Kung Fu para todas as idades
set09

Kung Fu para todas as idades

A União Nacional de Kung Fu filial Manaus abre suas portas durante o período taciturno (a tarde, das 16:00 as 18:00) para todos os interessados no verdadeiro Kung Fu. Masculino e feminino para iniciantes, aulas especiais infantis para crianças de 7 a 10 anos e treino voltado para MMA. Nosso estilo é Wing Tsun Kuen e se destaca pela metodologia realista em relação a combate e autodefesa. Somos a mais completa escola de Wing Tsun do Amazonas, abordando não apenas a dinâmica de trocação, mas torsões, chão, armas brancas e muito mais. Se você é um verdadeiro amante das artes marciais, venha conhecer a U.N.K. na rua Tarumã, 771, Praça 14. Telefone:  99171-9934/...

Leia Mais
Demônio Taciturno
jul02

Demônio Taciturno

E agora que o nevoeiro tomou a minha mente, vejo o mundo inteiro numa sombra distante. Uma alma aleijada com passos erráticos Viciada na solidão que destila.   E o mundo não é o bastante em certos momentos, A dor é tão intensa no corpo e na mente. Ataques de fúria na cidade condenada, Rastros que revelam uma mente flagelada.   Vítimas que surgem enquanto a dor aumenta, Conectando as almas que, em mim, se fragmentam. Vícios de vampiro, regozijo em sua mente, Antigas palavras de um espírito dormente.   Então eu percebo, não há pétalas na rosa. Aí o desespero me encontra nessa fossa. Vozes esmagadoras que gritam no silêncio, Mãos sangrentas que anseiam por meu fim.   Letra da minha banda Alta...

Leia Mais
Cidade Adormecida
jul01

Cidade Adormecida

Do nada veio Esse momento E engoliu Todo o meu dia Eu penetrei O véu da vida E senti  O agridoce disso. Rostos perdidos Sentimento perdido Atemporal Sem sol ou lua. Pós-chuva eterno No mundo etéreo. Talvez mecânico Talvez orgânico Talvez carbono Nesse outono. As pessoas Que conheço aqui Desaparecem Quando a cidade acorda. Cidade adormecida Universo adormecido Tudo perdido e esquecido E nós aqui, os...

Leia Mais
Horas que o relógio não conta 
jun29

Horas que o relógio não conta 

Eu escuto um eco De um passado tão remoto Onde, nesse mesmo lugar, Eu pensei nesse momento.   Se um dia a dor passaria, Se um dia eu estaria livre. Essa corrente que me prende Neste quarto subconsciente. Vagando a vida vendo os tolos Construindo um tolo mundo Onde a tolice é sempre A bola da vez.   Nas estações eu encontro Sempre o mesmo fantasma Que torna tudo tão cinza Enquanto eu choro minhas cores.   E, quanto mais eu vago, Mas o tolo ri de mim. As vezes eu sinto a sombra Se movendo no vazio.   Ostentando um raso semblante Enquanto me escondo em meu sangue. Eles tecem o mundo dos trouxas Enquanto só tenho a mim para fechar meu...

Leia Mais