Festivais no Amazonas e os impactos da Covid-19
Maio27

Festivais no Amazonas e os impactos da Covid-19

Festival Até o Tucupi convida nesta quinta (28) festivais amazonenses para debate online, que reflete as produções em tempos de coronavírus e isolamento social. O Festival Até o Tucupi de Artes Integradas, que em 2020 completa 14 anos de realização ininterrupta, provoca o debate Festivais no Amazonas e os Impactos da Covid-19, com produtores de Festivais do Estado do Amazonas, para refletirem o cenário artístico-cultural no contexto de pandemia, medidas restritivas e seus impactos nessa cadeia produtiva. O debate acontece nesta quinta-feira,  28 de maio de 2020, às 19h e terá transmissão ao vivo no Facebook e YouTube do Coletivo Difusão. Os festivais, feiras e festas no país que já não cancelaram/adiaram suas edições, no mínimo estão repensando seus formatos, até realizando suas programações em formato on-line. De acordo com um levantamento feito pelo DATA SIM em março de 2020, 536 empresas ouvidas pela pesquisa reportaram o adiamento ou cancelamento de mais de 8 mil eventos de música ao vivo em 21 estados do Brasil. Se os resultados fossem projetados para todas as 62 mil MEIs da “música ao vivo” (empresas individuais de “Produção” e “Sonorização e Iluminação”), os prejuízos seriam de R$ 3 bilhões afetando um milhão de trabalhadores.  Outro ponto em análise se configura na aprovação da PL 1075/2020, Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc, aprovada nesta terça-feira (26) na Câmara dos Deputados e que agora segue para o Senado Federal. A proposta visa destinar uma ajuda ao setor cultural durante a crise da pandemia de R$ 3 bilhões. Se a proposta for aprovada o recurso será repassado pelo Governo Federal, em até 15 dias da publicação da Lei, aos estados, municípios e ao Distrito Federal, destinada aos fundos de cultura e aplicados na renda mensal para trabalhadores do setor.  Para debater os impactos da Covid-19 e do isolamento social na realização de festivais foram convidadas representantes do Festival de Parintins: Lydia Lucia, Boi Bumbá Garantido e Ericky Nakanome, do Boi Bumbá Caprichoso. Além de produtores como: Elisa Maia, Festival Somas; Paulo Trindade, Festival Até o Tucupi; Diego Bauer, Olhar do Norte; Ana Oliveira, Potência das Artes do Norte; Márcia Novo, Tarumã Alive; Laelia Nogueira, Feira Urbana de Alternativas. A mediação com convidados será conduzida pela produtora Michelle Andrews, com apoio na mediação de comentários de Adelon Murari e Pedro Cacheado, onde o público pode interagir nos chats com perguntas e comentários aos convidados e mediadores. O Coletivo Difusão assina a realização da atividade. A organização cultural fomenta cultura e atua na integração entre as manifestações artísticas independentes nas ações e projetos que executa. Sobre o Festival Até o Tucupi O Festival Até o Tucupi de Artes...

Leia Mais
Aplicativo ajuda extrativistas a gerenciar a produção
Maio18

Aplicativo ajuda extrativistas a gerenciar a produção

BRASÍLIA – O Coletivo Semear Castanha lançou um aplicativo voltado para ajudar a quem vive da coleta de castanha a gerenciar os custos de produção e calcular o preço de venda do produto durante a safra. O App Castanhadora é gratuito e pode ser baixado no Google Play. O aplicativo Castanhadora procura emponderar as famílias extrativistas , levando a informação precisa de quanto custou coletar determinado volume de castanha do interior da floresta. É uma ferramenta simples que acompanha o extrativista durante o ciclo e dá as dicas quando a família está comprando, trabalhando ou vendendo, impedindo que haja prejuízo na hora de vender. “A Castanhadora pra nós foi uma ferramenta muito importante, tivemos um norte na produção da castanha. Foi aonde a gente viu a quantidade que a gente produzia para ver se tava devendo ou não. O acompanhamento no aplicativo dá pra saber quantas latas ou barricas faltam produzir pra obter o saldo que precisamos”, diz Paulo Silva da Costa, de Guajará-Mirim/ RO (RESEX Rio Ouro Preto), que trabalha com sua família e gera em torno de 200 latas por safra. O App castanha foi selecionado para o programa de inovação do PNUD no Amazonas e no Piauí. Os recursos serão utilizados na ampliação, aprimoramento e continuidade do aplicativo, contribuindo para a promoção do desenvolvimento sustentável na região. Projeto O Semear Castanha reúne, além dos castanheiros, organizações de apoio técnico, associações comunitárias, movimento social, pesquisadores e órgãos do estado. O nome do aplicativo – Castanhadora – vem da sua funcionalidade: auxiliar extrativistas do norte do Brasil a calcular o valor de sua produção de...

Leia Mais
Feirinha do Xibé é neste sábado (08)
fev06

Feirinha do Xibé é neste sábado (08)

André Angeli Estamos no ar há cinco anos e para comemorar vamos fazer uma Feirinha do Xibé. A proposta da feira é dar uma nova casa a artigos culturais e vestuário a preços populares. Com artesanato Sol em Áries, livros,  séries, brechó inclusive com tamanhos especiais, comidinhas e muita música a partir das 9h, neste sábado (08), no Vila Vagalume, na rua Fernão Dias Paes Leme, 80, Dom Pedro.  Pudim de Cumaru @rentsmerenda A Feirinha vai de 9h às 17h com entrada gratuita e apresentação musical dos Vagalumes da Vila formada por André Angeli, Ramon Marola, Vivian Gramophone, Mauro Lima, Marcela Paiva e Andreas Dominique. Além do cardápio da Vila, com receitas veganas deliciosas haverá também os quitutes do Rent’s Merenda com doces e sanduíches regionais.  Andreas Dominique Bazar Cultural Inaugurado em 2011 o Bazar Cultural reúne livros, discos, CD’s e acessórios de informática em bom estado a preços abaixo do mercado. Para a diretora criativa do Xibé Renata Paula essa é a iniciativa da equipe para circular artigos culturais, “do mesmo jeito que a gente gosta de renovar nosso guarda-roupas podemos também dar uma cara nova no nosso acervo cultural”,...

Leia Mais
15ª Pixel Show: Feira Internacional de Criatividade
nov30

15ª Pixel Show: Feira Internacional de Criatividade

A economia criativa, que despontou em épocas de crise, se fortaleceu com novos profissionais e tecnologias que viram no mercado tradicional poucas oportunidades de crescimento. O  segmento é hoje um pilar da economia global. Segundo o relatório da UNCTAD Creative economy outlook (2018), a economia criativa passou de uma arrecadação de US$ 208 bilhões, em 2002, para US$ 509 bilhões em 2015 em todo o mundo. No Brasil, o Mapeamento da Indústria Criativa realizado pela Firjan e divulgado neste ano, mostra que a economia criativa representou 2,61% do PIB brasileiro em 2017, ou seja, R$ 171,5 bilhões. Nesse cenário, eventos e oportunidades que promovam a economia criativa também ganharam espaço, como o Pixel Show, que se mantém como o Maior Festival de Criatividade da América Latina e completa 15 anos em 2019. “O evento terá mais de 200 horas de programação e três dias, com um conjunto de negócios que estimula a geração de renda e a criação de empregos, ao mesmo tempo em que promove a diversidade cultural, inclusão e desenvolvimento criativo”, comenta Simon Szacher, criador e organizador do Pixel Show. “A criatividade não é mais algo desta ou daquela profissão, é uma habilidade multidisciplinar e multisetorial. A mudança causada pela tecnologia na forma como produzimos exige que tenhamos criatividade, para gerar mais inovação”, ressalta Allan Szacher, head de curadoria do evento. De olho nesse público, o Pixel Show preparou novas atrações para movimentar as mais de 50 mil pessoas que devem acompanhar o evento. É GRÁTIS! Mais de 80% das atrações dos três dias de Pixel Show são gratuitas e para todas as idades. Além de espaço Kids, Food Park, Tattoo, Arena Musical e exposição do Lego User’s Group, confira algumas que vão dar um empurrãozinho nos negócios: – Espaço RH: Aqui, criativos que buscam oportunidade de trabalho formal podem conhecer e conversar com recrutadores de empresas que enxergam nesse mercado potenciais profissionais para seus negócios. A participação é gratuita, basta chegar com o currículo, entrar na fila e bater um papo com as empresas. – Espaço Makers: Artistas amadores e independentes vão expor seus trabalhos em busca de novos negócios, vendas e exposição. “Temos casos muito legais de artistas que começaram como makers, em outras edições do Pixel Show, e hoje expõe com suas empresas e marcas consolidadas”, lembra Allan Szacher, criador e head de curadoria. XR Lounge: A tecnologia realmente mudou a forma de fazer e entregar arte e cultura. O espaço dedicado a projetos de realidade virtual e experiencias imersivas abre a mente do público para novas possibilidade de negócios e atrações. Vale a pena investir Para quem quer imergir no mundo criativo e se apropriar de...

Leia Mais
Jéssica Zany está no ColorApp: Faça seu Teste de Cores com ela
out22

Jéssica Zany está no ColorApp: Faça seu Teste de Cores com ela

A consultora de imagem e estilo, a amazonense Jéssica Zany, é um dos destaques do aplicativo Colorapp, lançando em setembro deste ano, pelo Studio Immagine, de São Paulo, referência em consultoria de cores do Brasil. O Colorapp é um aplicativo de vendas sob a ótica da coloração pessoal, com informação, conteúdo e um buscador de consultoras de imagem, de todo o país, qualificadas pelo Studio Immagine. O Teste de Coloração Pessoal é uma técnica utilizada para identificar as cores que favorecem cada perfil, contribuindo para a construção da sua imagem pessoal. Jéssica Zany integra o banco de talentos do Amazonas e é uma das pioneiras no uso da técnica em Manaus. O app está disponível tanto para sistema Android quanto IOS e pode ser baixado pelo Play Store. A partir dele, os interessados poderão entrar em contato direto com a consultora. “Me sinto lisonjeada em poder trazer isso para as mulheres e homens amazonenses. Agora eles podem ter esse acesso à consultoria aqui em Manaus, sem precisar procurar profissionais de outras regiões. O Teste de Cores é uma tendência mundial e já é uma realidade no Sul e Sudeste do país, de onde eu trago uma bagagem já que atuei lá nos últimos quatros. No Nordeste também já vem sendo desenvolvido e no Norte está dando os primeiros passos”, comentou a especialista. O teste de coloração pessoal é produzido de forma personalizada e deve ser feito presencialmente e bem conduzido por uma consultora. A partir da análise técnica é descoberto a paleta de cor pessoal do cliente, revelando as cores ideais a serem usadas perto do rosto. “As características positivas das cores, principalmente usadas próximas ao rosto, deixa uma aparência mais jovem, uma pela mais saudável e harmoniosa, esconde olheiras, transforma a beleza natural em algo melhor. O contrário também existe. Se você usa as cores que não te favorece, isso também interfere, deixando um rosto mais pálido, por exemplo. Quando a gente descobre o universo das cores é libertador porque você usa ao seu favor”, explicou a...

Leia Mais
No mundo de hoje é possível erradicar fome?
jul25

No mundo de hoje é possível erradicar fome?

Erradicar a fome e a insegurança alimentar, bem como assegurar a agricultura sustentável e a gestão de recursos naturais, são pilares centrais dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e um pré-requisito para a realização de toda a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. A FAO desempenha um papel importante na medição do progresso em direção à sua realização. A evidência mais recente disponível para esses alvos, no entanto, apresenta um quadro sombrio. O mundo não está no caminho certo para atingir a esmagadora maioria das metas de ODS relacionadas à agricultura sustentável, segurança alimentar e nutrição. Quatro anos na Agenda 2030, a regressão é a norma para quase todos os indicadores relacionados, com apenas algumas áreas refletindo algum progresso. O número de pessoas subnutridas no mundo tem crescido desde 2015 e está de volta aos níveis observados em 2010-2011. Em outras palavras, mais de 820 milhões de pessoas ainda estão com fome hoje. Os produtores de alimentos em pequena escala enfrentam desafios desproporcionais no acesso a insumos e serviços e, como resultado, tanto sua renda quanto sua produtividade são sistematicamente menores em comparação com os maiores produtores de alimentos. Cerca de 60% das raças de gado locais estão em risco de extinção nos 70 países que tinham informações sobre o estado de risco, enquanto o estatuto de risco permaneceu desconhecido para dois terços do total das raças locais de gado em todo o mundo. Apesar desta situação, menos de um por cento de um total de  7.760 raças locais de gado no mundo têm material suficiente armazenado permitindo que a raça seja reconstituída em caso de extinção. A conservação de material genético vegetal está um pouco melhor; Nos oceanos, estima-se que um terço do peixe seja sobreexplorado, com a fração mundial de peixes marinhos em níveis biologicamente sustentáveis ​​caindo de 90% em 1974 para 66,9% em 2015. No entanto, cerca de 30% dos países ainda têm um registro baixo ou médio de implementação dos principais instrumentos internacionais que combatem a pesca ilegal, não declarada e não regulamentada, enquanto cerca de 20% dos países têm um registro baixo ou médio de implementação dos principais instrumentos para promover o acesso de pescadores de pequena escala a atividades produtivas, recursos, serviços e mercados. Entre 2000 e 2015, o mundo perdeu uma área de floresta do tamanho de Madagascar, embora a taxa de desmatamento pareça estar diminuindo. Durante o período 2016-2017, os altos preços gerais dos alimentos afetaram mais de um terço dos países em desenvolvimento, um em cada quatro países da África e da Ásia Ocidental, e um em cada cinco países da Ásia Central e do Sul. Muitos desses problemas provavelmente...

Leia Mais