Banda amazonense Santrio lança documentário sobre produções autorais
dez30

Banda amazonense Santrio lança documentário sobre produções autorais

A produção traz momentos exclusivos das produções da Banda, como composições musicais e audiovisuais. Acesse o documentário aqui: youtube.com/user/santriotube *Assessoria de Comunicação O documentário lançado este mês traz o relato individual dos três integrantes da Banda de Rock Progressivo Santrio sobre as produções autorais da trajetória da banda, desde composições, edições e gravação. A banda é composta por Lucas Passos no vocal e guitarra, Andrio Dias na bateria e Warllison Barbosa no baixo. A banda segue o estilo do rock progressivo, estilo que valoriza em mesmo nível o vocal e instrumental nas suas músicas. A Banda lançou também no dia 21 de dezembro o novo álbum “Líquido”, que traz composições que buscam uma reflexão maior sobre a sociedade e a internet. Além dos três integrantes, o álbum traz a participação do guitarrista manauara Aldenor Honorato, na música “Backup”. Acesse aqui youtube.com/user/santriotube. De acordo com o vocalista e guitarrista da banda, Lucas Passos, o documentário revela momentos exclusivos da formação da banda e relembram momentos importantes que vivenciaram. “Vamos falar também sobre a adaptação da produção do novo álbum durante o período de quarentena em plena pandemia”, comenta o músico que também é produtor cultural e mestrando da Universidade Estadual do Amazonas (UEA). O público terá acesso a grande parte de todo o processo de produção do novo álbum da banda, como explana, Passos. “Foi um desafio conseguir estruturar um documentário de 1h de duração paralelo aos lançamentos do nosso álbum. É uma área em que eu tenho buscado aperfeiçoamento, e tem se tornado uma ferramenta essencial nas produções. Este é o segundo documentário que produzo, porém em uma condição total atípica, pois nossas ações foram bruscamente limitadas com o período de isolamento”. Para o baixista Warllison foi bom relembrar fatos, momentos e experiências da Banda. “Esse tipo de produção faz a gente ter noção do amadurecimento como músicos e crescimento profissional. O documentário mostra o antes e o depois da produção do Líquido, e todo que o envolveu para chegarmos em um resultado que temos hoje, que pra mim é muito gratificante”, disse. O projeto recebeu apoio do edital Conexões Culturais 2020, desenvolvido pela Secretaria de Cultura, Turismo e Eventos – Manauscult e Governo Federal, mediante a Lei Aldir Blanc. Músicos Andrio é bacharel em Música, percussionista da Orquestra Filarmônica do Estado, produz conteúdo de percussão e bateria para o seu canal do YouTube, e representante de marcas de instrumento em nível nacional, além de atuar com produção musical. Lucas tem o seu projeto musical solo, possui licenciatura em Música, é especialista em Gestão e Produção Cultural, idealizador dos projetos Cúmplices da Arte Autoral e Os Guitarphones, além disso,...

Leia Mais
Lucas Passos promove videopalestra sobre referência do Blues, Robert Johnson
dez29

Lucas Passos promove videopalestra sobre referência do Blues, Robert Johnson

“Robert Johnson e a guitarra como escudo de sobrevivência” é o tema da videopalestra do músico amazonense Lucas Passos, que reúne diálogos com compositores e pesquisadores do Amazonas *Assessoria de Comunicação “Vida e obra” do cantor de blues Robert Johnson, um dos músicos de referência na história da música, é retratada em videopalestra nesta quarta-feira (31) do músico e pesquisador mestrando da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) Lucas Passos. O Projeto reúne ainda a participação de músicos, compositores e pesquisadores do Amazonas e estará disponível no canal ‘Passos do Lucas’. Segundo Passos, o projeto contemplado no edital Conexões Culturais, abordará a temática da criação composicional musical de Robert Johnson.“Ele foi um guitarrista negro muito importante na história da guitarra mundial, então vamos dialogar entre o mito presente na vida do guitarrista e na literatura clássica de temática fáustica”, explica. Para compor a videopalestra foram convidados músicos e pesquisadores que atuam contribuindo com o fazer artístico na cena amazonense, como a compositora Elisa Maia; o violoncelista e professor Edoardo Sbaffi; o músico e compositor César Lima; a cantora e compositora Kely Guimarães; e o músico e compositor e professor Marcello Messina.  De acordo com a cantora e compositora Elisa Maia,é importante discorrer sobre a importância da composição musical. “A mágica de falar sobre composição é que a gente tá falando sobre o processo de trabalho mais primário e primitivo do que é ser artista e no caso, um artista da música que faz sua própria música”, reflete, acrescentando que “compor é o trabalho mais essencial, e mesmo assim, é um processo pouco compreendido, às vezes, invisível, porque cada artista tem sua própria vivência, seu tempo e seu espaço pra isso”, finaliza. Já para o professor da UEA, Edoardo Sbaffi, a proposta do projeto representa um exemplo de como o processo criativo e a pesquisa musicológica, podem convergir para uma proposta completa e sinérgica. “A composição musical é um fenômeno passível de ser estudado e analisado sem, ao mesmo tempo, perder a sua componente de pura imaginação. Arte é justamente isso: um ato criativo que responde a uma escolha metodológica e sujeita a constante autoavaliação” comenta Sbaffi, que é doutor em Música e Musicologia. O projeto recebe apoio do edital Conexões Culturais 2020, desenvolvido pela Secretaria de Cultura, Turismo e Eventos – Manauscult e Governo Federal, mediante a Lei Aldir Blanc. Artista e pesquisador Lucas Passos, além de músico graduado pela Universidade Federal do Amazonas, é Especialista em Gestão e Produção Cultural e mestrando qualificado pelo Programa de Pós-Graduação em Letras e Artes – PPGLA, da Universidade do Estado do Amazonas. Por meio das atividades acadêmicas, e de estar se...

Leia Mais
Tércio Macambira coordena oficina de ritmos amazônicos
dez28

Tércio Macambira coordena oficina de ritmos amazônicos

A inscrição para a Oficina de Ritmos amazônicos é online e gratuita e abordará ritmos do Norte do Brasil como: Marabaixo, Batuque do Curiaú, Gambá, Carimbó, Marambiré e Toada. Acesse a inscrição aqui *Assessoria de Comunicação Para divulgar e difundir a cultura e ritmos da Amazônia, dia 29, às 16h, será realizada a Oficina, online e gratuita, ‘Ritmos amazônicos’ que abordará os ritmos como o Gambá, Marabaixo, Batuque do Curiaú, Carimbó, e Marambiré. A Oficina será ministrada pelo músico percussionista Tércio Macambira contará com a participação dos bateristas Yuri Lima e China Alter do Chão. A inscrição para a oficina é gratuita e é destinado ao público que tem interesse em conhecer mais sobre percussão e sobre a cultura da Amazônia. A Transmissão será pelo seu canal no Youtube e Facebook: facebook.com/tercio.macambira. Segundo o percussionista Tércio Macambira, a oficina contará com a explicação e demonstração dos ritmos com instrumentos genuínos de percussão e com as adaptações para a bateria. “Além das demonstrações com os instrumentos, também será abordado a origem histórica e cultural de cada ritmo abordado para contextualizar cada ritmo”, explica o músico, que também é professor no Liceu de Artes e Ofícios Cláudio Santoro. Para Macambira, é necessário uma maior divulgação da diversidade dos ritmos da Amazônia para que esta cena cultural tenha continuidade. “Mesmo diante dessa riqueza, as produções musicais locais exploram pouco esses ritmos do norte, o que causa não apenas desconhecimento dessa cultura, mas pode ocasionar o esquecimento”, comenta. A Oficina ‘Ritmos amazônicos’ tem o apoio da prefeitura de Manaus e do Governo Federal, por meio do Prêmio Conexões Culturais 2020 – Lei Aldir Blanck. Músicos Tércio Macambira, responsável pela Oficina, é músico, percussionista, professor no Liceu de Artes e Ofícios Cláudio Santoro e pesquisador na Universidade Estadual do Amazonas (UEA). Natural da cidade de Maués, possui vasta experiência com os ritmos regionais, atua na cena Manauara desde 2010 onde trabalha com renomados artistas. Macambira é músico integrante da Orquestra de Violões do Amazonas e lidera o grupo Gambá Maroaga. Yuri Lima, um dos convidados, é músico baterista, e tua como percussionista da Amazonas Filarmônica. É professor dos cursos de bateria e percussão do Liceu de Artes e Ofícios “Cláudio Santoro”. Possui Licenciatura em Música pela Universidade do Estado do Pará (UEPA) e Pós graduação em Docência do Ensino Superior pela Uninorte – AM. Foi finalista (3º lugar) do concurso V-Drums Contest 2011 pela empresa ROLAND. Acompanhou músicos como Sebastião Tapajós, Yamandú Costa, Ney Conceição, e Celdo Braga. O Outro convidado é Ronalto Alves de Jesus, conhecido como China que é autodidata e toca profissionalmente desde os 19 anos. Participou de vários festivais de...

Leia Mais
Teatro Amazonas é cenário de clipe novo da Santrio que estreia novo álbum
dez23

Teatro Amazonas é cenário de clipe novo da Santrio que estreia novo álbum

Além do novo álbum ‘Líquido’ e do clipe ‘Fotografia’, a banda de rock amazonense Santrio lança também o documentário sobre o processo de produção do CD, o qual foi contemplado no edital Conexões da Prefeitura de Manaus. Ouça o álbum no Spotify *Assessoria de comunicação A banda de rock progressivo Santrio lança hoje (21), em todas as plataformas digitais, o álbum novo ‘Líquido’, o clipe Fotografia no YouTube, e também um documentário sobre processo de produção do CD. A banda é composta por Lucas Passos no vocal e guitarra, Andrio Dias na bateria e Warllison Barbosa no baixo. O novo álbum ‘Líquido’ traz nas suas composições, letras que retratam a sociedade ‘líquida’ a qual estamos vivendo, como explica o vocalista e guitarrista da banda, Lucas Passos. “Músicas como: ‘Uploud’, ‘Filtro’, e ‘procrastinação’ trazem reflexão sobre o cotidiano da era da tecnologia”, comenta o músico que também é produtor cultural. A produção conta com a participação do guitarrista manauara Aldenor Honora, que realiza um feat. na música “Backup”. “É de grande felicidade ter a participação do Aldenor, um amigo das épocas de estudantes de música e um dos melhores guitarristas da nossa cidade, foi um prazer dedicar uma música para ele realizar um solo de guitarra” esclarece, Passos. O projeto da produção do novo álbum da banda Santrio foi contemplado no edital Conexões Culturais de 2018 da Prefeitura de Manaus por meio da ManausCult. Clipe ‘Fotografia’ no Teatro Amazonas Para a produção do clipe ‘Fotografia’, a banda escolheu o Teatro Amazonas como cenário. Segundo o baterista Andrio Dias, a ideia é mostrar muito além do palco, que geralmente é o principal foco de quem o visita.Assista o clipe ‘Líquido’ “Escolhemos os corredores e o Salão Nobre como referência do que o Teatro, como um monumento, tem para contar no seu backstage. O palco do Teatro não é o único lugar que se comunica com o público. Esse foi o principal intuito do clipe, trazer uma reflexão de memória fotográfica que se faz presente no entorno do palco do Teatro Amazonas”, disse. Segundo Passos, os clipes do álbum líquido vão ser todos conectados para contar uma história contínua sobre as várias formas de usabilidade da tecnologia. “Começamos com o clipe ‘procrastinação’ que retratou bem como o uso do smartphone pode atrapalhar tarefas básicas durante o dia”, comenta o vocalista. Documentário e palestra sobre produção Outra novidade da banda é o lançamento do documentário sobre a trajetória da Santrio, que segundo o baixista Warllison Barbosa, vai mostrar não apenas o cotidiano das criações da banda, mas também a preparação para shows, montagem de cenário para os clipes, além de outras produções e curiosidades. Assista o Doc. “Vamos apresentar um pouco da nossa realidade atual, de como ocorreu o nosso processo de ensaio, de criação e do relacionamos entre a banda em meio a pandemia. Contaremos também como foi o início de tudo, como a banda foi formada, e como foi...

Leia Mais