Marcelo Nakamura lança novo single muito além do regional
ago21

Marcelo Nakamura lança novo single muito além do regional

Depois de um disco de estreia que lhe consolidou entre os mais talentosos compositores da nova música amazonense, Marcelo Nakamura está prestes a lançar o seu novo single, que promete ir muito além do estilo – uma espécie de regional-contemporâneo – que lhe consagrou na cena local. Prévia do próximo álbum, que está em gravação e deve sair no ano que vem, a canção “Grão de Pureza” (Menina Maluca), que estará disponível nesta terça-feira (21) em plataformas digitais como YouTube, Spotfy e SoundCloud, é uma prova da diversidade criativa do músico de sobrenome japonês e alma cabocla. “É uma música que fala de amor, das relações e da poética do ser feminino. Fala também da importância de viver o momento presente e de que não há mistério para ser feliz”, diz Marcelo, citando o reggae gravado em versão acústica e apontando também para a motivação de um novo desafio como artista. “É legal quando se tem o poder de criar e falar ao coração de muitos. E não delimitar isso para uma região, para um público específico, dialogando com mais pessoas por meio da música, é uma coisa que me entusiasma muito”, diz. Carreira Com quase dez anos de carreira e um repertório cheio de hits, Marcelo Nakamura se colocou definitivamente entre os melhores compositores de sua geração com o lançamento do disco “Psycho Bagaceira”, de 2016. Nele, sucessos de público como “Cadê a Morena”, “Bariri Vou lá” e “Cumbia Beiradão, um divertido passeio sonoro por ritmo como o carimbó, o baião, a cumbia e outras variações musicais da cultura nortista e caribenha. Próximo álbum E ao que parece, o próximo álbum do artista não perderá em diversidade. “Meu próximo disco, que está em fase de gravação e será lançado no ano que vem, vai ter junção de vários ritmos: blues, carimbó, brega, baião, bolero, entre outros”, diz o compositor, afirmando, no entanto, que não negará as origens. “Vai ser regional também em sua essência. Algumas coisas, outras não”, diz ele. Saiba mais1: Nakamura deve lançar o single em evento oficial no dia 5 de setembro, no bar Curupira, no Centro. Saiba mais2: Marcelo já tocou em cidade como Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Belo Horizonte e Florianópolis, levando sua mistura de ritmo como o carimbó, o baião, o brega, o reggae, entre outros. Texto: Felipe Wanderley Fotos: Alinne Cruz e Rodrigo...

Leia Mais
Pratos amazônicos vão para Semana de Gastronomia Regional no RJ
ago21

Pratos amazônicos vão para Semana de Gastronomia Regional no RJ

Salpicão de pirarucu seco, arroz com jambu,  filé de dourado com molho escabeche, cheescake de cupuaçu e outras delícias amazônicas serão apresentadas na Semana de Gastronomia Regional, no Rio de Janeiro (RJ). O evento ocorrerá nesta quarta (22) e na quinta-feira (23), no Restaurante Escola Downtown, situado no centro da cidade. Essa é a terceira vez que o Senac Amazonas participa da programação. Segundo a gerente do Centro de Turismo e Hospitalidade do (CTH) Senac AM, Alessandra Ramos, apesar das participações no Rio de Janeiro (2016) e em Brasília (2017), a expectativa para edição deste ano está cada vez maior. “Estamos nos preparando para levar um show de culinária e na expectativa pra que tudo dê certo. Já escolhemos os pratos, fizemos a degustação, preparamos toda a apresentação, inclusive com elementos típicos da região”, disse. As delícias serão preparadas pelo chef da cozinha do Restaurante Escola do Senac AM, Naifon Silva, que contará com auxílio do ex-aluno do curso técnico de cozinha do AM e ex-aluno do Jovens Talentos, João Lucas Santos e, coordenação do professor Curso Técnico de Gastronomia, Michel Brito. Cardápios O cardápio do primeiro dia será composto da seguinte forma: Entradas; pastel de forno ou crepioca (tucumã e queijo coalho), caldinho de tucupi temperado com camarão. Guarnições; salpicão de pirarucu seco, arroz com jambu e pimentões coloridos, pirão escaldado de peixe (pirarucu) e farofa crocante de suruí picante. Pratos principais; filé de dourado com molho escabeche, filé de aruanã recheado com queijo coalho com crosta de castanha do brasil e molho de manteiga e ervas amazônicas. Sobremesas; cheescake de cupuaçu e torta de banana pacovã na massa briseé. Já no segundo dia, o cardápio será: Entradas; palito de pirarucu crocante envolto na tapioca com geleia de cupuaçu e pimenta e caldo de cará roxo com pirarucu seco. Guarnições; baião amazonense, salada grega amazônica e farofa crocante de Uarini com ervas amazônicas. Pratos principais; matrinxã sem espinha assada e recheada com vinagrete e tapioca e medalhão de pirarucu com banana e molho tucupi. Sobremesa; pudim de açaí com pralinê de tapioca e pavê de graviola com cacau em pó.   Aula show  Na primeira noite do evento está prevista uma aula show para cerca de 30 pessoas. O momento de aprendizagem busca valorizar bem como divulgar a culinária amazonense. A receita que será ensinada pela equipe do Senac AM é o Yakissoba do Índio, culinária esta que foi destaque na Feira Internacional da Gastronomia Amazônica...

Leia Mais
Escritora Carol Peace lança “A ponte”
ago15

Escritora Carol Peace lança “A ponte”

Reflexões, conspirações e ficção científica, a advogada e escritora Carol Peace vai lançar neste fim de semana o livro intitulado “A Ponte”. Conhecida por contos literários e ilustrações, ela decidiu se envolver ainda mais com a literatura. Confira a baixa a entrevista que fizemos sobre o lançamento: Primeiramente, do que se trata o livro? Se fosse defini-lo em três hashtags, quais seriam? “A Ponte” é um conto que se passa em um futuro (não tão distante) devastado pela guerra e pela ganância das grandes corporações. Theo Moraes é um jovem sem qualquer perspectiva para o hoje (e tampouco para o amanhã) que deseja apenas sobreviver em um mundo dominado por uma ditadura cruel. A história é contada do ponto de vista do Theo, enquanto ele começa a entender toda uma conspiração genética que se desenha ao redor dele. Eu usaria as hashtags #distopia #ficçãocientífica e #Manaus, porque é um conto ambientado aqui em nossa cidade. Lançar algo novo é se reconhecer em outra função? Como está sendo esta experiência? Bem, eu sempre escrevi, por assim dizer. Fato é que no momento em que fui alfabetizada já usava as palavras escritas para me expressar no mundo. Muitas pessoas apenas me viam como ilustradora e colorista, no entanto, já tenho vários trabalhos publicados, tais como: contos e, até mesmo, um roteiro para revista em quadrinhos. A função de autora, todavia, não é nada fácil. Você se expõe e se torna uma pessoa pública, por assim dizer. Você deve passar a ter muito cuidado com as suas opiniões e posicionamentos, algo que somente com a maturidade que tenho hoje consigo gerenciar. Que tipo de materiais e formatos artísticos você já lançou? No quesito literário, além de autopublicar muito material, tive alguns contos publicados por editoras e revistas nacionais. Pela Editora Draco publiquei o conto TK2K em uma coletânea chamada “Samurais X Ninjas”. É uma distopia com ares cyberpunk em que cunhei um herói bastante improvável. Contar mais do que isso estragaria a surpresa, mas para quem tiver interesse, é possível adquirir a história no site da Draco. Na revista Trasgo publiquei a história “Você está morto, Jesse Danvers”, que também é uma distopia cyberpunk, contudo a temática é bem mais adulta, uma vez que escrevi voltado para o público LGBTA+. É possível ler a história pelo site da revista Trasgo. Também publico webnovelas (histórias publicadas online), dentre as quais posso citar a mais conhecida “A Ordem do Amanhã”, em que conto as desventuras de vários personagens com poderes que são tudo, menos heróis. Você pode ler a primeira temporada no site: http://tomorrowsorder.tumblr.com/ (lá você também encontra links para minhas outras webnovelas). Além disso, fiz...

Leia Mais
Plug N’Play Music Studio faz ação social
jul25

Plug N’Play Music Studio faz ação social

O estúdio de musica “Plug N Play Music Studio” promove o primeiro festival beneficente “MUSICOLETIVIDADE” - Open House para amantes de música. O evento acontecerá neste domingo, dia 29 de julho, na Rua Angélica Motta, n°14 bairro Parque 10 de Novembro - Zona Centro-Sul. Com intuito de reunir músicos, bandas e artistas de diversas áreas artísticas para uma ação social, o estúdio “Plug N Play Music Studio” irá promover um dia de música, cultura e solidariedade. A entrada do evento será um quilo de alimento não perecível que serão destinados ao Abrigo Monte Salém. Os artistas convidados irão contribuir com a demonstração de shows, cantos e pinturas para o publico presente.  E os intervalos serão comandados pelo DJ Dolittle que promete animar a festa. Venda de garagem, Jam dos músicos, venda de cerveja, água e refrigerante, grafitti. Ainda na programação terá venda de discos de vinil, CDs e DVDs e a Mimos da Onça com artigos de decoração, Petit Shop for Pet Lovers e Rent’s Merenda na gastronomia. DJ Dolittle (intervalos) 17h - Marcelo Nakamura 18h - Mady e Seus Namorados 19h - Lótus 20h - Gramophone 21h - Monobase 22h - Jam dos Músicos Guia rápido O que é: Evento Open House para amantes de música Data: 29/07/18 Hora: 17h Local: Plug N Play Music Studio - Rua Angélica Motta, n°14 bairro Parque 10 de...

Leia Mais
‘Passarinho’ nos céus da Espanha
jul24

‘Passarinho’ nos céus da Espanha

É sobre esperança. A tentativa de ser livre em meio a uma sociedade cerceadora. Assim é o mote para o espetáculo ‘Passarinho’, nova produção do Coletivo Mona, solo com Leonardo Scantbelruy. A obra estará no encerramento do Encuentro Emergentes, que acontece essa semana, de 23 a 29 de julho, na Espanha. A participação partiu de um convite do próprio festival, que assina a co-produção do espetáculo. Em sua segunda participação no evento, Scantbelruy esteve presente no festival do ano passado com a obra “Recolon”, contemplada no edital ‘Conexões culturais’ de 2017 da Manauscult, e que deve entrar em circulação em Manaus no mês de outubro, passando por várias zonas da capital e também na área ribeirinha. Sequência direta do trabalho em performance que Scantbelruy desenvolve desde 2014 que já culminou na obra ‘Recolon’, ‘Passarinho’ traz novas abordagens tanto cênicas quanto temáticas. A principal é a introdução da técnica de tecido circense, que o artista estuda desde a graduação em teatro na Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e que atualmente é o foco de um trabalho com crianças que Leonardo desenvolve com crianças no Quilombo de São Benedito, no bairro Praça 14. Se em ‘Recolon’ os elementos cênicos remetiam ao solo e a raízes, no novo trabalho o intérprete busca as alturas. A maior parte do processo de criação e ensaios deu-se na Praça da Saudade, em uma árvore que já testemunhou inúmeras apresentações artísticas no local. E atualmente, antes da estreia, o artista desenvolve processo semelhante no Parque de Los Patos, na Mairena del Alcor, Sevilha. Quando morou em Porto Velho (RO), Leonardo Scantbelruy viu todo o processo de degradação socioambiental provocado pela construção das usinas hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio, e é perceptível o quanto isso reverbera em seu trabalho. Além da forte crítica a esses grandes empreendimentos em ‘Recolon’, há agora uma preocupação com a fauna  amazônica e com os seres deslocados pela ação humana. “Refleti sobre muitos aspectos, desde a questão do tráfico de animais até o deslocamento de algumas populações por conta de grandes empreendimentos. São reflexões que vêm desde os processos iniciais do ‘Recolon’ e pela circulação dessa obra também", revela Scantbelruy. ‘Passarinho’ conta ainda com a participação dos artistas Yara Costa (instrutora de áereo), Daniel Bonfim (músico), Daniel Braz (editor de som), Marcelo ‘Balaclavo’ Nobre (identidade visual), Elson Arcos (sonoplastia), Preta Scantbelruy (Figurino) e Mendes Auá (desenhos). Além da participação no Encuentro Emergentes, Leonardo Scantbelruy participa do processo criativo da intervenção urbana "Proyecto X" desenvolvida pelo coletivo Silere...

Leia Mais