abre alas que eu quero parir

Quero de cócoras, não posso negar!

Se for pra ser, deixa lacerar!.”

 

” Ó parideira porque estás tão triste

Mas o que foi que te aconteceu

Foi o doutor que quis marcar cesárea

Eu disse NÃO e ele se doeu.”

Author: Luciana Sartorelli

Share This Post On
468 ad