Mistério no aeroporto
mar01

Mistério no aeroporto

Me sinto naquele jogo que você tem que descobrir o que está acontecendo por meio de pistas. Aqui no aeroporto numa conexão interminável. Enquanto corrijo provas tem uma senhora de cabelos longos, brancos e presos de um jeito característico. Saia comprida. Ela está há horas falando sozinha mas agora pegou o telefone e deixou claro que estava a ligar pra pastora. Essas são as frases que ela diz: "Até meu cabelo ela tava tocando pro diabo ungir". "Não gosto da minha irmã como eu gosto do jeito da família do Paraná". "Não vou no bispo Macedo porque ele tá comungado com o diabo, ele tá junto com o capeta". "Foi o aeroporto que me jogou aqui na sujeira. Ele tá escondido no som aqui do Aeroporto". "A polícia já viu quem fez a sujeira. Meu irmão vai ter que baixar o topete dele". "Sofri dois estupros e dois espancamentos e quero ser vista como a mulher do arrebatamento". "Quer dizer que você vai levar isso pro Barack Obama?" "Eu não iria para Paraguassu. Só se a polícia descobriu alguma coisa" "Eles não são família coisa nenhuma. Família é aquela do Paraná". "Ela tá sendo arrebatada no banco do aeroporto e vai ser jogada no monte"; "Ele tá correndo perigo sim! Não tem nada a ver vacina, nem soro nem nada que aplicaram nele"; "Os pastor não estão resolvendo, não estão tendo prudência"; "É o próprio Deus que tá fazendo? Tem algo na graça que tá sendo cuidado. Ah... entendi! Entendi!!"   Eu realmente queria que isso tudo significasse algo pra mim como significa pra ela. A vida é realmente um...

Leia Mais