Poesia Maldita lança 1º álbum neste sábado
maio10

Poesia Maldita lança 1º álbum neste sábado

A banda é a poesia maldita, banda de rock autoral que tá lançando o primeiro trabalho nesse dia 14 de maio no Gringo’s Bar, avenida Eduardo Ribeiro – Centro.  O trabalho tem forte influência do pós punk, horror punk e da literatura marginal em suas letras. A banda foi formada a um ano atrás, exatamente em maio de 2021 e é composta pelo Bruno Castro, Rony Costa e Francisco Chagas. O baixista Francisco Chagas explica a proposta da banda. “Sobre a indústria, acreditamos que a produção é a melhor forma de ocupar os espaços e  planejamos termos lançamentos periódicos em diferentes formatos, como singles, álbuns, vídeo clipes e outros formatos”, acrescenta. “Acreditamos que música e literatura estão diretamente ligados, nosso vocalista é poeta e um grande admirador dos poetas malditos, esse nosso trabalho de estreia traz esse conceito e por isso escolhemos por abrir espaço pra literatura no evento”, explica Chagas. O professor, escritor e produtor Max Caracol e a escritora, contista e apresentadora Márcia Antonelli foram convidados para compor a intervenção...

Leia Mais
Projeto de incentivo à equidade de gênero para jovens em comunidades ribeirinhas
maio04

Projeto de incentivo à equidade de gênero para jovens em comunidades ribeirinhas

Nesta quinta-feira, dia 5 de maio, das 9h às 12h, a Fundação Amazônia Sustentável (FAS) realizará a cerimônia de encerramento do projeto “Uma Vitória Leva à Outra no Amazonas”, conhecido como projeto “Deixa a Mana Jogar”, com a apresentação dos resultados da iniciativa, que tem o objetivo de trazer equidade de gênero para adolescentes, de 11 a 18 anos, por meio do esporte e de oficinas de gênero, em comunidades ribeirinhas da Amazônia. O evento ocorrerá na sede da FAS, localizada na Rua Álvaro Braga, 351, no Parque Dez. O “Deixa a Mana Jogar” promoveu espaços para fortalecimento de habilidades de liderança entre jovens e foi executado nas comunidades Tumbira, localizada na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Negro, e Três Unidos, situada na Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio Negro. O projeto ‘Deixa a Mana Jogar’, da Fundação Amazônia Sustentável (FAS) traz uma metodologia inovadora que conecta práticas esportivas com oficinas que promovem equidade de gênero. Ao todo, a iniciativa beneficiou 59 jovens entre meninos e meninas. Além de desenvolver estratégias de construção de ferramentas para discutir equidade de gênero em comunidades vulneráveis no interior do Amazonas, o projeto teve o objetivo de comunicar e engajar diferentes atores na temática de gênero e deseja expandir para outras localidades do Amazonas. Realizado pela FAS por meio do Programa de Soluções Inovadoras (PSI), o “Deixa a Mana Jogar” tem apoio da Secretaria de Estado de Educação e Desporto (Seduc), Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) e Prefeitura Municipal de Iranduba, além de financiamento de duas emendas parlamentares da deputada estadual Alessandra Campêlo. A cerimônia de encerramento vai apresentar a metodologia e resultados do projeto, depoimentos dos alunos e a participação dos representantes da iniciativa. O evento também terá apresentações sobre povos indígenas, temáticas trans, pessoas com deficiência e mulheres pretas, além de uma exposição de artes produzidas pelos alunos do projeto. Uma das participações especiais da cerimônia de encerramento será da bicampeã brasileira de boxe, a amazonense Sandra Gomes, além da apresentação sobre a Metodologia do Esporte com a professora do “Projeto Deixa a Mana Jogar”, Maria Emília Pontes. MAIS INFORMAÇÕES: FAS lança projeto que incentiva meninas ribeirinhas no esporte (matéria) Deixa a Mana Jogar – Metodologia (vídeo) Diagnóstico (pesquisa) Diagnóstico-do-projeto-Deixa-a-mana-jogarBaixar Mapeamento realizado em duas escolas estaduais de comunidades ribeirinhas do Amazonas (Tumbira e Três Unidos): Escola Estadual Doutor Thomas Lovejoy e Escola Estadual Samsung. Período do diagnóstico: Julho e Agosto de 2021. Serviço Encerramento do projeto ‘Uma Vitória Leva à Outra – Deixa a Mana Jogar Data: 05 de maio. Horário: 9h às 12h Local do evento: Sede da FAS – Rua Álvaro Braga, 351, Parque...

Leia Mais
Conselho de Economia do Amazonas apresenta representação à PGR contra atos do governo federal que atacam a ZFM
maio04

Conselho de Economia do Amazonas apresenta representação à PGR contra atos do governo federal que atacam a ZFM

O Conselho Regional de Economia do Amazonas (Corecon-AM) protocolou, nesta terça-feira, dia 03, uma representação junto à Procuradoria-Geral da República (PGR), contra o Governo Federal, pelos decretos publicados que desmontam a Zona Franca de Manaus (ZFM). No último dia 28, o governo ampliou para 35% a redução da alíquota do IPI, sem sinalizar qualquer tipo de benefício à ZFM. Essa decisão do governo, de acordo com os conselheiros do Corecon, pode provocar graves consequências econômicas, sociais e ambientais para o Amazonas, caso seja mantida da forma que está. O Polo Industrial de Manaus é a principal fonte econômica do Amazonas. Na representação, o Corecon argumenta que o faturamento do Polo Industrial de Manaus tem crescido consideravelmente nos últimos anos, enquanto o modelo da Zona Franca de Manaus tem contribuído para o desenvolvimento regional, para o crescimento da renda per capita do Estado do Amazonas e, até mesmo, colaborado para conter o desmatamento da floresta amazônica. O estado mantém 93% do seu território absolutamente intocado, preservando uma vasta região formada por unidades de conservação, terras indígenas e florestas públicas primárias, ficando atrás apenas do Estado do Amapá nesse quesito (considerando os Estados que formam a região Norte). Ainda na justificativa, o conselho aponta que, no último ano, a Zona Franca manteve uma média de 103 mil postos de trabalhos diretos e 500 mil indiretos, movimentando cerca de R$ 158 bilhões. De acordo com o documento, os atos publicados pelo governo federal são “afronta material à constituição federal”, uma vez que a Zona Franca de Manaus foi expressamente prestigiada pela Constituição Federal e recepcionada pelo artigo 40 do ADCT da Constituição de 1988. “O Estado democrático de Direito em que todos nós, brasileiros, vivemos e convivemos é regido pela Constituição Federal. Por isso, reduzir os incentivos tributários da ZFM significa, sim, descumprir e afrontar o texto constitucional”, considera o presidente do Corecon-AM, Marcus Evangelista. Ao final da representação, o Corecon pede à PGR que se proponha ao Supremo Tribunal Federal uma Ação Direta de Inconstitucionalidade, com pedido de medida cautelar, por incompatibilidade material dos decretos federais de números 10.979, de 25 de fevereiro, 10.985 de 8 março; 11.021 de 31 de março e 11.047 de 14 de abril; 11.052 de 28 de abril e 11.055 de 28 de abril de 2022. Créditos de imagem:...

Leia Mais
Corecon-AM vai apresentar três representações jurídicas contra aumento no corte do IPI que prejudica a ZFM
maio03

Corecon-AM vai apresentar três representações jurídicas contra aumento no corte do IPI que prejudica a ZFM

O Conselho Regional de Economia do Amazonas (Corecon-AM) apresentará três representações jurídicas contra o decreto que aumenta o corte do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), de 25% para 35%, realizado, nesta semana, pelo Governo Federal e atingindo, diretamente, os incentivos à Zona Franca de Manaus (ZFM). A decisão foi anunciada, nesta sexta-feira, dia 29 de abril, na sede da instituição, com a presença de membros da diretoria. O conselho apresentará as representações no Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), autarquia federal vinculada ao Ministério da Justiça, e na Procuradoria-Geral da República (PGR) com o objetivo de reverter o decreto do governo sobre o IPI. “Vamos apresentar essas representações jurídicas em função dos constantes ataques que o nosso modelo da Zona Franca de Manaus vem sofrendo. Não só na questão de concentrados, mas todos os produtos são afetados com esses ataques. Então, se esses decretos não forem corrigidos, a situação econômica do estado do Amazonas ficará complicadíssima. Teremos fechamento de fábricas, desarticulação de linhas de produção, consequentemente um desemprego em alta escala”, informou o presidente do Corecon-AM, Marcus Evangelista. Segundo ele, a representação que será apresentada ao Conselho Federal da OAB e à PGR tem a intenção de reforçar a constitucionalidade sobre o assunto. As ações do Corecon também visam reforçar o pedido de várias entidades em busca desse controle condicional dos decretos do governo. “As indústrias só estão aqui (no Amazonas), porque têm mais lucro produzindo aqui. No momento que esse lucro diminui, simplesmente, elas desmontam suas linhas produtivas e vão para outra área. Além disso, se essas indústrias saírem daqui, elas não ficam no Brasil, elas podem ir para fora, que será um cenário pior para o nosso país”, ressaltou Marcus. Já o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Nelson Azevedo, economista e membro do conselho que também participou da reunião no Corecon, informou que o jurídico da instituição vai preparar os documentos e apresentar até a próxima terça-feira (03/05). “A representação jurídica que será apresentada ao Cade terá o objetivo de analisar a parte técnica. Pois, o Cade protege a indústria nacional, analisando tecnicamente como esses decretos podem prejudicar a indústria. Todas as representantes são válidas em nosso favor”,...

Leia Mais
Projeto ‘Palhaçaria Navegante’ desembarca nos municípios de Beruri, Anamã e Caapiranga
maio03

Projeto ‘Palhaçaria Navegante’ desembarca nos municípios de Beruri, Anamã e Caapiranga

Artistas apresentam espetáculos “Imundo de Sofia” e “Roda na Praça” no interior do Amazonas Depois de passar por seis municípios da calha do rio Solimões, o projeto cultural “Palhaçaria Navegante” volta a circular pelo interior do Amazonas, levando riso e alegria na bagagem. Entre os dias 04 e 11 de maio, a trupe de artistas se apresenta nos municípios de Beruri, Anamã e Caapiranga com os espetáculos teatrais/circenses “Imundo de Sofia” e “Roda na Praça”. A iniciativa foi contemplada no “Prêmio Amazonas Cultura em Rede”, da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa. Segundo a coordenadora e produtora Ana Oliveira, da FitaCrepe Filmes e Artes Cênicas, a equipe é composta de 20 pessoas, entre palhaços, malabaristas, técnicos e a tripulação do barco alugado para a viagem. “Agora vamos poder realizar o projeto no seu formato original, porque ano passado, devido à pandemia, tivemos que readequar o formato das apresentações para diminuir os riscos. Dessa vez, ficaremos em cada município por dois dias, o que vai possibilitar uma troca maior com a população. Já estamos muito animados!”, afirma a produtora. Para ela, poder sair do “eixo” da capital para se apresentar em outras regiões do estado é importante para criar redes e fortalecer laços por meio da arte. Em 2021, o projeto “Palhaçaria Navegante” passou por Tabatinga, São Paulo de Olivença, Tefé, Coari, Codajás e Anori, com apoio do Programa Cultura Criativa 2020/Lei Aldir Blanc – Prêmios Feliciano Lana e Equipa Cultura, do Governo do Amazonas, e do Prêmio Funarte de Apoio ao Espetáculo Circense 2020, do Governo Federal. “É quase que um dever cívico de todo artista de escoar a sua produção, de atingir outras populações, então são muito importantes essas políticas públicas de fomento que permitem que a gente chegue nos lugares mais distantes. Quem está lá também tem direito a esse acesso e talvez se descobrir artista. Tudo isso só faz a gente crescer em humanidade”, acrescenta Oliveira. SOBRE OS ESPETÁCULOS “Imundo de Sofia” é um solo que surgiu da vontade de dar voz e cor às pessoas que normalmente são invisibilizadas na nossa sociedade, trazendo à cena uma palhaça faxineira, interpretada por Ana Oliveira. O espetáculo foi dirigido por um dos grandes nomes da palhaçaria brasileira, Ricardo Puccetti do Lume Teatro (SP). “Roda na Praça” é um projeto de palhaçaria que se propõe a levar o circo para espaços públicos, com um elenco de artistas de vários segmentos e diferentes técnicas. O projeto iniciou suas atividades em 2016, em Manaus, e já passou por Porto Velho (RO), Rio Branco (AC), Londrina (PR) e Rio de Janeiro (RJ). PROGRAMAÇÃO BERURI 04 de maio 15h30 – Imundo...

Leia Mais