“Artistas não devem se meter em politica!” Belchior já nos dizia o contrário

A Palo Seco, ontem e hoje.

"Se você vier me perguntar por onde andei No tempo em que você sonhava De olhos abertos, lhe direi Amigo, eu me desesperava Sei que assim falando pensas Que esse desespero é moda em '76 E eu quero é que esse canto torto Feito faca, corte a carne de vocês E eu quero é que esse canto torto Feito faca, corte a carne de vocês"

Começo esse modesto texto blogueiro, deste modesto artista autoral manauara, que ousou em escrever algo mesmo sem saber escrever, longe de mim dar uma de jornalista de boteco. Eu que diversas vezes fui subestimado nesse sentido, eu que diversas vezes escutei esse mesmo jargão, às vezes em tom de histeria e determinação de comportamento, de algum formador de opinião do Facebook, que provavelmente é mais um senso comum que cultivou muitos discos, que cultivou muitos shows de bandas antológicas, mas nunca entendeu nada sobre as letras e sobre os conceitos, dessas bandas e desses artistas.

Neste trecho especifico, Belchior nos deixa bem claro a situação política da época: Ele quer que machuque, que corte, que deixe marca. Ele canta "A Palo Seco" para que nós, que o ouvimos, sejamos atingidos por suas palavras. Ele tem esperança de que faremos alguma coisa, se esse canto consiga chegar nos nossos corações as nossas razões, a nossa consciência de classe. Pra entender melhor o que é a "Palo Seco" vou contar um pouco sobre a história da música. Na verdade, fazendo uma breve busca na internet, não é difícil encontrar que...

Palo: é o nome que se dá as sub-classificações do Flamenco. Dentre os principais palos flamencos destacam-se a Seguiriya, a Soleá, a Bulería, a Alegría, a Rumba, o Tango, o Fandango e a Sevillana. O Martinete é considerado o palo mais antigo, chamado a palo seco, ou seja, sem acompanhamento de violão. Para explicar a canção, recorremos a o poema de João Cabral de Melo Neto "cante do meu cante" que se remete justamente a essa descrição de a Palo Seco "Se diz a palo seco o cante sem guitarra; o cante sem; o cante; o cante sem mais nada; se diz a palo seco a esse cante despido: ao cante que se canta sob o silêncio a pino."

"O cante a palo seco não é um cante a esmo: exige ser cantado com todo o ser aberto; é um cante que exige o ser-se ao meio dia, que é quando a sombra foge e não medra a magia."

"Eis alguns exemplos de ser a palo seco, dos quais se retirar higiene ou conselho: não o de aceitar o seco por resignadamente, mas de empregar o seco porque é mais contundente"

Voltando ao nosso tema podemos ver aí um Belchior preocupado em falar as coisas sem rodeios, sem frescura, ou seja A Palo Seco.

Segundo a colunista Thamys Pereira "Em 1973, aconteceu o golpe de Estado no Chile, Salvador Allende foi deposto pelo golpe militar e Augusto Pinochet se proclamou presidente. Allende havia fundado o Partido Socialista do Chile, foi o primeiro Presidente da República socialista e marxista eleito democraticamente de toda a América Latina." Assim, meus caros, a situação era de pânico. Fora ditadura que estendia no nosso país, camuflado por um clima de patriotismo e festa copa do mundo enquanto se cantava fervorosamente 'Pra frente, Brasil! Salve a seleção!', enquanto se sonhava, enquanto se maquiava as atrocidades que vinham acontecendo não só no Brasil, mas em toda América do Sul, enquanto o povo não tinha noção do que acontecia bem debaixo de seu nariz (como muita gente não tem até hoje), por isso mesmo, Belchior se desesperava.

E o desespero dele senhoras e senhores, meninos e meninas , atinge até hoje, não é atoa que as canções dele nos servem nesse momento, não é atoa que recente o Rapper Emicida sampleou uma de suas músicas "Sujeito de Sorte" e chamou pra cantar um sujeito que constantemente é discriminado, principalmente pela galera da moral e bons costumes, e do pessoal coluna do meio do "não se deve misturar politica com música" ou "o artista não deve se meter com politica" ou do " eu só curto essa música por causa do som". Então mais do que nunca Belchior vem nos dizer a A Palo Seco, sem rodeios e sem frescura, o quanto é importante a gente se preocupar com que esta acontecendo no nosso país. Sem mais rodeios, sem mais delongas, pontuando corretamente sem a subversão de escrita ortográfica literária de "Do velho safado" me despeço de vocês meus amigo, beijos!

Tiago Smokers

Author: Tiago Smokers

vocalista e guitarrista da banda manauara de rock alternativo, Vultos Viscerais, pai, marido,comunista, subversivo,com habilidades extremas em f... a paciência de gente escrota.

Share This Post On
468 ad