Garantido inicia translado de alegorias
jun25

Garantido inicia translado de alegorias

Cumprindo o cronograma de atividades, o Boi Bumbá Garantido iniciou hoje, 24, o translado das alegorias da Cidade Garantido à concentração do Bumbódromo. O trabalho é executado pelos conhecidos Kaçaweres que, literalmente. A ação conta com apoio da Policia Militar, Corpo de Bombeiros e Amazonas Energia. São 180 kaçaweres incumbidos de levar 150 módulos alegóricos. A previsão é realizar o trabalho em seis dias e o bumbá está na concentração até sexta, 30, pela manhã. A equipe responsável pelo transporte das alegorias é coordenada pela engenheira de segurança no trabalho, Cristiane Gama, os técnicos em segurança e coordenadores, Valdenor Santos e Gilberto Nascimento. Segundo Cristiane, são dois meses de organização e planejamento com a comissão de artes e artistas do bumbá. Ela destaca a preocupação da diretoria do boi com a segurança dos colaboradores e conservação das estruturas alegóricas. "Nossa preocupação é evitar acidentes. Aqui é obrigatório o uso de equipamentos de proteção individuais (EPIs) como botas, capacetes, luvas de raspa, luvas de pano", conta. O jovem Eduardo Trindade, 25, empurra as alegorias do Garantido há 8 anos. Ele destaca que o kaçawere é um item importante do boi. "Nosso trabalho é importante. É a gente que leva o boi pra arena", enalteceu. Ademar Teixeira, 37, é torcedor vermelho e branco e pela primeira vez vai ser um kaçawere. "Estou feliz em poder ajudar meu boi", finaliza. *via assessoria de imprensa boi garantido. #52FestivaldeParintins #alegorias #festivaldeparintins #garantido #Kaçauerés...

Leia Mais
Brahma é a cerveja oficial do 52º Festival Folclórico de Parintins
jun16

Brahma é a cerveja oficial do 52º Festival Folclórico de Parintins

Neste ano a cervejaria Brahma homenageará as pessoas que fazem com o que Festival de Parintins seja único. A Brahma preparou uma campanha personalizada para o Festival de Parintins, no qual exaltará o sentimento especial que cada integrante e torcedor tem pelo Caprichoso ou pelo Garantido e como essa emoção única construiu toda a magia dos bumbás. Para isso, a cervejaria reunirá quatro personagem, dois representantes de cada boi, que contarão mais sobre a emoção de expressar sua paixão no Bumbódromo. A proposta da campanha 2017 é enfatizar a essência do Festival, mostrar que as pessoas são as principais responsáveis por realizar essa experiência que vai além da arena e transforma suas vidas. Bastidores da campanha para as redes sociais, que será divulgada na semana do Festival de Parintins 2017 Assim como o festival, a cervejaria Brahma apresentará uma identidade visual única para suas latas e lançará uma edição limitada para Parintins com o intuito de mostrar o orgulho e o sentimento que é ser Caprichoso e Garantido. Repetindo o sucesso dos anos anteriores, as hashtags estão de volta. Dessa vez serão #cervejaeassimquesefaz e #brahmaparintins. Caso queira demonstrar amor pelo seu boi a torcida poderá utilizar as seguintes hastags: #quandoeumesintocaprichoso ou #quandoeumesintogarantido #issopedebrahma. *Com informações da assessoria de...

Leia Mais
Zona Tribal no Mandrake Festival
maio04

Zona Tribal no Mandrake Festival

A banda Zona Tribal é uma das atrações da terceira edição "Mandrake Rock Festival", que acontecerá no Galpão do restaurante Da Terra, localizado na Av. Manaus Moderna, 100, Centro (próximo ao Teatro Chaminé e Parque Jefferson Peres). Os ingressos custam R$3. Quem comprar concorrerá a 30 prêmios, camisetas, bonés, CDs, DVDs e acessórios. O festival é uma mostra do rock produzido por bandas do eixo norte do país. A terceira edição se divide entre os dias 07 e 14 de maio. Entre as atrações do próximo sábado estão as bandas: Ɗopadona, Alderia, Sentapua, Zona Tribal, Antiga Roll, Iekuana (de Roraima), Caos Devasta e Dead Corpse. “Participar de festivais com bandas, que produzem material próprio é sempre prazeroso porque o público vai disposto a conhecer ou mesmo reconhecer o trabalho dos artistas locais”, declara Mencius Melo, vocalista da Zona Tribal. “Iniciativas assim fazem a informação circular mostrando o potencial da cena, para nós da Zona Tribal, que temos limitações quanto ao circuito de bares da cidade por não tocarmos muitos covers, o Mandrake Festival é fundamental”, finalizou Mencius. Na ativa Remanescente da geração que sacudiu a cena autoral do rock amazonense de meados da década de 1990, a Zona Tribal é uma das bandas que ajudou a abrir caminhos para novas gerações de músicos que apostam no velho e bom lema “faça você mesmo”. Não é uma banda de “alta circulação” em função de sua verve autoral, que limita contratos em bares ou mesmo abertura de shows quase sempre ocupados pela formula “clássicos+público+vemlogoatraçãoprincipal”, mas, nem por isso a banda parou de produzir. Em quase duas décadas a Zona Tribal lançou três álbuns (Zona Tribal 2002/ Extremo Norte 2006/ Crônicas 2012). Além dos discos - o último pode ser encontrados nas plataformas digitais Itunes, Spotify, One RPM entre outras - a Zona Tribal também apresentou registro audiovisual, Dois clipes foram lançados pela banda nos canais You Tube e Facebook, são eles: “Guerrilha” de 2012. Em parceria com a produtora paulistana Movie3 (Manú Gavassi, Jota Quest, Gabriel O pensador).  Agora para o segundo semestre de 2016, a banda lançará o terceiro videoclipe chamado “Crônicas do Dia a Dia”, também em parceria com a Movie3. Enquanto o novo clipe não vem, você pode conferir o último que a banda lançou da faixa "Suicídio" de  2015....

Leia Mais
Concurso de Telas do Festival de Parintins 2016 anuncia vencedores
abr29

Concurso de Telas do Festival de Parintins 2016 anuncia vencedores

O Concurso de Telas para Escolha do Cartaz Oficial do Festival de Parintins 2016 teve participação de obra especial produzida no pavilhão de presos provisórios na Unidade Prisional de Parintins. Apesar de não ter ficado entre as cinco classificadas, a tela “Parintins, Terra dos Sonhos”, de Andrei Souza dos Santos, 27 anos, ganhou grande repercussão entre o público durante a exposição no Centro de Atendimento ao Turista (CAT). O artista atua no Boi-Bumbá Caprichoso, na equipe de Juarez Lima. No total, 47 telas foram inscritas no evento realizado pela Associação dos Artistas Plásticos de Parintins (AAPP), em parceria com a Prefeitura de Parintins, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Sectur), com apoio do Governo do Estado. Andrei Souza dos Santos já havia concorrido no Concurso de Telas e recebeu incentivo da esposa, Rosane Andrade da Silva, para pintar a tela. A companheira comprou material e o artista confeccionou a obra em dois dias dentro do presídio.   De acordo com Andrei dos Santos, a pintura retrata uma logomarca estilizada para identificar o Festival de Parintins. “Representa a festa das cores, união de azul, vermelho e branco. Significa o amor e paz”, revela. Mas o artista não se limitou a apenas abordar a festa folclórica e através da obra se manifestou de forma crítica. “Por trás de tudo isso, tem uma coisa a mais guardada. As mãos escondem o rosto e deixam aparecer o olhar. É o olhar que eu quero que a sociedade tenha daqui”, explica. Mesmo preso, o artista quis chamar atenção em relação a discriminação sofrida pelos presos. “Que a sociedade olhe para nós com outros olhos e não dessa forma, como se a gente não tivesse capacidade, valor, de aqui dentro só existe malfeitores. Aqui se produz arte. Tem muitas coisas aqui que podem ser aproveitadas.  Aqui tem marceneiro, pedreiro, artesãos, entre outras pessoas discriminadas. Minha esposa me incentivou a fazer esse trabalho e ajudou até na parte da ideia”, declara. O secretário da Sectur, Zezinho Faria, afirma que Concurso de Telas possibilita a socialização através da arte. “É muito abrangente. Além do presidiário, artistas de outros municípios concorreram. O concurso cresce e a perspectiva é que no aniversário de Parintins seja um grande evento, com eliminatórias e aberto para votação do público pelas redes sociais”, assegura. AAPP e Sectur planejam próximo Concurso de Telas para o aniversário de Parintins, na primeira quinzena do mês de outubro deste ano. Impressão do cartaz Zezinho Faria viajou a Manaus nesta semana para apresentar à Secretaria de Estado de Cultura (SEC) a foto da tela, escolhida através de concurso para ser o cartaz do Festival Folclórico de...

Leia Mais
‘Luau Interdanças’: dedicado à dança de salão
abr20

‘Luau Interdanças’: dedicado à dança de salão

Agora é a vez da dança de salão invadir o píer do flutuante IBIZA River Club, o evento que acontece nesse domingo, 24 de abril,  terá a participação de Rubia Frutuoso, professora e dançarina de Zouk premiada internacionalmente, que vem de São Paulo especialmente para uma rodada de eventos dedicados a dança de salão em Manaus e estará pela primeira vez em um flutuante.  Quem acompanha Rubia, é o renomado professor e dançarino Lucas Oliveira, proprietário da Sertanejo MIX que promove festas e eventos para o público da dança. Lucas é especializado em coreografias para o segmento sertanejo, possuindo versatilidade para outros ritmos de salão. O casal já possui bastante sintonia devido a apresentações realizadas anteriormente em São Paulo. Já Rubia Frutuoso é formada em Educação Física, Ballet Clássico e Jazz Dance, atuando há 12 anos como professora, bailarina e coreógrafa. Desenvolveu estudos em dança latina, também é professora de Zouk no curso de pós graduação em dança de salão da FMU (SP). Foi premiada com o troféu Baila Mundo 2013, viaja pelo Brasil e exterior como professora de Lady Styling e Zouk, participou do Congresso Mundial de Salsa, além de ter sido destaque no “Se Ela Dança Eu Danço” (SBT), chegando à final e conquistando título. Para Rubia a experiência de dançar em uma estrutura flutuante em pleno Rio Negro é reveladora. “Acho que este formato nos proporciona maior liberdade e interação. O contato com a natureza também nos ajuda a provar, além das sensações corporais, uma relação mais intima com o espaço, aguçando assim nossos sentidos que também são trabalhados na Dança a dois”, opina. O professor, Lucas Oliveira, não esconde a ansiedade e diz que algo assim nunca aconteceu em sua carreira. “Este é um formato inovador, dançar ao ar livre, dançar sem fronteiras! Interessante quebrar o paradigma do salão”.  O Interdanças O Interdanças está em sua quarta edição, é um projeto que busca fomentar a difundir a dança da salão no estado do Amazonas, tendo a frente a professora Bacharel em Dança (UEA), Edyna Santos, que atua na cidade de Manaus desde 2003, passou por diversas escolas, e hoje possui o estúdio próprio, ‘Edyna Santos Estúdio de Dança e Cia’. O Interdanças surgiu da necessidade de colocar a capital do Amazonas na rota dos espetáculos de dança de salão, por conta da cidade ser carente deste tipo de evento. “Certa vez um casal de dançarinos brasileiros em turnê pela Europa quis incluir Manaus na turnê do Brasil, e assim comecei a trabalhar nessa ideia. Tenho lutado bastante para que Manaus entre no circuito artístico de dança, para isso busco parceiros que acreditem na ideia”, frisa....

Leia Mais